Olhares


Click to Download this video!


Olhares
Te olhava discretamente para evitar que minha esposa e seu esposo notassem o desejo em meu olhar. Você fingia não notar, mas você gostava, você sabia, você sentia, sentia meu desejo percorrer toda a tua pele, sua mão acariciava a pele de seu ombro, enquanto seus dedos da outra mão eram deslizados nervosos pelos fios dourados de seus cabelos, seus grandes olhos, profundos, me olhavam fixamente por uns instantes para depois desviarem-se temerosos em direção à minha mulher que falava de coisas que eu não mais escutava.
Havia muito que meus desejos estavam dirigidos sobre seu corpo e quando olhava para seu marido algo dentro de mim me fazia odiá-lo. Não posso dizer que sejam ciúmes, não, nossa relação nunca passou de um carinho lógico, mas devo aceitar que meu ódio seja oriundo de uma terrível e perversa inveja, que eu sentia contra ele, por saber que ele te tinha desnuda entre seus braços. Meus olhares a princípio te envergonhavam, mas depois, você passou a aceita-las, até com certo gosto e se manifestava com determinados trejeitos, um especial comportamento que a cada movimento de seu corpo, eu te desnudava com meus olhares e você inflamada, excitada, se deixava desnudar.
Poucas, muito poucas palavras havíamos trocado um com o outro, nossas conversas eram sempre entre os quatro, geralmente voltadas em coisas e casos de nossas vidas ou opiniões sobre o mundo em que vivemos, sobre economia, politica, esportes. Mas entre você e eu bastava um olhar para que você escutasse meu grito suplicante onde eu dizia “ Te desejo Lourdes”, entretanto, seu olhar se distanciava do meu sem dar-me uma resposta. Como pedir? Como dizer a uma mulher pela qual não se deve sentir desejo que eu morreria por te possuir, por desejar ter você nua na cama? Como chegar a tal baixaria, sem insultar a si mesmo.
Quem o poderia dizer? Que nossos parceiros se converteriam em cúmplices involuntários? Enquanto meu olhar permanecia distraído na branca pele de teus braços, escutei seu marido dizer a minha esposa.
- Eu não posso te levar os documentos amanhã, pois tenho um dia cheio de compromissos, preciso sair da cidade, mas os deixarei com Lourdes em casa e você vai lá e os busca!
- Mas eu estarei ocupada toda a manhã, respondeu minha esposa!
- Meu carro está na oficina, apareceu um defeito e estou sem carro! Exclamou você com voz suave.
Senti o olhar de todos vocês três sobre mim e indiferente respondi:
- Tudo bem, eu vou buscar esses documentos. Às dez horas da manhã está bom Lourdes?
Você confirmou e no dia seguinte cheguei no horário marcado em seu apartamento. Você me recebeu coberta apenas por uma bata, seu cabelo ainda estava úmido e era possível notar que você tinha acabado de maquilar-se. Você estava se arrumando para sair e depois do costumeiro beijo na face perguntei sem ocultar minha decepção.
- Estou atrapalhando?
- Não mesmo, estava me trocando para ir visitar meus pais, mas entre e sente-se na sala!
- Você vai até lá a pé? São mais de dez quarteirões, eu te espero e te levo, ofereci!
Você sorriu agradecida ante minha proposta para depois sentar-se no sofá da sala, um ao lado do outro, sempre com a prudente separação que indicava a decência e então começamos a conversar sobre a família, suas coisas. Do bolso da bata você pegou um par de meias finas e colocando o pé na beira da mesinha de centro começou a calçar a referida meia. O negro do nylon contrastava com a alvura de sua pele, conforme ia subindo, primeiro cobriu o pé, depois seus tornozelos, suas panturrilhas. A bata de seda se abriu expondo suas coxas firmes, bem delineadas. Por uns segundos você permaneceu imóvel com suas mãos segurando a meia já na altura de seus joelhos. Eu estava observando a beleza de suas pernas e ao perceber sua imobilidade levantei meu olhar até a altura dos seus, nos olhamos fixamente e quero pensar que em meu olhar, você encontrou o grito suplicante, já que suas mãos deslizaram para baixo, descalçando a meia até fazê-las sair por seu pé.
