Um macho de verdade fez o meu cabaço


Click to Download this video!


Corpo do conto
O Meu massagista do clube acabou me seduzindo e perdi a virgindade 1ª parte
Primeiramente vou deixar claro que meus contos são longo e detalhista, portanto se tu gostas de algo mais direto, não perca teu precioso tempo... podes ficar aborrecido...
O que vou relatar aqui aconteceu há muitos anos atrás. Precisamente quando estava em minha plena adolescência, aos 18 anos…
Eu treinava atletismo num clube de São Paulo, minha modalidade era corrida de longa distância… Estava treinando para os Jogos Pan Americanos que iria ocorrer na Argentina.
Três vezes por semana treinava depois de minhas aulas do Colegial. Saia do Colégio Presidente Roosevelt na Liberdade e ia ao Clube, o qual fica ao lado do Anhembi. Meu treino consistia em primeiro, um aquecimento e depois, corria 11mil metros. Depois disso ia para o ginásio onde havia os equipamentos de halterofilismo e malhava um pouco. Essa era a nossa rotina de treinamento. Certo tarde, um amigo me perguntou se eu estava indo fazer massagem depois do treino e eu lhe respondi que não e, nem sabia onde poderia ser feito. Ele comentou que já freqüentava o massagista do clube há um bom tempo e perguntou se eu não gostaria também de ir lá. Achei interessante e marcamos de ir depois de nosso treino, então. Terminado o nosso treino, fomos tomar uma ducha e depois ele me levou até o local onde ficava o massagista. Chegando lá me apresentou. Era um senhor de uns 40 anos mais ou menos, negro, forte e com uma pequena barriga a despontar…. Ele começou a receber os seus 50 minutos de massagem enquanto eu, sentei-me numa cadeira ao lado e conversávamos descontraidamente. Quando foi a minha vez, o massagista trocou a toalha e pediu para que eu deitasse na mesa de massagem que meu amigo acabava de sair. Logo que me deitei de bruços, começou a fazer uma boa massagem de relaxamento muscular. No início, sentia muitas cócegas, por isso ríamos muito descontraidamente, mas com o tempo fui acostumando. Nesse dia, terminada a sessão, o massagista perguntou se eu desejava marcar hora, para os outros dias e assim o fiz. Portanto, após os meus treinos uma vez por semana passei a freqüentar o massagista.
No começo não percebi nada demais, mas depois de um certo tempo, comecei a percebei que ele dedicava mais tempo a massagear as minhas coxas e nádegas. Mas até aí, tudo normal! Afinal eu malhava duro, tanto na corrida como na academia, nada melhor que uma massagem desse tipo para proporcionar um bom relaxamento muscular… Numa das sessões ele comentou que eu tinha as linhas do corpo bem delineada e apesar de um complexão magra, tinha minhas nádegas bem destacadas (daí o porque de meu apelido na infância de pneuzinho, por ter uma bunda arrebitada, ou melhor saliente pra meu corpo magro). Ele havia tocado em meu ponto crucial! Isto, sempre foi a minha dor de cabeça, pois os amigos, na escola, viviam me enchendo o saco e fazendo aquelas brincadeiras bobas de querer passar a mão, etc.. Alguns, até mais atrevidos, quando em pé e conversando em rodinha, vinham por trás e se esfregando em minha bunda, diziam: — E aí cara, quando é que você vai liberar essa bundinha gostosa pra mim, hein? Tô louco pra deixar uma meleca nela…e outras frases do tipo; coisa de moleque no início da adolescência! O que me deixava puto!!! Mas, nessa tarde, achei um comentário normal por se tratar de meu massagista. Não vi maldade ou segundas intenções em seu comentário. Mas de qualquer forma não tinha me agradado…
