Saco Escrotal dos Negros 1 de 2


Click to Download this video!


Oi, meu nome é Juliana e namoro com o Bruno.
O Bruno é um cara muito educado, muito mais velho do que eu e divorciado. Ele largou tudo pra ficar comigo. Eu queria namorar com ele e foi muito simples conseguir fazer ele deixar a esposa e a filha. Kkkk O que eu fiz? Nasci do jeitinho que ele adora.
Gente, o Bruno foi trabalhar um dia qualquer e eu estava indo pra escola quando encontrei no caminho duas amigas minhas. Elas iam ficar com dois meninos e disseram que tinha um sobrando. Eu não ia pois não curto ficar traindo o Bruno assim. Tadinho dele. Mas... acabei indo com elas e se o menino fosse lindo, que me custaria dar uns beijos.
Chegamos e era uma casa meio velha, com portões enferrujados. Veio um dos meninos e não me interessou. Era bem pretinho, magrelo e com cara destes funkeiros todo tatuado de cadeia. Tinha cara de ladrãozinho de moto. Mas fui notando e ele era muito legal.
Entramos na casa e tinha outro. A casa era bem pobrinha, mas dava pra notar que alguma mulher mantinha limpo e organizado. Sou que era a mãe deles quem cuidava.
Não demorou e as meninas começaram a beijar nos cantos os ficantes delas. Uma em cada canto da sala se amassavam e até esqueceram de mim.
Eu sabia que logo o outro menino sairia do quarto e viria na sala. Eu queria ver porque tava curiosa. A música do quarto parou e me ajeitei pra quando ele entrasse na sala. Se fosse feio eu daria a desculpa que tinha prova. Se fosse lindo uns beijinhos.
Entrou outro moreno. Era magro mas troncudo, cheiroso, arrumado. Dei sorte. Ele deu sorte, pois ali naquele bairro não se via meninas do meu tipo.
Meus olhos deviam ter esboçado tranquilidade, pois o menino parecia sentir uma segurança. Ele veio na minha frente e eu me preparei pra levantar do sofá e dar uns beijos, embora nem lindo ele era. Mas era macho. Dava pra saber. Uma menina sabe quem é e quem não é macho.
Fui levantar e ele segurou minha cabeça pra eu permanecer sentada no sofá. Enquanto todos se beijavam ele passou a mão na rola várias vezes até endurecer e eu sentadinha olhando. A mão dele era enorme e segurava firme minha cabeça. De repente esse menino abriu o zíper, ajeitou a cueca até um pauzão meio mole saiu da calça. Eu não sei o que há comigo, mas eu sabia que aquele menino e eu tínhamos que meter gostoso.
A rola dele começou a crescer e eu olhava como era lindo. Ele ajeitou pra fora as duas bolas depiladas e essas ficaram penduradas me dando água na boca, doida pra deitar de costas e mandar ele soltar as duas pra eu ficar mamando durante a tarde toda.
Mas sentia certa vergonha. Minhas amigas estavam ali aos beijos e não sabiam que meu tesão de loirinha é descomunal por negão. Seria vergonhoso.
A pele do pauzão cobria parte da cabeçona da rola, deixando em mim uma vontade de com minhas mãozinhas brancas, descobrir aquele pele de cima daquele pinto maravilhoso de grosso e duro.
Segurando minha cabeça e com a rola perto da minha cara, o menino perguntou com o pinto latejando “tá gostando da rola do negão, loirinha”.
Eu queria mamar, sentir aquela cabeça socando o fundo da minha garganta, dando o gosto de rola grossa direto no céu da minha boca, me fazendo a loirinha mais contente do mundo.
Fiquei calada e não respondi. O menino era atentado e cheio se si. Geralmente não curto meninos assim, mas gente... e aquela tora?
Permaneci muda e o atentado começou a virar o quadril pra um lado e pro outro, de modo que a rola deliciosamente dura e quente começou a acertar meu sensível rostinho loiro de menina branquinha mimada.
Precisa eu falar algo? Claro que não! Enquanto ele acertava rola na minha cara, eu abri a boca tentando fazer ele foder minha cara, pois era isso que eu merecia. Ser fodida na cara assim como belas meninas são fodidas na bucetinha.