Nossos olhares se juntaram novamente, estava disposto a pagar o preço que tivesse que pagar, sem um pingo de dúvida, me agachei sobre uma almofada, tomei seu pé com as mãos e comecei a beijar cada um de seus dedos, a sola de seu pé, o peito do pé, seus tornozelos e fui subindo pela perna, acariciei a panturrilha. Aproximei meu rosto e senti o calor e a delicada suavidade de sua perna, aspirei seu aroma. O aroma doce e delicado de sua pele aveludada, subi até suas coxas de músculos fortes e bem torneados, beijei a parte interna e externa de sua coxa incansavelmente. Minha mão então segurou a cinta que fechava sua bata em sua cintura e assim, tive acesso e me perdi em beijos na maciez de seu ventre. Levantei-me e te ofereci minhas mãos para que se levantasse e ao fazê-lo, abri a bata suavemente sobre seus ombros e a deixei deslizar até o chão. Eu admirei a perfeição de seu corpo, agora coberto apenas pela delicada lingerie de renda, que marcava e ocultava a beleza de seus seios e seu ventre sem qualquer marca de gordura e a maravilhosa visão de suas torneadas pernas.
Meus dedos se aproximaram do centro de seu sutiã e abriram o fecho estrategicamente existente na frente. Dessa forma libertei seus generosos e formosos seios, que me brindaram com seus eretos e intumescidos mamilos rosados. Aproximei minha boca e tomei um deles. Eu ouvia sua agitada respiração, enquanto lambia, beijava e sugava aquele mamilo como se fosse um bebe faminto, faminto de você, faminto de seu corpo e assim, durante um longo tempo me dediquei a saciar essa fome quase lancinante que me obrigava a mantê-lo dentro de minha boca. Por fim o libertei. Acariciei seu rosto e seus cabelos, cuja franja coloquei de lado, abrindo espaço assim, para que meus lábios se aproximassem dos seus até que nos fundimos em um apaixonado beijo, onde desfrutei de seu calor e de seu sabor, mesclamos nossas salivas, nossas línguas e eu alucinado comecei a deslizar meus lábios por sua face, por seu ombro, por seu pescoço, arrepiando-te até a alma.
Você me pegou pela mão e caminhamos até seu quarto, dentro dele desceu sua calcinha para ficar completamente nua diante de meus olhos, suas mãos tomaram meu cinturão, o abriu e você então se afastou até sua cama. Eu me desnudei e subi na cama, onde você já desnuda esperava por mim. Por muito tempo desfrutei com meus beijos de teu corpo fazendo-a suspirar, virei seu corpo para saborear suas costas, suas nádegas e a parte traseira de suas coxas e pernas. Novamente deitei você de costas na cama, separei suas pernas e delicadamente desfrutei com meus lábios e língua da maravilha de sua feminilidade. Senti suas contrações e enquanto suas pernas apertavam minha cabeça, prendendo-a no vértice de suas pernas, pude saborear a umidade de seu prazer.
Suas peras relaxaram e libertaram meu rosto, eu olhei em seus olhos e você esticou os braços para indicar-me que era o momento que por muito tempo havíamos esperado, era o momento de concretizar meus desejos mais profundos, era o momento de deixar de imaginar e sonhar, era o momento de transformar meus sonhos em realidade. Me meti entre suas pernas, aproximei minha boca da sua e nos beijamos apaixonadamente. Eu ainda tinha em meus lábios o sabor de seu corpo molhado e isso incendiou seus desejos. Seu olhar se fixou nos meus fazendo-me notar sua ansiosa espera e então, eu, firme e lentamente comecei a percorrer o ardente caminho de suas entranhas, enquanto de sua boca escapada um gemido de prazer que te obrigou a fechar seus belos olhos.