Certo dia, quando já estávamos quase a um mês dos jogos Pan Americanos, ele comentou que iria ter um treinamento especial em um bairro da zona norte da Sampa, o qual não me lembro agora. Ele foi convidado para participar como massagista. E perguntou se eu não gostaria de participar também. Então, eu perguntei se era necessário fazer inscrição. Ele disse que não, pois não se tratava de nada oficial. Que eu poderia ir e, depois do treino, como era próximo de sua casa, a gente poderia ir lá que ele me faria uma sessão de “massagem especial”! Essas últimas palavras o disse de uma maneira bem pausada. Pensei, cá comigo…“massagem especial”, Hum? Mas, mesmo assim, topei a parada! Nem de longe maliciei a sua fala, pois sendo eu, hétero, estava longe de pensar em qualquer outra coisa… E, ele continuou fazendo a sessão de massagem. Mas, nessa tarde, ele demorou-se um pouco mais em minhas coxas e nádegas, o que me fez relaxar demasiadamente e acabei cochilando na mesa de massagem do clube… Quando despertei, meio confuso, percebi que ele estava sentado me olhando de uma maneira compenetrada. Levantou-se, então, aproximando da mesa, pediu para que eu ficasse de barriga para cima e começou a massagear minhas coxas na parte da frente. Mas, notei que ele esfregava-se em meus braços constantemente e pude perceber que estava um pouco excitado; o que achei natural, pois eu quando menos esperava o ficava também. Isso me ocorria no ônibus, na escola, enfim em todos os lugares. Pensei: Ele deve estar pensando numa mulher gostosa enquanto, está aí, fazendo seu serviço… Bom, terminada a sessão, marcamos então, para se encontrar nesse tal bairro onde iria ter o treino. E no dia e hora marcada, lá estava eu, era um sábado! Eu não estava muito a fim de participar, porque treinava todas as segundas, quartas e sextas. Portanto havia acabado de treinar no dia anterior e estava um pouco cansado. Resolvi então, ficar observando o treino do pessoal e a dedicação do massagista, no que se dizia a assistência técnica. Mais ou menos às 14 horas terminou o treino e então fomos para a sua casa. Durante o percurso ele comentou que sua esposa havia viajado, mas que ela havia preparado um bolo muito gostoso para comermos no lanche da tarde. Assim que chegamos à residência, ele abriu o portão passamos pelo jardim da casa e entramos na sala. Fechada a porta, ele perguntou se eu gostaria de tomar um lanche primeiro, ou fazer a massagem? Eu optei, primeiro, pelo lanche. Ele pôs a mesa e tomamos um delicioso café com leite e bolo. Realmente, este, estava uma delícia. Conversávamos descontraidamente sobre o evento e minha atuação nos treinos, pois ele vinha acompanhando, pois iria viajar para a Argentina, como massagista oficial da equipe. Disse-me que a treinadora dona Rita, estava satisfeita com o meu performance e achava que teria chances de uma boa colocação no tal Campeonato. Enquanto conversávamos, percebia que sempre ele procurava tocar em alguma parte de meu corpo, ora nas mãos, ora nos braços, nos ombros ou nos joelhos e até mesmo nas minhas coxas. Mas tudo bem, continuava a não ver maldade ou segundas intenções…Terminado o lanche, ele falou que sua sala de massagem ficava nos fundos da casa, pois ele também atendia, lá, a sua clientela particular do bairro. Assim nos levantamos e nos dirigimos para esse local. Chegando lá, ele pôs uma boa música relaxante, pediu para eu me deitar sobre a mesa de massagem, que por sinal era muito mais gostosa do que a do clube. Tinha, até mesmo, um buraco para posicionar o rosto quando se ficava de bruços. E no chão logo embaixo da mesa havia um espelho pelo qual se tinha a visão da mesa e o teto da sala, bem como tudo ao redor podia-se ver de baixo para cima; o que achei engraçado. Por que haveria a necessidade daquele espelho, ali?? E perguntei a ele? Ele disse que ficar olhando para o chão, não tem graça e conforme o ângulo do espelho, a pessoa poderia ver o rosto dele e manter uma conversa legal. Achei muito bem bolado. Ele pediu um minuto para ir trocar de roupa. Quando voltou, estava com uma bermuda larga e de