QUEM AMA O FEIO...


Click to Download this video!


Minha cidade é famosa pelos bondes. Até hoje. Foram ressuscitados no Centro.
Não me esqueço dessa história porque marcou minha vida futura. Preciso descrever em detalhes por que foi muito importante.
Adolescente, eu ia para a escola de bonde, aqueles que correm sobre trilhos, no meio da cidade. Na época era quase o único meio de transporte. Não lembro de outro.
O bonde era aberto, daqueles que os idosos e senhoras viajavam sentados, e os homens e jovens, nos estribos, quase fora do bonde. Se chovia, éramos castigados pela chuva e vento. Quando o bonde enchia não havia jeito: ficava um por cima dos outros no estribo lotado. O bonde percorria toda a orla longa da praia, uns oito quilômetros. Nesse dia eu estava voltando da cidade do lado da minha. Eu tinha ido fazer uma prova da escola diferente, que não importa para o que quero contar. Só lembro que o bonde era preto, aberto e que, para se segurar no estribo, era preciso se agarrar em laterais externas, uma barra de ferro que descia de cima a baixo, nas laterais de cada entrada para os bancos, que permitia se manter seguro e firme na viajem. Não sei se compreendem. Coloquei meu material de escola embaixo de um banco, autorizado por um senhor que sentava no banco acima, me segurei naqueles canos laterais, seguindo viajem. O bonde lotou, não havia mais espaço, de modo que, por fora do bonde um homem se amontoava sobre o outro. Eram sempre homens, pois as mulheres e idosos tinham preferência lá dentro. Eu adorava aquilo, pois podia sentir os paus dos homens me roçando a bunda, me encochando, essas coisas de adolescente que gosta de macho, mas não tem consciência, ainda. Adorava aquelas situações. O bonde lotou e as pessoas se aglomerando penduradas para fora, os corpos só podiam se tocar. Encostado em minhas costas, um cara me encoxava de forma involuntária e louca, pois faltava espaço. Aquele pau se acomodava no meio do meu rego, ambos os corpos cobertos por uma calça de tecido leve, comum na época, me deixavam bem satisfeito. O rapaz não sabia mais o que fazer para se manter distante de mim, mas ao mesmo tempo me dando um prazer gostoso de pau encaixado na bunda. Gostoso demais. Era uma pica razoável e grande. No decorrer do trajeto, pelas sacudidas do bonde e encaixado no meu rego, aquela piroca foi dando sinal de vida e engrossando. Quanto mais o bonde enchia mais ele se grudava em mim. E a pica engrossando. Ele se voltou para mim e pediu desculpas pela situação. Eu dizia que não se importasse. Olhei para trás e vi, pela primeira vez, o rosto do rapaz. Um cara feio, magrelo, cheio de sardas, quase sem sobrancelhas, lábios finos, olhos afundados nas olheiras fundas, cabelo curto. Feio demais. Mas aquele pau grande e gostoso sarrando minha bunda estava muito bom. Por coincidência descemos no mesmo ponto de parada e ele, educado, me ajudou a pegar meu material de escola, colocou um braço sobre meus ombros e perguntou: - Vai para onde? Indiquei a direção. - Quer me acompanhar até minha casa? Não fica longe daqui, não. Ele disse isso com uma voz grossa e mansa. Olhei para ele assustado, mas apenas vi um sorriso largo, branco, ingênuo, sincero e lindo naquele rosto que era bem feio. Reparei que o volume da calça dele estava bem grande. Cedi aos seus pedidos e o acompanhei para um sobrado de dois andares, perto dali.
A casa humilde, meio deserta e vazia, tinha dois andares e alguns cômodos na linha da rua. Fomos para um desses cômodos baixos. Apesar de genuinamente ser um cara bem feio seu sorriso era avassalador e autentico. Ele convencia só por aquele sorriso.
Bastante cortês, reservado, tímido e delicado, era assim aquele homem que me surpreendia a cada gesto. No quarto bem pobre e simples, me fez sentar em uma cama de solteiro, limpa, asseada e discreta, se colocou ao meu lado e perguntou:
- Será que posso abraçar você? Fiquei com vontade de ir adiante naquilo que começamos no bonde. A voz rouca, grossa e mansa convencia tanto quanto o sorriso.
Dizia isso massageando discretamente sua rola, ainda volumosa e aparentemente grande. Aproximou aquele rosto feio de minha boca e me deu um beijo tão gostoso que quase me fez desfalecer de prazer. Suas caricias nas minhas costas só faziam aumentar meu desejo, e vinham sempre acompanhadas da leveza suave de suas mãos, lábios, cheios de ternura. Me abraçou esfregando, de maneira meiga e educada, aquele volume gostoso no meu corpo. Como era grande e grosso. Entreguei-me aquele beijo e abraço, sentindo aquele membro querendo espaço. Sem se afastar do beijo, tirou sua camisa, tirou a minha, arrancou minha calça e a sua, e deitou-se sobre mim esfregando seu corpo excitado sobre o meu mais excitado ainda.
Bonito lhe parece...
Feio ele era. Por fora. Por dentro já se transparecia de uma beleza enorme.
Seu corpo era maravilhoso, magro, barriga trincada, pernas longas e uma bundinha magra, porém arrebitada. Um ‘falso’ feio. Na cueca eu percebia uma piroca tão gostosa que minhas maiores fantasias não se igualavam. Grossa, grande e babando. Numa pequena fração de segundo, mas sem antes impedir minha excitação, tirou as duas cuecas e se apresentou: cercada de pelos negros apareceu um rola cabeluda, cabeça vermelha, cheia de veias salientes, não muito grande mas grossa. Colocou essa pica entre minhas pernas e me acochou inteiro. Os olhos dele suplicavam algo muito forte, como o direito de sentir prazer, de ser bonito apesar de feio, de desejado, de satisfazer o prazer de outro como desejava ser satisfeito, de um lugar no universo dos belos como eu era, ao menos na adolescência da época. Era um feio abrindo espaço em um mundo que, sabia, seria difícil para ele. Queria apenas seu espaço mais que justo. Humilde. Eu já estava entregue. Ele, ainda não. Sofregamente, desejando meu corpo, me deitou de bruços, abriu minhas pernas e, com uma delicadeza enormemente deliciosa, passou um pouco de saliva no seu pau e no meu cu, direcionou a cabeça daquela pica dura e tesa, e lentamente foi enfiando. Como era delicado aquele cara. Sem forçar foi penetrando, penetrando, até que já estava todo dentro de mim. Urrei de dor e prazer. Era tudo o que eu queria. Instintivamente, com as mãos na sua bundinha magra, segurei seu corpo contra o meu e deixei espaço para aquele macho gostoso. O vai-e-vem natural daquele pau gostoso dentro de mim, seus gemidos em meus ouvidos, seus beijos ardentes na minha boca, arfando com uma delicadeza selvagem marcou minha vida. Suas bolas cheias batiam na minha bunda com tanto tesão que não pude resistir: gozei fartamente. Ele gozou igualmente. Foi delicioso para ele e delicioso para mim. Cansados desfalecemos um ao lado do outro, sem antes deixar seu pau amolecer dentro de mim, e sair naturalmente. Era tudo delicado e meigo naquele rapaz.
Aquele momento sempre me foi mágico, nas memórias. Depois desse dia, voltei a sua casa várias vezes. Queria sentir aquele homem dentro de mim outra vez. E outra vez. E ele sempre da mesma forma humilde, discreta, meiga e deliciosa. Feio como nunca. Sempre me comia da mesma maneira como daquela primeira vez. Jamais foi lindo, jamais deixou de ser feito. E, jamais foi MENOS gostoso. Amei aquele cara. Trepávamos todas as semanas. Amo esse tempo.
Até que ele se mudou e perdemos contato. Nunca mais saboreie aquele macho tão gostoso. Publico uma foto de corpo semelhante ao dele.
Desculpas por ter ficado longo. Comentem, por favor.
Foto 1 do Conto erotico: QUEM AMA O FEIO...