Rápido, lento, forte, suave, de todas as formas possíveis percorri o agora conhecido caminho do prazer de teu corpo, eu parava, esperava alguns instantes e voltava a reiniciar buscando eternizar o momento, respirações agitadas, gemidos, suspiros, suor. Eu me apoiava em uma mão enquanto usava a outra para te acariciar, suas coxas elevadas que apertavam minha cintura. Eu estava vivendo um sonho do qual recusava despertar. Seu corpo começou a tremer, suas pernas apertaram meu corpo, fazendo com que quase parasse de me mover, sua boca se abriu, sua respiração se acelerou e parou uns instantes, seus olhos se fecharam com força, apesar de seus esforços em mantê-los abertos, os dedos de suas mãos apertaram com força os músculos em minhas costas e então você gritou.
Um grito que me fez sentir como se estivesse nas nuvens ao saber que você estava desfrutando de mim na mesma intensidade que eu desfrutava de você. Era o momento mais maravilhoso de minha vida. Senti seu corpo saltar debaixo do meu diversas vezes, suas pernas caíram e se apoiaram na cama, abriste os olhos e eu então beijei sua boca com muita ternura ao notar a enorme satisfação em seu rosto.
Lentamente reiniciei minha cavalgada ao prazer, pretendi estende-lo já que não queria que terminasse, meus movimentos ficaram lentos e profundos, sua mão acariciou meu rosto al sentir a dureza de meu membro dentro de suas carnes. Minha ereção estava insuportável, incontrolável, seus olhos nos meus diziam para eu gozar, encher você com meu esperma. Era uma mensagem muda, dizendo-me:
- Faça agora, goze em mim, dentro de mim, chegou a hora.
Isso tudo dito apenas com um terno olhar, que tirou de mim qualquer dúvida e venceu meus temores pelo que poderia ocorrer. Empurrei então o mais profundamente possível dentro de você, você prendeu sua respiração ao sentir como eu empurrava suas entranhas, você abriu os olhos e voltou a fechá-los ao sentir dentro de você minha masculinidade contrair uma e outra vez, fazendo com que eu sentisse o maior prazer jamais sentido em toda a minha vida e disparando dentro de você os jatos que continham a própria vida.
Cansado deixei-me cair sobre seu corpo, satisfeito em ter te possuído. Por uns instantes pensei em meu sêmen percorrendo a toda pressa o caminho até seu útero em busca de unir-se a sua vida, ele permaneceria dentro de você, talvez, por alguns dias e apesar de meu temor, sorri ao pensar:
- Quem teria sido de quem?
Me deixei cair de costas na cama, livrando-te de meu peso. Você se girou e ficou de lado, observando-me e então, você se levantou e se dirigiu ao banheiro da suíte. Ao sair do banheiro eu já estava me vestindo. Você saiu do quarto em direção à sala, meu olhar observou novamente a beleza de suas nádegas e de suas torneadas pernas. Quando cheguei na sala, você já havia recolocado a bata, eu me aproximei e novamente beijei seus lábios unindo nossas línguas. Eu abri novamente suas vestes, observando sua nudez.
Delicadamente você se afastou, pegou um envelope sobre a mesa e o colocou em minha mão, dizendo as primeiras palavras desde o momento em que tentou colocar as meias.
- São os documentos para sua esposa Claudia.
E abaixando a cabeça com uma expressão cheia de tristeza, continuou:
- Para minha irmã Claudia.
Então você levantou a cabeça e me olhou diretamente nos olhos, as lágrimas de arrependimento marejavam seus olhos, mas não havia mais remédio, já estava feito e nesse olhar pude ler uma súplica velada, onde você me dizia:
- Que ela nunca fique sabendo!
Eu afirmei com um gesto de cabeça, você apertou tristemente meu braço e novamente, sem dizer uma palavra, consegui ler em seu olhar:
- Não volte a me procurar nunca mais Mário.
Para confirmar que tinha entendido tudo, depositei um beijo em sua face e sai pela porta de entrada da casa e antes de sair, me voltei e olhei você com os braços cruzados, de pé, também olhando minha saída e te disse:
- Obrigado cunhada!
E estupidamente você me respondeu!
- De que? Mário.... De que?
Foto 1 do Conto erotico: Olhares