Mas o atentado safado estava me domando. Ele chegou ainda mais perto, com a mão botou pra cima aquela rolona imensa e as bolonas surgiram lindas, grandes, meio caídas. Como eu pedi em pensamento pra ele deixar eu cair de boca nelas e por isso automaticamente abri os lábios e deixei a língua um pouco pra fora pra receber as bolas do saco de um moreno cacetudo.
Ele ficou me olhando ajoelhada, de boca aberta, num silêncio daqueles de quem implora por alguma coisa.
- Loirinha, como é seu nome?
- Juliana.
Nisso minhas amigas olharam e se assustaram. Começaram a falar um monte de coisa, xingando o cara achando que ele estava com maldade pro meu lado. Já os irmãos dele começaram a rir bastante dizendo “o Clayton é doido. Já tá com o pau pra fora kkkkkkk”.
Eu com vergonha me levantei e minhas amigas me acolheram pelos braços enquanto me tiravam de perto do cara e falavam um monte pra ele.
Ele parado com aquela cara de safado caralhudo me olhava meio que rindo, tipo sabendo que eu tinha adorada apanhar no rostinho com aquele cacete gostoso.
As meninas me levaram e na porta de saída o menino falou alto do outro cômodo:
- Menina, ow loirinha... como ela se chama mesmo... Juliana.
Eu parei calada e as meninas até me olharam assustadas, tipo, porque a Ju parou.
- Jujuzinha loirinha. Ju, vai embora e deixar meu pau assim?
As meninas começaram a resmungar me forçando ir embora, mas eu segurei com o pé e então elas pararam e me olharam e depois se entreolharam.
- Ixii, Ju você vai ficar com esse menino ridículo?
- Éee amiga, tá na cara que ele só quer te comer.
Eu chacoalhei os braços pra me soltar, elas me largaram. Arrumei a roupa e voltei andando. Atrás de mim as meninas vieram atrás falando baixo “ixii agora vai dar treta” ou “vai lá Ju, dá um tapa na cara dele”.
Cheguei lá e vi aquela pica dura ainda latejando pra cima. Como negar meu corpo pra um pintão daquele. Estava lindo querendo me foder todinha, meter na minha bucetinha branca até inchar de tão vermelha. Já podia sentir o muco da buceta umedecer e o cuzinho piscar gritando de alegria a possibilidade de ser enrabado por um tipo de rola que eu mereço; grande, duro e grosso.
Caminhei até ele, cheguei pertinho e até senti a rola tocar a cabeça no meu peito. Olhei pro menino bem nos olhos e falei:
- Eu A-D-O-R-E-I esse cara. – e segurei no corpo do caralho dele.
Quente, firme e roliço. A pele macia disfarçava a dureza que pau de macho tem. Eu sabia, aquilo era feito pra me foder.
As meninas comentavam besteiras baixinho enquanto eu arregaçaca lentamente a pele que acobertava a cabeça. Quando foi toda a pele pra trás, vimos como o pau do menino era top. Ele gemeu, o cheiro de rola subiu, mirou pra cima e as meninas nessa hora devem ter sido fisgadas pelo que vale a pena na vida: Negro caralhudo.
Ergui com uma mão a tora e visualizei novamente aquelas bolonas típica dos roludos. Estavam ali, bem na minha frente, do jeito que eu adoooro. Enfiei o rostinho entre as duas e minha cara deve ter desaparecido no meio das bolas e da pele de saco que se espalharam.
Quando tirei a cara do meio das bolas, senti o cheiro que já havia impregnado no meu rosto. O suor de rola grudou na minha pele facial e um calafrio tomou conta. Sabe quando você mete a cara numa toalha quente e de repente sai no frio? Foi assim, o calor de saco preto esquentou, mas quando afastei o rosto, o frio da tarde me deu calafrio.
O cheiro, aaai o cheiro. Voltei o rosto pra onde deveria sempre estar: entre a virilhas de negros pauzudos. Segurando o cacetão pra cima, fazia força em meus pequenos pulmões pra puxar o odor perfumado de pinto e saco pra dentro do nariz.
Comecei saborear aquele sacão. Me sentei no chão em baixo do macho e com a cabeça pra cima eu chupava uma bela de uma bola enquanto a outra umedecia minha bochecha. De pé o menino abriu um pouco as pernas pra deixar eu a vontade lambendo o saco escrotal dele. Eu podia olhar pra ele e ele pra mim. O pintão dele deitava sobre meu rostinho tapando parte da minha face de garota chupadora de rola.