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario pedrosuli

pedrosuli Comentou em 07/08/2016

Nossa... meus parabéns, sua escrita é impecável, e o texto me atiçou tenho de admitir, foi uma leitura maravilhosa, excitante!

foto perfil usuario olavandre53

olavandre53 Comentou em 28/03/2016

Ficou na medida o seu conto. Parabéns. Votei. Bjus

foto perfil usuario iuri

iuri Comentou em 13/01/2016

Parabéns pela escrita,adorei as descrições e singelesas no geral. Concordo com o comentario do nosso amigo, não ficou longo, mas gostoso.

foto perfil usuario hunter50

hunter50 Comentou em 09/01/2016

Nao ficou longo...ficou delicioso...valeu..




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


26406 - O ELETRICISTA INICIANTE - Categoria: Gays - Votos: 25
26407 - O ELETRICISTA INICIANTE 2 - Categoria: Gays - Votos: 21
26451 - Por acaso? Ou mensagem corporal? - Categoria: Gays - Votos: 8
26510 - Internação Hospital - Aquele Técnico - Categoria: Gays - Votos: 7
26760 - Fazendeiro e vaqueiro bem safados - Categoria: Gays - Votos: 14
26845 - FRAGMENTOS SEXUAIS - Categoria: Gays - Votos: 4
27028 - MENINO DO SITE - Categoria: Gays - Votos: 6
27555 - Fazendeiro vaqueiro safados e chefe de peões. - Categoria: Gays - Votos: 6
60319 - VOLUME E PEGADA - Categoria: Gays - Votos: 8
64005 - O GarotoHomem Galego e dotadaço - Categoria: Gays - Votos: 7
74583 - Sexo de macho muito jovem - Categoria: Gays - Votos: 9
76041 - A primeira vez e o pau era descomunal O Pai - Categoria: Gays - Votos: 14
76049 - MUITO TESÃO COM UM PAU GRANDE - Categoria: Gays - Votos: 8
76129 - O Filho - Categoria: Gays - Votos: 5
76598 - CHUVA DE VERÃO E SEXO DE MONTÃO - Categoria: Gays - Votos: 7
77325 - O Amigo motoqueiro do passado e do presente - Categoria: Gays - Votos: 2
79636 - Joaquim pauzudo, insaciável e cheio de tesão. - Categoria: Gays - Votos: 11
80843 - RAPAZ DA PICA ROMBUDA - Categoria: Gays - Votos: 7
83979 - VOLUME E PEGADA - Categoria: Gays - Votos: 6
88111 - O BOY CAMAREIRO GOSTOSO DO HOTEL - Categoria: Gays - Votos: 4

