Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e


Click to Download this video!


Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a ela

Me desnudo completamente. Abro a porta de minha casa, que dá para um corredor com apenas uma porta a mais. Bato a campainha na porta de minha vizinha e retorno, deixando minha porta aberta, e espero. Ouço minha vizinha dizer olá. Segundos depois escuto sua voz já dentro de minha casa dizer outra vez, olá. Sei que ela me procura, enredada na rede que estou tecendo e a atraindo.
Havia deixado todas as demais portas de minha casa fechadas, da cozinha, do banheiro, da sala, a única aberta é a de meu quarto. Estou de costas para a porta e consequentemente para ela, olhando pela janela cujas venezianas estão parcialmente fechadas, deixando apenas uma fresta por onde observo a rua, um andar abaixo. Escuto sua voz perguntando-se se estou bem. Sua voz está um pouco tremida, mas não de medo ou receio. Ela sabe meu nome, mas de novo apenas pergunta se estou bem, sem responder, apenas lhe peço que se aproxime, por favor.
Imagino que nesse momento uma sombra de duvida deve ter passado em seus pensamentos, deve ter pensado em seu esposo, em sua filha que sairá do colégio dentro de duas horas, mas esses pensamentos duram apenas alguns segundo, contudo para mim parecem eternos.
Escuto seus passos aproximando-se. Nesse momento meu coração se acelera e percebo como meu cacete vai inchando e endurecendo.
Ela se aproxima por trás e me abraça, diz que não acredita no que está acontecendo, mas suas mãos não param de acariciar meu peito, deslizando os dedos por meu peito sem muitos pelos. Seus lábios tocam minha nuca arrepiando-me, eu tento seguir impassível, mas isso é impossível, deixando-me à sua mercê, pelo menos até que todos os seus receios, que são poucos, tenham desvanecidos. Meu cacete já está completamente ereto, erguido como um monólito. Suas mãos agora se deslizam por meu torso, descendo até meus quadris. Pede-me que não me vire e nem abra as persianas, o que nos excita ainda mais. Escuto que ela está se desvestindo rápido. Sinto agora os bicos de seus seios em minhas costas, quando ela volta a me abraçar por trás, colando seu corpo ao meu. Sinto seus pelos roçando meu quadril e minha coxa, seu movimento é leve, quase em câmara lenta, mas as sensações que transmite são profundas e intensas. Sou pelo menos vinte centímetros mais alto que ela, assim, me frustra um pouco que não possa roçar em minha bunda a mata de pelos que cobre seu inchado monte de Vênus. Sua mão agora abandona meu quadril e busca meu membro. Sua mão desliza por toda sua longitude e ela sussurra em meu ouvido, que não é muito grande, mas que é muito grossa e que a fará sentir como nunca antes na vida.
Já não aguento mais e me viro e começamos a nos beijar, com intensidade, com paixão, com desejo. Nossos sentimentos são intensos, agarro um de seus seios, acaricio aperto e por fim me dobro para leva-lo à boca, comecei a chupar seu já intumescido mamilo, arrancando pela primeira vez de seus lábios um gemido de prazer.
Ela então me puxa para a cama, onde cai de costas, com as pernas escancaradas, mostrando-me sua suculenta e molhada xoxota. Eu me perco entre suas coxas, apropriando-me com os lábios de seus lábios vaginais, os grandes e pequenos e especialmente de seu clitóris, que pela excitação, já estava exposto, mostrando-me a intensidade daquela mulher.
Enquanto estou chupando e sugando suas intimas carnes, ela leva a mão à boca, tapando-a, evitando assim que seus gemidos sejam ouvidos ou mesmo que grite de prazer, ela tenta apaziguar seus gemidos, mas não é muito eficiente nisso, assim, puxa a colcha da cama e a morde, não pode se delatar, mesmo sabendo que não havia mais vizinhos por perto, já que éramos os últimos do corredor.
Eu beijo sua coxas, seus lábios, enfio minha língua em seu canal, acompanhado de um dedo, que introduzo até sentir a glândula em forma de amêndoa, próximo ao osso de seu quadril, na parte de cima do canal, bem ao final de meu dedo médio.
Ao acariciar esse local seu corpo se contorce em espasmos de prazer e ela sente o primeiro orgasmo, aperta minha cabeça com as mãos como se querendo que eu entrasse dentro dela a partir de aí.