camiseta regata colada ao corpo, foi então que pude perceber que ele tinha o tórax bem definido. Daí então, ele pediu para que eu também trocasse de roupa e colocasse um shorts e ficasse sem camisa. Levantei-me e fui ao banheiro e troquei de roupa vindo só com o calção que usava nos treinos. Nisso, ele me deu uma olhada me medindo da cabeça aos pés e pediu para que eu deitasse apoiando minhas costas sobre a tal mesa de massagem, colocando uma espécie de travesseiro no local do buraco. Começou, então, a sessão de massagem, primeiro da parte frontal do corpo. Ele começou a massagear desde a minha cabeça, minha face, meu pescoço e ombros, coisa que nunca tinha feito no clube. Mesmo ele tendo suas mãos enormes, Podia sentir a leveza de seus toques nessas partes. Depois, veio para o meu peito massageou delicadamente. Quando se dirigiu aos músculos de meu abdômen, dedicou-se um bom bom tempo, neles!! Parecia saber ou ter uma intenção ali! Pouco tempo depois, senti a minhas tripas se mexerem e me veio uma vontade incrível de defecar!!! Pedi a ele para ir ao banheiro! Lá, caguei como nunca, parecia que estava soltando tudo o que, há muito tempo, estava lá dentro!! Uau foi uma sensação de alívio espetacular!! Estava aí, talvez, a razão pela qual ele demorou-se muito a massagear minha barriga! Eu, na realidade tinha um pouco de problema de prisão de ventre, e minhas fezes eram secas! Tanto que mal sujavam o papel higiênico. Esse massagista, realmente sabia das coisas!! Quando voltei a sala de massagem, parecia que tinha ficado mais leve, e me sentia muito bem!! Nisso, voltei a deitar-me na cama!! E, ele continuou a fazer a massagem, agora em minhas pernas… Nisso, ele comentou: Acho que você tem problema de prisão de ventre, não tem? Eu lhe disse que sim. Ele, e aí saiu tudo que tava aí dentro??? Eu, muito envergonhado, disse-lhe: — Puxa cara aquela sua massagem mexeu com minha barriga!! Ficou vazia, agora… Saiu tudo o que tava acumulado!!! Ele: —Isso é ótimo, para ambos!!! Eu: — Para ambos??? Ele meio que embaraçado, tentou remediar-se: — É…eu… Sabe? Se você não tivesse ido ao banheiro e soltado tudo, significaria que a minha massagem não teria dado resultado, entende??? Eu: — Ah, entendi! É verdade!! Mas, pode ficar tranquilo porque deu muito resultado! Tive a impressão de que ele deu um sorriso, aliviado!! Mas… Não me importei!!! Ele, então, voltou a fazer a massagem em minha perna e concentrar-se novamente. Percebia que ele estava atento a todos os seus movimentos. Fez muitas massagens diferentes em minhas coxas e aproximava-se muito de minha virilha. Confesso que fiquei preocupado em ficar de pau duro… coisa da juventude, entende? Mas, ainda bem que isto não me ocorreu! E assim continuou sua massagem indo para os pés, onde me fez uma senhora massagem em toda a planta e peito dos mesmos. Confesso que estava uma delícia… Realmente estava sendo uma sessão de massagem muito especial! Daí, ele pediu para que eu virasse de bruços e começou a massagear novamente os meus ombros e depois as costas. Os movimentos eram bem diferentes do que eu estava acostumado. Ele pouco falava, mas senti-o compenetrado. Observando pelo espelho que dava uma visão dele debaixo para cima. Às vezes, tinha impressão de que conforme ele se posiciona eu poderia até mesmo, se quisesse, olhar por baixo de sua bermuda, mas não era, essa, a minha intenção! De modo algum! Senti de repente que, algo, estava sendo derramado em minhas costas e lhe perguntei o que era. Ele prontamente me informou que se tratava de um óleo especial para massagem. Realmente tinha um aroma agradável e pude perceber, então, que suas mãos começaram a deslizar mais firmes sobre meus ombros, costas e laterais, bem como, massagear os músculos de uma maneira mais agradável. Nisso, percebo que ele começa a se esfregar