Foto 2 do Conto erotico: Olhares

Foto 3 do Conto erotico: Olhares

Foto 4 do Conto erotico: Olhares

Foto 5 do Conto erotico: Olhares


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario notório

notório Comentou em 20/02/2017

É sempre um prazer enorme ler seus contos, pois você sabe, como ninguém, me transportar para o cenário descrito.. Parabéns professor !! Votado !!!

foto perfil usuario hottnts

hottnts Comentou em 26/11/2016

Eu ouvia sua agitada respiração, enquanto lambia, beijava e sugava aquele mamilo como se fosse um bebe faminto, faminto de você, faminto de seu corpo e assim, durante um longo tempo me dediquei a saciar essa fome quase lancinante que me obrigava a mantê-lo dentro de minha boca.

foto perfil usuario silverprateadosurfer

silverprateadosurfer Comentou em 23/11/2016

Quando me indicaram seus contos, tive alguns receios a principio, mas depois de ler o primeiro, vi que tinham razão, voce escreve de uma forma que não há igual em todo o site, parabens por mais essa estoria maravilhosa, intensa e terna e pura e vadia, voce consegue fazer com que sejamos tudo isso, que mergulhemos na estoria, vivamos a estorias e desejarmos substituir a protagonista

foto perfil usuario anya

anya Comentou em 23/11/2016

Como sempre um primor de conto, as fotos por si contam a estoria, bem situadas e de um bom gosto sem igual. Profundo, terno, intenso, em suma outra obra prima, adorei e me excitei com seu conto apeduardo, adoro lê-los e a cada dia vejo que voce descobre uma maneira diferente de nos tocar e nos manter em transe, imersos em suas estorias, parabens meu querido amigo, beijocas da Anya

foto perfil usuario kzdopass48es

kzdopass48es Comentou em 23/11/2016

Que delírio! Atolaria minha cara nesses peitos, bunda e xana até ela gozar! A pica, seria uma outra etapa da foda! Betto




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


89203 - Prêmio em Espécies - Categoria: Traição/Corno - Votos: 29
89425 - Quero lhes contar um segredo - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 27
89578 - No Refugio do Quarto - Categoria: Incesto - Votos: 15
89579 - Grávida pelo noivo de minha filha - Categoria: Incesto - Votos: 37
89894 - Um sultão : minha filha e três mulheres mais. - Categoria: Incesto - Votos: 27
90258 - Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e - Categoria: Heterosexual - Votos: 13
91652 - Meu Compadre me Engravidou - Categoria: Traição/Corno - Votos: 22
92531 - Esposa Compartilhada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
93467 - MÃE DE MEU NETO - MEU RELÓGIO BIOLÓGICO NÃO PARA - Categoria: Incesto - Votos: 9
96052 - As Chinelas de minha sogra - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 10
96271 - Meu chefe substituiu meu marido - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
98147 - Mãe fica gravida do próprio filho - Categoria: Incesto - Votos: 12
98760 - Me descontrolei e dei, isso não podia ter acontecido - Categoria: Incesto - Votos: 29
98832 - Um Enorme Instrumento - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
99257 - Tenho um segredo: Comi minha mãe - Categoria: Incesto - Votos: 18
99914 - Por Fim Penetrei Minha Mãe - Categoria: Incesto - Votos: 10
100810 - A MASTURBAÇÃO DE UMA MÃE - Categoria: Masturbação - Votos: 10
101402 - Infidelidade Consentida - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
102351 - Uma Noite Inesquecivel - Categoria: Incesto - Votos: 15
104830 - MÃE FAMINTA, EXCITADA E APAIXONADA - Categoria: Incesto - Votos: 16