Ela já está completamente lubrificada, seus fluidos escorrem por suas coxas e molham minha cama. Ela torce o corpo de modo que possa segurar e acariciar meu cacete, tentando de alguma forma retribuir o carinho que está recebendo de meus lábios. Eu leio em seus olhos que ela quer me chupar também, tanto que viro na cama de modo que adotamos um sessenta e nove, mas eu puxo seu corpo por cima do meu e abraço seus quadris, de modo que sua vagina fique exatamente na altura de minha boca e que ela não conseguirá sair dessa posição facilmente, suas pernas abertas, seus joelhos dobrados, apenas meu nariz estava fora da curva de suas nádegas e minha língua continuava martelando suas carnes rosadas e tenras.
Sua língua brinca com meu cacete, sugando e lambendo. Ele pulsa dentro de sua boca e ela aperta os lábios em torno do cilindro que penetra sua cavidade bucal, sua mão acaricia meus testículos, mas de pronto ela trava toda, deita sobre mim e sente mais uma vez um arrasador orgasmos chicotear seu corpo, tenta se libertar, mas estou aferrado em sua cintura imobilizando-a e sujeitando-a de modo que começa a soluçar e sem forças se deixa cair sobre meu corpo, entregue e extenuada pela intensidade de prazer que estava sentindo.
Nesse momento a retiro de cima de mim e a deito de costas na cama, suas pernas abertas, ela entregue, ajoelho entre suas pernas e aponto meu membro para a entrada de sua delicada flor. A glande abre os lábios e então empurro com decisão para dentro, penetrando-a profundamente. Ela estava tão lubrificada que parecia que havia um pote de vaselina dentro dela, tamanha maciez da penetração, que apesar de justa, devido ao calibre de meu cacete, apenas arrancou novos gemidos de seu peito e suspiros de suas entranhas. Rapidamente ela atinge novamente o orgasmo, dessa vez comigo dentro dela, seu corpo em espasmos de prazer, seus gemidos altos e eu continuo penetrando-a profundamente, segurando em suas nádegas para manter justa a penetração. Ela abraça meu pescoço, minhas costas, desliza as unhas por minha pele e por fim roga para que eu termine com o sofrimento dela, que a regue por dentro com meu prazer, pois ela já não tinha mais forças para continuar gozando daquela forma e intensidade.
Mas eu tinha outros planos, não queria terminar agora, queria manter aquele ritmo, pois o tempo era curto. Abandono seu corpo, seus olhos me fitam sem entender e se abrem surpresos, quando viro seu corpo e introduzo um travesseiro debaixo de seu quadril. Continuo acariciando seu corpo, meu membro completamente babado por seus fluidos, que recolho com a mão e deposito em seu ânus, ela sabe o que vai passar, vira sobre os ombros e apenas diz:
- Seja carinhoso.
Posiciono a glande naquele buraco enegrecido em forma de asterisco, nossos fluidos são os lubrificantes naturais, pressiono até que a cabeça desliza para dentro daquela bunda tão desejada.
Vou empurrando devagar, enquanto ela tenta abrir um pouco mais as pernas e leva as duas mãos, uma a cada nádega e as abre facilitando assim minha tarefa. Por fim estou totalmente dentro dela, mas dessa vez pela bunda. Meus movimentos são lentos, não quero machuca-la, meu calibre é muito maior do que está acostumada. Vou acelerando, minha mão acaricia sua vagina, fornecendo um toque a mais, uma excitação a mais, meu lábios em sua nuca, beijando lambendo e por fim, quando sinto que o prazer se aproxima e que em segundos estaremos os dois gozando, então, mordo e seguro sua nuca como um garanhão faz com sua potranca, com os dentes, não quero marca-la, mas foi como se uma corrente trespassasse nossos corpos e ela então gritou o prazer e eu me derramei completamente dentro dela, meu sêmen escorre de dentro de sua bunda, quando meu membro abandona suas carnes tenras.
Meu relógio de pulso soa o alarme, eram onze e meia da manha, eu apenas disse:
- Está na sua hora.
Ela rapidamente se levanta, veste a calcinha e o vestido, ajeitando-o na cintura com um movimento de mãos e sai correndo, deixando minha porta e a porta de sua casa abertas.
Eu me levanto, enrolo uma toalha na cintura e puxo sua porta fechando-a, atravesso o corredor e fecho também a minha, enquanto me dirijo ao banho, onde lavo todas as marcas dos acontecimentos daquela manhã.
No dia seguinte, por volta das oito da manhã, escuto leves batidas em minha porta. Quando vou atender não havia ninguém no corredor, apenas a porta de sua casa aberta. Sem pensar muito, fechei minha porta e atravessei o corredor. Entrei em sua casa, todas as portas internas estavam fechadas, exceto a de seu quarto, mera coincidência.
Parei no umbral de seu quarto ela estava de costas, nua olhando a janela que dá para o pátio interno:
- Tudo bem com você perguntei?
Ela se virou e disse:
- Agora tenho dois maridos, venha e tome posse do que agora também é seu.