demasiadamente em meus braços que estavam estendidos na direção de meu corpo, bem como, algo mais volumoso começava a me roçar… fiquei um pouco tenso, mas não em pânico! E continuei a curtir a massagem… daí, ele passou para as minhas pernas… Uau que delícia! Suas mãos pressionavam minhas coxas e barriga da perna fortemente e, devido ao óleo, deslizavam gostosamente… Depois de um tempo fui percebendo que ele começou a subir para minhas coxas e, nelas, dedicar um boa massagem e, às vezes, as pontas de seus dedos penetravam por baixo do meu shorts, tocando-me próximo da bainha de minha cueca, esbarrando, então, sorrateiramente na lombada de minha bunda e conforme deslizava suas mãos para o centro de minha coxa, tocava-me na região do períneo. Mas, acreditava que isso estava ocorrendo devido a compenetração e dedicação ao executar sua massagem. Mas, não me era tão desagradável, sentia, apenas, cócegas e mexia-me um pouco. Depois percebi, também, que ele sempre ao se movimentar em torno da mesa, procurava, embora disfarçadamente, esfregar seu pau, em alguma parte de meu corpo, ora do lado direito, ora do esquerdo. Daí, foi quando ele me falou: — Eu gostaria de massagear a sua bunda, mas como estou com as mãos de óleo, vai sujar o seu shorts e cueca, pode abaixá-lo um pouquinho para mim?… Fiquei sem saber o que dizer! Pensei: — como ele já vinha mesmo fazendo massagens nela, lá no clube, para relaxar os músculos do glúteos, achei que não haveria problema; E depois de uma certa hesitação e, meio sem graça, resolvi abaixar apenas uma parte dele. Nisso, ele comentou: — Poderia abaixar mais um pouquinho, até a altura dos joelhos? Eu realmente fiquei acanhado, mas assim o fiz! Feito, puz-me a pensar: eu deitado aqui, de bunda pra cima, com o calção arriado e um homem a massagear minha bunda, para mim, é algo de inédito e até mesmo estranho! Estaria, eu, passando dos limites?? Estaria sendo meu ato, demasiado arriscado?? Estas divagações fez-me sentir um certo temor por alguns instantes, pois era a primeira vez que me via nessa situação diante de um homem… mas resolvi afastar esse tipo de pensamento de minha mente, afinal de contas, ele era o meu massagista! Nesse instante, pela primeira vez, senti suas grandes mãos tocarem na minha bunda nua. Mas, assim que ele começou a fazer a massagem, meu temor se espaireceu, pois estava me proporcionando um prazer jamais sentido!! Os movimentos eram muito diferentes e gostosos. Depois de um certo tempo pude perceber, olhando pelo tal espelho, que sua bermuda estava com a “tenda” armada. Daí sim, comecei a ficar tenso! E ele comentou: — Agora, é que vou começar a fazer-lhe uma massagem “muito especial” (dito de uma forma muito insinuante e pausada) que você jamais irá esquecer! E começou a massagear de forma muito sensual a minha bunda… Através do espelho, percebi também, que me comia com os olhos e passava sua língua pelos lábios, com sensualidade… Não sei o que estava acontecendo comigo, mas não tive nenhuma reação para impedir seus movimentos e, nem se quer, as suas intenções! Que na alturas dos acontecimentos começavam a ficarem nítidas!! Eu parecia que estava dopado por aquela forma dele massagear minhas nádegas. Num certo momento, percebi que parte de seus dedos começaram a percorrer também o meu rego.. e ele emitir um certo som com a boca, este, típico de quando você está excitado. Embora tenha ficado apreensivo, senti uma espécie de arrepio intenso percorrer o meu corpo, aquilo tava começando a me deixar também, excitado! Mesmo não tendo, se quer, a intenção! E, assim foi aumentando os toques em meu rego e passando sobre meu ânus até chegar no início de meu saco… a minha excitação começou aumentar e eu estava me desconhecendo. Não queria aceitar está minha inércia! Ao som de uma música relaxante, um ambiente