- Olha os olhos dessa puta. Caralho puta, você é linda. Olha como ela chupa um saco.
Ouvindo isso eu fechava os olhos e não havia como não sorrir. Eu estava sugando os bagos deliciosos de um moreno dotado enquanto o pauzão dele acobertava minha cara.
- Olha como a amiga de vocês é uma cadela. Olha como ela mama no saco.
Sem tirar o sacão da minha boquinha rosa, virei um pouco o rosto e pude ver as meninas assustadas e os meninos também olhando porém bulinhando as duas bucetinhas.
- Loirinha, tá gostando? Fala pra suas amigas.
Eu queria falar. Enquanto mamava, o barulhinho das minhas lambidas e chupadas se propagavam pelo cômodo. E isso me dava tesão, pois era eu que provocava a onda sonora de uma ninfeta loira se deliciando com saco preto de favelado.
- Fala cadela que você adora mamar saco de negão, vai.
Tirei as bolas da boca e várias ligas de saliva escorriam dentre o saco e meu lábio. Olhei pras meninas toda babada, com o rosto melecado, ainda segurando o pinto do negro perto de mim, e falei a verdade pra elas:
- Gente, gente – e dei mais umas duas lambidas antes de prosseguir falando – gente, eu juro, isso aqui é a melhor coisa da vida. – e voltei o rosto pro pintão e voltei a mamar o sacão. Depois novamente pra falar mais:
- Meninas, cara, isso aqui que é vida. Juro. Eu não sei como vocês tão aguentando só olhar. Olha esse pinto, minha nossa gente. Eu não tô doida, isso aqui é foda demais.
As meninas se olharam. Eu não sabia se queria que elas dividissem comigo ou se apenas acreditassem e fossem atrás da sua própria rola negra.
Comecei a punhetar o pinto do menino com tesão. Então senti que ele ia gozar. Ele socou o pauzão dentro da minha garganta e foi gozando, gozando, gozando, gozando. Senti os jatos baterem no fundo do céu da boca e escorrerem pra garganta, grosso e quente. O menino não tirava o pau da minha boca, deixando meu lábio totalmente esticado. Que delícia. Quando ele terminou de gozar direto dentro de mim, tirou o pinto pra fora e ele ficou balangando suas últimas gozadas.
Vi que ainda sairiam algumas gotas de porra. Peguei o pau e comecei a limpar chupando. O menino se contorcia e as vezes se querer o pau escapulia, então eu pegava com a boca:
- Deixa eu limpar ele todinho, essa delícia.
Levantei e fomos embora.
Na rua as meninas estavam cheias de pergunta. Viram minha blusinha totalmente melecada e queriam saber o sabor, o que eu sentia, se eu já tinha saído com outros meninos de pau igual aquele e mais tantas curiosidades.
Contei tudo o que lembrava.
Cheguei na casa do Bruno e ele ainda não estava. Chegaria só mais tarde do trabalho. Fiquei sem tomar banho e nem escovar os dentes. Queria aproveitar o sabor de esperma da tarde.
Quando o Bruno chegou me deu um beijo longo, me apertando. Arrancou a roupa de pau duro. Aquela noite eu ia dar gostoso. O Bruno tirou a camisa, calça, tomou banho, e quando apareceu de cueca e tirou, desanimei. Deu nojo olhar pro pauzinho branco do meu namorado.
Ele meteu em mim num papai mamãe idiota e gozou. Dormiu. Eu acordei na madrugada e fui ver o face do tal menino. Ele já tinha me enviado uma solicitação. Aceitei na hora. Quando fui ver no zap, ele já tinha me adicionado também. E de repente começou enviar um monte de imagens. Quando abriram quase gritei. Eram um monte de fotos minha mamando o saco dele.
Meu, que filho da puta, ia me foder toda. Todo mundo ia ver aquilo.
Quando eu ia xingar ele, abri o face dele e algumas fotos dele com alguns amigos em vários lugares. Desisti de xingar. Pelas fotos vi que ele tinha muitos e muitos amigos macho de verdade.
Então passei a noite batendo uma siririca olhando as fotos que ele mandou enquanto meu namorado dormia.
Foto 1 do Conto erotico: Saco Escrotal dos Negros 1 de 2