Ficha do conto

Foto Perfil coroaaventura
coroa.simpatico.aventura

Nome do conto:
QUEM AMA O FEIO...

Codigo do conto:
76885

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
06/01/2016

Quant.de Votos:
10

Quant.de Fotos:
1


Online porn video at mobile phone


xvideo carona e ficou zangadaconto chupando amigo maconheiroconto erotico meu pai me ensinou a ser machoTranzei com meu filho mozcontos eróticos sobre cunhada bucetudaultimos contos sadocontos eroticos meu tio me embebedou e me chupou eu dormimdocontod eroticos virgem novinha dez anosConto de puta vadia vivendo com um estupradorincesto pai tira virgindade da filha quadrinhosContos eroticos incesto casos reais pag 136Continuaçao do conto erotico minha esposa disse pra eu fuder o cu virgem da minha filha no motel contos casada e a vizinha dando e tomando porrahq porno gayConto erotico a promocao da esposacontos dona rose maloqueiro doido por gay passivo contohipnotismo meu filho contos pornovideo porno coroa amandura amandoContos eroticos empregada do vizinho parte 11conto erotico gay ultimosCont erot virgemkomik xxxfotos de mulheres tirando a roupa euporcimacontos heroticos mi ha esposa e desconhecidofotos de heteros com o pau duroconto erotico edna costureiracontos gay cheiro de picaconto erotico comi o recepcionista da pousadaconto gay cu cheirosocontos eroticos csada dando a força/para/dotado e acabou virando uma puta/perto do maridoconto pornoContos eróticos de cornos com dotadoscanto erotico olhando vizinha banhadomomms teaching em quadrinhos pornonovinho fazendo sexo com barbeiro contos gaycontos-eroticos-afilhada-padrinhocom fotoputinha bundinhaponor da travertil da bundona maior di todo mundo I do cu mais glandi e gostozooh familia 8 parte 4 hentaileitinho do papai contos inocentecontos eroticos de homem transando com o padrinho militarexcesso de mulheres gostosas se exibindo fazendo esposa de vestido curto transando sem sala gemendo na pica deleFiquei viuva meu amigo veio na minha casa eu disse pra ele me fuder na minha cama conto eroticodoce nanda contos eroticosesposa conta para o marido que seu amante vai fuder ela na frente do corno e ele vai só olha e depois ele vai chama uma amiga travesti para fuder ela também e depois vai transformar o corno no maior viado e ainda vai comer seu cuzinhocontos heroticos gay meu tio de dezessete me comeu a forca quando eu tinha oito anoscontos de tias gostosa com bucetas cabeludas grisalhosprofessora bunduda2 quadrinhos eróticoscosta [email protected] hotmail.frcunhadoviadoconto gay irmaos gemendo no pirocao do irmao c fotocontos de sehoras coxudas que deram o cucontos eroticos reais dividindo o quartode hotelconto erotico esposa bebadaVai como vai sua putinha contosclimax conto eroticocontos eroticos viciei no leite docontos eroticos gay chupador de cuObrigeui mey filho me come conto eroticoquadrinho porno gayconto eroticos mulheres que coloca chifrescrossdresser bundaFio dental madrasta contoscontos masturbei minha amig na sala de aulasexo prazeroso. loira corpo gostoso mamae. coroa deu bucetinha pro neguinhoxxvideo mobile seios arrepiadoconto erodico de madriaconto erotico o medicoconto erotico transex sexo pegou boy novinhoporno conto erotico abusdo pelo tio e pelo cavalono carnaval conto eróticoconto erotico gay banheiro publicoContos eroticos com coroasConto eroticos papakucontos avo chupando a netag magazine matheus mazzafera fotosconto erotico angelica dei pro amigo do meu maridocontos eroticos homens fudendo vendedor ambulante na praiaconto erotico gay viado safado procura piroca no carnaval na lapacu cheio de leite pro corno contoscastidade pintinho conto eroticoconto comendo rabudacontos eroticos de meninas crentes violentadas.