tranqüilo, uma atmosfera duvidosa… tudo pertinente para que fosse quase que impossível uma resistência de minha parte! E nesse ambiente eu fui ficando cada vez mais excitado! Fato, este, que me causava um certo constrangimento e vergonha! Não era a minha intenção, mas era inevitável! E aquele homem com suas mãos experientes, sabia que estava me conduzindo direitinho! De repente ele aproxima-se de meu ouvido e pergunta: — Como é nenê, tá gostando de minha “massagem especial”? Eu simplesmente, só fiz um movimento com a cabeça, de que sim! Mas estava com muita vergonha de admitir! Pois, afinal de contas, não era uma mulher que tava a me tocar em minhas partes íntimas e, sim, um homem forte, macho e maduro! Aí, ele esfregou o seu queixo em minha nuca. Ah, isso foi fatal!! Eu me arrepiei inteiro e soltei um suspiro e um som de tesão! Percebi que já era tarde para retornar dum caminho, o qual nem sabia, ao menos, aonde ia dar… Dando uma gemida e me contorci todo. Ele voltou a falar sem parar de tocar em minha bunda e esfregar os dedos em meu rego: — Tinha certeza de que se eu fizesse essa minha “massagem especial”, você não resistiria!! Afinal, algo é diferente em você. Eu: — O que é diferente em mim? Ele: — Esse seu jeitinho! Eu: — A que jeitinho você está se referindo? Ele: — Deixa pra lá, nenê! Eu fiquei encafifado! Daí, lhe perguntei: — Você já fez essa massagem no meu amigo. Ele disse: — Sim. E ele adorou! Mas que comigo gostaria de ir mais longe… Eu lhe perguntei, então, o por quê? Ele me respondeu porque você é especial e tem uma bundinha deliciosa… tô adorando e tenho certeza que você também tá, pois ao tocar aqui, (ele estava com os dedos sobre a região logo atrás do ânus onde é a base do nosso pau, a região do períneo) percebo que ela tá tinindo de dura. Sabe o que isto significa? Eu inocentemente disse que, não. Ele: — Que seu pau está duro! E riu maliciosamente, perguntando: — Por que será que ele está tinindo de duro, hein?? E Ele mesmo respondeu, tocando-me um lugar muito pessoal… — Por que eu tô te fazendo uma massagem na sua rosquinha e você está curtindo.. isso não tem como você me negar!! E o pior, é que ele estava com a razão!! E começou a roçar descaradamente minha parte mais íntima que até, este momento, só os meus dedos haviam tocado… Eu estremeci da cabeça aos pés… Ele: — Viu como você reage? A sua rosquinha tá lhe mostrando a sua verdadeira tendência… sorrindo maliciosamente… Aquele homem estava me seduzindo de uma forma que eu nunca pensei, ser possível!! E o pior, é que meu corpo estava correspondendo aos toques dele!! Mesmo que meu consciente não o desejasse! Ele: — Hoje você vai conhecer um novo prazer, em sua vida, nenê! Posso lhe perguntar uma coisa. Você já transou com uma mulher? Eu lhe respondi que sim, e não só com uma, e, sim, com várias! Ele: — Verdade! E algumas delas já lhe tocou o cuzinho como eu estou tocando? Disse-lhe quase que num sussurro que, nuuunca… Ele, então: — Viu como eu sei das coisas!! Somente um homem experiente, sabe o lugar que nos faz sentir um prazer e um calorzinho gostoso, como este, que você está sentindo agora! Desde o primeiro dia que eu lhe vi, sabia que ia dar nisso… Eu, intrigado, lhe perguntei novamente: —Por quê? Ele: — Por dois motivos: um, por você ser amigo do Carlos e o outro, este mais forte, você tem um quê especial, ou seja, uma “tendência especial”! Eu voltei a lhe perguntar: — Diabos, a que tendência que você está se referindo?? Ele: — Deixa pra lá!! Eu: — Você teve algo com o Carlos? Ele: — Nunca, embora ele sempre me dê uma investida! Então, ele: — E você ? Já teve algo com ele? Lhe respondi que nunca desconfiei nada dele e, mesmo que o tivesse, não tô ligado nessa não!! Meu negócio, são as mulheres, meu! Ele com um sorriso irônico comentou: — Verdade!! Talvez até agora, né!!