Ficha do conto

Foto Perfil apeduardo
apeduardo

Nome do conto:
Olhares

Codigo do conto:
92337

Categoria:
Incesto

Data da Publicação:
23/11/2016

Quant.de Votos:
10

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


casada domestica gravida dormindo mostrando seu corpo tesudocontos gay na pescaria com os padrinhossacanagem em quadrinho erotico pai fudedo com a sua filhaconto de sexo aventura. de cornoPorno contosporno mae se Engravidar do meu próprio filhocontos cdzinhascontos eroticos chupando a rola do novinhowww.conto erotico cumendo o cu virgem da mulher do enpregadoconto erotico de sogra gostosaporno de cunhado e cunhadaconto erotico com foto isso que e gosta de ser cornoComtos erotico putinha."corninho fala"video dando o cu deitada de brucos gritando de dorpapai descabačando fililha hertaiincesto porno/mamae no quintal estendendo roupacontos eroticos gay masculino menino com cowboyjanaina meu sogro tem. pauzaoContos eroticos minha esposa tem um rabaoquadrinhos reais moleque comendo a coroa pornohq eroticas peofessoras com muleque2017 as delícias do incesto quadrinhos caseirosmeu marido tem uma pissa muito grande nao consegue imtruduzir na minja conaminha esposa nao restiu uma rola enorme eu tambem nao resistiContos eróticos abusando do cu apertado da esposa a forçaPorno lesbicas doiidaacontos eroticos amor profundoconto erotico andrelinoquadrinho erotico carlos zefiroContos eroticos de comi minha vónovinhas sendo a********* por monstros de Picão contos eróticosconto erotico gey com foto o pedreiro negãocomeu meu cuzinhoconto erotico titiocontos eroticos tio dormindo e sobrinha rabuda chupa seu pau de 25cmconto porno mulher gosta pau 25cmContos eroticos adolecente espiando trvavestiwww.conto camionero meteno .com.brfilmes hentai porno onde mulher e disputadas em corridas de carroEu e papai conto eroticocontos eroticos de submissa vendidacontos eróticos lesbicos Edna e Sôniaconto de incesto de pastor estrupado de 2017contos eroticos - minha esposa na saunaContos eroticos minha filha minha iniciaçaoconto buceta filhaconto a entrevista de emprego com a coroaeu lia conto erotico de cornocontos eroticos vovôs com netoscontos eroticos gay putinhacontos porno violentadasgozando na mamae quadrinhoContos e fotos de tias e sobrinhos pauzudoscontos Chantageado por um Coroaminha tia lig pra minha e pede pra mim dormi na sua casa eu comi sua bocetacontos eroticos casadinha e o inquilino viuvocontos eroticos entre maes raspadinhas e nuas e filhos.Conto erotico me marido e mais uma mulherconto erótico c/ fotos meu cunhadinho me fudeu inteirinha gostosinhoa mulher do meu irmao contosSexo com o pai conto erotecocomeu a prima no mato porn mozcontos erotico presente. para esposasexo vovótarado por bunda gayconto eroticocontos erotico A Regiane o o cornocontos erotico cu sujoxvideos.com mobili a minha cunhada que mora na minha casaultimos contos sadospornô grátis só contos eróticos sogra cozinhacontos erticos meu filho come miha bucetachorei na vara de outro pro corno ver contoscontos eroticos gay intercâmbio host daddyhistoria com o'peão pauzudoxvideis 2017comi a minha tiacontos eroticos chego em casa vejo minha irma chupando minha mulherprima rabuda e ingenua 2!!contos eroticosconto erótico de gay dando o cu pra ubercontodebucetonavideos de cornos que chuupamcontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidovideo porno negao pintudo no medico urologistaEsposa sendo fodida por doiscontos eroticos enrabando a caipiraconto anal irmasqri bucetasnua na rua contofotos de cunhada dando pro irmao do seu namorado em quadrinhps eroticospai e filho rasgando o cu filha quadrinhoimitemos com a calcinhaconto erotico traindo meu marido com 3