Foto 2 do Conto erotico: Saco Escrotal dos Negros 1 de 2

Foto 3 do Conto erotico: Saco Escrotal dos Negros 1 de 2

Foto 4 do Conto erotico: Saco Escrotal dos Negros 1 de 2

Foto 5 do Conto erotico: Saco Escrotal dos Negros 1 de 2


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario sograrb

sograrb Comentou em 23/03/2017

Não nada mais tesudo que fuder com um negro. Sou tarada por negro.

foto perfil usuario scanalha

scanalha Comentou em 23/03/2017

2.bp.blogspot/-xEuxuhT8_c4/VBYwP3FoxuI/AAAAAAAAC7U/xlewlPemamY/s1600/029-interracial-gangbang-abigaile-johnson.jpg




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


69991 - Escrava que Escraviza - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 14
70217 - Crönicas de Estudante - Categoria: Traição/Corno - Votos: 6
70564 - Ju Loirinha Egoísta e Mimada da Negrada - Categoria: Interrraciais - Votos: 16
70570 - Aline Ensopada de Porra no GangBang - Categoria: Fetiches - Votos: 14
71000 - No Cu rosinha um Negro e namorado chupa xota - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
71512 - Meus Buraquinhos são Clube dos Negros - Categoria: Interrraciais - Votos: 10
71513 - Implorando por meu amor e eu Lavada de Porra - Categoria: Fetiches - Votos: 6
71836 - Festa da Porra. Seja submisso meu! - Categoria: Masturbação - Votos: 7
72526 - Madrinha dos Negros - Categoria: Interrraciais - Votos: 4
72530 - Meu Namorado Ciumento - Categoria: Traição/Corno - Votos: 20
72816 - Novinha Mimada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 15
72996 - Preparando o Aniversário do Corno - Categoria: Fetiches - Votos: 8
73088 - Aniversário do Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
73523 - Novinha no Funk Rodeada de Rola - Categoria: Traição/Corno - Votos: 15
75633 - Meu Quase Corno! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 32
79113 - Antes do Colégio na casa do Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 7
82547 - Negros para a namorada Branquinha - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
82664 - Traindo o Amante e o Namorado - Categoria: Traição/Corno - Votos: 5
82932 - Fome de gangbang - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
87260 - Férias e Festinha da Ju - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
87268 - Namorada na Balada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 6
91674 - Vingança do Duplo Anal - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
93188 - Blowbang com 6 Negros - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
97128 - Caralhos Negros pras Colegiais - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
97444 - Terminei com o Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
98035 - Minha namorada e seus pintos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98037 - Minha namorada e seus pintos 2de3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
98039 - Minha namorada e seus pintos 3de3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98291 - Namoradinha humilhada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
98341 - Ju a putinha e 14 Negros caralhudos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 6
98378 - A Ju me obrigando a ser Corno 1 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98379 - A Ju me obrigando a ser Corno 2 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
98382 - A Ju me obrigando a ser Corno 3 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98676 - Mundo de Dotados. Piscina de Porra - Categoria: Fantasias - Votos: 8
98975 - As Putinhas dos Vizinhos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
99972 - A Ju e a Jéssica e os Negros - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
100349 - Iniciante de Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
108073 - Bebendo Xixi e Chupando o Cuzinho da Jéssica - Categoria: Fetiches - Votos: 11