Foto 1 do Conto erotico: Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e

Foto 2 do Conto erotico: Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e

Foto 3 do Conto erotico: Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e

Foto 4 do Conto erotico: Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario kzdopass48es

kzdopass48es Comentou em 10/10/2016

Esse encontro foi a união da fome com a vontade de comer! Perfeito! Betto

foto perfil usuario dibinhocarinhos

dibinhocarinhos Comentou em 09/10/2016

Amei tudo, mais ainda as fotos, faltou passar um barbeador no rabinho que estava peludinho. Mas uma delicia.........os seios são maravilhosos..............bicudos.............................amei...............

foto perfil usuario anya

anya Comentou em 09/10/2016

Eu já era sua fã em seus trabalhos anteriores, quando voce saiu e excluiu seus contos, ficou como um vazio nesse site e agora voce volta com tudo e mesmo num conto como esse consegue passar a intensidade e o prazer, mesmo sem explicar bem como tudo começou, o que disparou essa furia desses dois protagonistas, nossa é como uma explosão de adrenalina, voce consegue arrepiar todos os pelos do corpo.

foto perfil usuario silverprateadosurfer

silverprateadosurfer Comentou em 09/10/2016

que delicia, que intensidade, voce se supera a cada conto, adoro seu trabalho, mesmo na simplicidade voce é intenso em seus contos. Parabens




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


89203 - Prêmio em Espécies - Categoria: Traição/Corno - Votos: 29
89425 - Quero lhes contar um segredo - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 27
89578 - No Refugio do Quarto - Categoria: Incesto - Votos: 15
89579 - Grávida pelo noivo de minha filha - Categoria: Incesto - Votos: 37
89894 - Um sultão : minha filha e três mulheres mais. - Categoria: Incesto - Votos: 27
91652 - Meu Compadre me Engravidou - Categoria: Traição/Corno - Votos: 22
92337 - Olhares - Categoria: Incesto - Votos: 10
92531 - Esposa Compartilhada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
93467 - MÃE DE MEU NETO - MEU RELÓGIO BIOLÓGICO NÃO PARA - Categoria: Incesto - Votos: 9
96052 - As Chinelas de minha sogra - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 10
96271 - Meu chefe substituiu meu marido - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
98147 - Mãe fica gravida do próprio filho - Categoria: Incesto - Votos: 13
98760 - Me descontrolei e dei, isso não podia ter acontecido - Categoria: Incesto - Votos: 29
98832 - Um Enorme Instrumento - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
99257 - Tenho um segredo: Comi minha mãe - Categoria: Incesto - Votos: 18
99914 - Por Fim Penetrei Minha Mãe - Categoria: Incesto - Votos: 10
100810 - A MASTURBAÇÃO DE UMA MÃE - Categoria: Masturbação - Votos: 10
101402 - Infidelidade Consentida - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
102351 - Uma Noite Inesquecivel - Categoria: Incesto - Votos: 15
104830 - MÃE FAMINTA, EXCITADA E APAIXONADA - Categoria: Incesto - Votos: 17