O fato, é que, aquele homem estava me seduzindo mesmo! E, eu, não conseguia reagir. Ao contrário, estava propenso a curtir mais e mais seus toques. Isso me deu uma raiva por dentro… E tentei me levantar… foi quando ele posicionou um de seus dedos bem no centro do meu cu e disse: — Se ocê levantar ele entra!! Eu, com medo, voltei imediatamente a deitar-me indefeso sobre a mesa.. Ele: — Fica quietinho nenê…eu sei que você é machinho, mas tudo tem sua primeira vez. E, se você não gostar, nada vai mudar em sua vida!! Eu fiquei indignado da confiança dele! Mas, seus toques, me fizeram voltar a realidade do momento e comecei a gemer de uma maneira incondicional. Podia sentir ele indo e vindo com seus dedos em meu rego e, agora, se dedicava a rodear meu ânus. Ele comentou: — Você é bem fechadinho, né!! Eu: — Lógico cara! Aí só sai!! Ele voltou a sorrir zombeteiramente!!! Ele sabia que eu estava fadado ao que ele quiria… foi quando ele, num gesto másculo, me pôs de quatro e inesperadamente começou a lamber o meu cu… Uau, quase subi aos céus de tanto tesão!!! Nunca imaginei que isso fosse possível e, ou, que alguém tivesse coragem de botar a boca e a língua nesse lugar!!! Mas foi uma sensação inexplicável!!! Quanto mais ele me lambia a região anal e na base do pau, mais eu sentia cócegas e um tesão, os quais faziam-me contorcer involuntariamente. Nisso, ele pegou nos meus dois pés colocou-os juntos e começou a roçar com sua duríssima rola, neles… Pelo contato dos pés não me dava pra saber as dimensões, somente a rigidez da ferramenta… Foi quando, percebi então, um movimento estranho de suas mãos e, logo em seguida, senti algo muito quente nas plantas de meus pés. Daí, ele ajustou planta com planta e botou o seu pau no meio e me fez bater-lhe uma punheta com as solas dos meus pés, que cara atrevido!!! Mas, confesso que estava gostando… Ele já gemia sem o menor escrúpulos e sua língua parecia que iria me penetrar cu a dentro… eu estava totalmente entregue a essas sacanagens! E ele, o sabia disso!!! Foi quando, ele afastando a sua boca, beijando minhas nádegas alternadamente, percebi que tocou, com um de seus dedos, a minha rosquinha já toda lambuzada, devido a longa cunete que ele havia me feito! Posicionou o dedo, roçando em círculos, o meu ânus já piscava incondicionalmente… Daí, ele ordenou: — Nenê dá uma relaxada na rosquinha, pois se não pode lhe doer e, eu, só quero lhe dar prazer, vai!! Antes mesmo que eu lhe tivesse tempo de contestar, ele começou a forçar seu dedo grosso, no centro do meu cu… a resistência oferecida pela invasão foi perceptível, pois meu cu se contraiu imediatamente… Mas, isso não o intimidou; fazendo movimentos rotativos para a direita e para a esquerda, ele começou a enfiar muito lentamente. Meu cu, foi aos poucos, abrindo passagem para esse intruso, no sentido contrário! Mas, mesmo eu tentando cerrá-lo com meus movimentos musculares, devido a viscosidade, seu dedo foi ganhando terreno a dentro… quando começou a abrir passagem, pude perceber perfeitamente essa abertura gradativa e sentir meu esfíncter sendo preenchido por um dedo grosso e comprido.. me veio uma dor, mas suportável, pois estava bastante lubrificado. Quando ele enfiou uma boa parte, senti como se fosse cagar, pois o meu reto queria, a todo custo, expelir o invasor… fiquei preocupado se estava, de fato, cagando ou não no dedo dele… Mas ele não o retirou e, sim, aos poucos, foi enfiando cada vez mais fundo, até eu sentir o toque de sua mão em meu ânus. Isso significava que ele já havia me metido o dedo inteiro… apesar da dor e de uma sensação incômoda, fui relaxando e comecei a curtir a sensação de se ter um dedo atolado no cu, fui percebendo que o dedo fazia movimentos circulares com a intenção de tocar em toda a parede de meu reto, como se estivesse procurando algo… durante esse tempo, ele comentava: — Seu reto é cheio de ondulação e apertadinho, mas, seu esfincter, esta apertando muito mais o meu dedo, na base. Uau que gostoso!!! E continuou os movimentos à procura, talvez, de minha próstata… retirou um pouco seu dedo até a metade, eu acho. Foi quando finalmente a achou, começou a pressioná-la com ele… Desta forma, meu pau deu imediatamente vários pulos e, um líquido viscoso, começou a sair de minha uretra ficando ligado à ela por um fio