Ficha do conto

Foto Perfil jufresil
jufresil

Nome do conto:
Saco Escrotal dos Negros 1 de 2

Codigo do conto:
98420

Categoria:
Interrraciais

Data da Publicação:
23/03/2017

Quant.de Votos:
11

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


contos eroticos de papai chupando filha depois veio a do avôcontos erotico meu filho mim comeu no chao da salameu pai nua cucasa dos contos eroticos o violentador de bucetas caninasConto erotico gay: estuprei meu enteadocontoerotico sou uma mulher muito vulgarcontos eroticos velhinhos taradoshistória de irmão meteu a rola na buceta da sua irmã em quadrinhosultimos contos sadoContos erótico d novinha a conduzir cm um vestido mostrando a sua calcinhacontos eroticos so de mulatas do rabo quenteconto porno velho roludomoleque pelado gostosoconto erotico fodendo com cracudocontos eroticos gay pastorbucatao da ruteeu sou do riu de Janeiro e a minha mamãe pediu pra que eu gozace dentro da buceta delacontos eroticos trai meu marido com o irmao deleagarrei minha tia e ela gozou contosultimos contos sadovovó bundudaminha esposa arrumou macho chegou mandando em tudo contosaprendendo a dirigir contoshetero moreno contoconto alex e danielcontos eroticos mae transforma sissycalcinha para o sobrinho contoscontos eróticos comendo uma velha safada de 67 anosconto meu sogro so quis o cuEle me comeu e levou minha calcinha e se meu marido descobrir conto eroticoquadradinho da crente inocente safada em conto eróticoschifrei na festa relatoporno bisexais ativos 2017coroa gozando no pauconto erotico minha namorada dançando forro com meu tioconto erotico/ganhei uma chupeta da vizinha espanholacontos eróticos meu primo comeu minha b***** no carrominha namorada com negros contosveiadobucetaoQuero ler contos corno tem medo negão arrumba suas filhas tambemcontocontoeroticosirmãos franceses gay incestocomeu o cuzinho da novinha e fez ela cagar um kilo de bostacontos eroticos sadomasoquismo com putaspai foi viajar conto eroticoquadrinhoseroticospaicontos erodicos minha colega de karatêestourando as pregas da vizinha rabuda contos eróticoshentai melhor amigo do filhopau grande conto eróticoContos eroticos com as prinhas de 10 e 12 amimhosmeu pedreiro chupou meus seiosComi a freira santinha contos eroticosimagem gay nu dotado. animado em movimentoConto erótico com o marido pausudo da minha amigaporno conto eroctico de bucetas lesbicofantasias incestuosas fotosconto erotico a crente estuprada chantagem contos eroticoswww.penetraçao dupla com dog contoraffa_ka instagram conto erotico minha empregada travesticontofilhinhaconto erotico transei com amiga da minha maefudeno meu primo geyconto erotico com padrinhocontos mia mulhezinha arumou u amate muito bemdotado ela gemi muito na rolona dele contoscontos eroticos novinhos passando a rola nas coroasconto erotico sou viuva levei varacontos eroticos puta fode e fala no telefoneconto falado depiladora travesticonto erotico de patricinhaContos esposas safadas no menagebombadinha mete a boca em pica suculentaContos eroticos fui fodida pelo montador pauzudo