Ficha do conto

Foto Perfil apeduardo
apeduardo

Nome do conto:
Minha vizinha casada me deseja tanto quanto eu a e

Codigo do conto:
90258

Categoria:
Heterosexual

Data da Publicação:
09/10/2016

Quant.de Votos:
13

Quant.de Fotos:
4


Online porn video at mobile phone


eu conto peguei o meu cunhado cheirando a minha calcinhaconto erotico minha namorada dançando forro com meu tiocontos eroticos de sissy passivascontos de cornos bicontos porno inversão e chuva dourada minha namorada troxe se amigo roluda para casa contosmarido escutando gemidos da mulher escondidover contos eróticos transei com minha sogra taradaconto erotico jumentoIncestos com vovô e papaicontos eroticos de lactofiliaconto de uma putaconto gay -o gordinho rabudo novinhoconto gay com fotos a boquinha do meu filhocontis eroticos vi meu sobrinho comendo sua irmacontos eroticos andando de moto sem calcinhaConto penis medio do professorwww.sogro pauzodo comendo cu da noradoce nanda conto eroticogozando na buseta da sograconto me masturbo bastante minha xotacontos de corno acampandoMassajems iroticas contosContos eroticos emprestando a esposaconto erotico evangelica peitudaconto erótico maridoconto eroticos fodadosexofotos amadoras porno lucia gordinhaconto erotico apostei minha namoradaeu e a tia evangelica casada da minha esposa conto eroticocasais bi contoMinha mãe transava na minha frente contoserotismo contoscontos heroticos hermafridita quadradinhoscontos de pai pausudo gosador n cu de filhoabri as pernas da Amadora e botei o pau todo na buceta delaamigo do meu marido en caza contos eroticosconto erotoco dei meu cu e minha buceta para pagar a compracontos eroticos comendo uma carcereiracontos com cinco ano dei bucetacomercuegostosowww conto erotico gay de vizinho e vizinho com brultimos contos sadomazoquistaporno historias em quadrinho teste para filme porno contoestruprei minha mae e minha tia contiscontos eroticos contratei gay me arrependiconto gay meninode calcinha e o vizinhoconto gay espalhouwww.fotos porno das velhas bem goatosas dando .com/vai novinhaObrigeui mey filho me come conto eroticoconto erotico dona de casaFui enrabado pelo faxineiro hentai gay hq gaycontos erotico no trem lotadomulher gorda e marido e amigo abrino cu d espisaRelatos de esposa puta bunduda que gosta de trepar com outros e chamar o marido de corno mansocasa dos conto erotico sogro engravidando noradei para um mendigo com camisinha conto eroticoconto erotico perfil usuario ....sou mulher spwww.quadradinho erotico.com/quadrinhos zoofilia.cfmconto titiocomeu meu cucontos eroticos, quase nao aguentei pous eta muito grandeContos gay pau pequenocontos eroticos com fotos a tara do corno ver o negao arombar o cuzinho da sua esposaeu levei minha filha pro motel pra eu fuder o cu virgem da minha filha conto eroticoxvideos espiadinha na manaCónto erotico meu sogro comeu eu eminha sogra e nos bateuFoda na mae dopada contosconto incerto o dia em que peguei minha própria mãe transando com meu filho[email protected]revista explicita contos eróticosContos eroticos,mendigo m estrupou virgem e chorei