longo até encostar na cama… Ao mesmo tempo, a dor e o incômodo, foi dando lugar a um calor e uma sensação gostosa! Pensei que iria gozar com o dedo do cara enterrado no meu cu!!! Para mim, era um pouco vergonhosa, tanto a posição como a submissão, as quais, ele estava me impondo, mas meu libido chegou a flor da pele!! E, inconscientemente, comecei a gemer!! Ele, logo comentou: —Tá gostando, né nenê!! Eu só tinha boca para meus gemidos, os quais comprovaram o seu comentário e, meu instinto, fez com que eu começasse a rebolar com o dedo dele enterrado em meu cu, fazendo movimentos para trás como se quisesse que ele metesse mais fundo… Ele: — Tô gostando de ver garoto!! Você começou a conhecer o sua verdadeira tendência!!! Isso, rebola gostoooso, vai!! Eu estava me desconhecendo, mas já não tinha mais controle sobre meus atos….foi, então, que ele começou a retirar o seu dedo lentamente, o que me provocou uma sensação, embora gostosa, preocupante!! Pois parecia que eu estava cagando, entendem? Quando finalmente saiu, eu, mecanicamente, conduzi a minha mão para me certificar se não o tinha feito… Mas, estava limpinho!!! Ele comentou: — Seu cuzinho está piscando como que convidando o meu dedo a penetrá-lo novamente. Que lindo!!! Era isso mesmo que eu queria!!! Mas, uma onda de razão por um segundo passou por minha mente e tentei sair daquela posição! Era o meu ego, de homem, tentando se safar dessa submissão!!! Pois, ainda estava em tempo!!! Afinal de contas, por mais grosso que um dedo fosse, não iria desflorar ou desvirginar ninguém!! Mas, ele me segurou firme, dizendo: — Calma nenê!!! A festa tá apenas começando… relaxa e curta!! Nisso, senti que ele posicionou o dedo novamente na minha rosquinha que não parava de piscar, mas percebi que, outro dedo, veio junto e ao sentir a pressão de ambos, aí eu gemi de dor e reclamei: — Tira cara! Dois, já é demais!! Você está me machucando!! Aiii… Nisso, ele : — Sabe que você tá com a razão!! Afinal de contas, não quero que você perca sua virgindade, para meus dedos, já que esperei tanto tempo por essa oportunidade!!! Eu: — Hã???? Com isso, dei por mim que havia falado demais e isso, com certeza, iria me comprometer!!! Ele: — Agora chegou de fato a sua hora garotão! A propósito quantos anos você tem? Eu lhe disse dezesseis. Ele: — Hum! Com um ar de preocupação estampado em seu rosto. Então, voltou a falar: — Mas, tudo que estou fazendo, é com o seu consentimento, não é??? Eu: — Desse momento pra frente poderia ser que sim, mas até chegar a esse clima, fui totalmente seduzido pro você, lhe respondi!!! Ele: — Mas não está arrependido, né?? Foi, então, que eu não soube o que lhe responder… Pois, parte de meu corpo, desejava a continuidade dessa brincadeira, outra parte, a racional, impelia-me a desistir e, pôr os shorts e se mandar daquele lugar… E, enquanto eu pensava, ele pediu para eu me deitar de barriga para cima na mesa. Vindo, então, para o lado da mesma, posicionando-se próximo a minha cabeça. Eu, o olhava nos olhos, atentamente. Foi quando, ele começou a tirar sua camisa, depois sua bermuda. Nisso, pude perceber seu peitoral forte, másculo e seus pelos peitorais, os quais, não eram pixaim, contrariando a hereditariedade de sua raça. Dispunham-se em forma triangular, cuja base maior lhe cobria os dois peitos, e tornando-se mais estreito no ápice, próximo a concavidade estomacal, desse ponto em diante, formava um caminho estreito até chegar ao umbigo, aí, então se expandia-se ao redor de toda a região umbilical, voltando a estreitar-se e a seguir seu caminho até o cós de sua cueca, a qual lhe cobria toda a sua região pubiana. Todo esse percurso que desfrutei com meu olhar, foi acompanhado por seus olhos, os quais me pareciam estar analisando todos os meus pensamentos, demonstravam-me o seu prazer e o seu domínio!! Ao mesmo tempo, em meu íntimo, criou-se uma sensação que, até então, nunca me havia ocorrido. Não sabia, ao certo, a que isto se devia!! Mas na realidade, estava ficando fissurado por aqueles pelos, que lhe davam uma masculinidade ímpar!!! Estava desejoso por este homem!! Eu, realmente, não conseguia conceber que, eu, estivesse sentindo uma coisa desse tipo por um homem!! Mas, por mais que minha razão repelisse tal fato, mais meu libido, o desejava!!! Foi, então, quando ele pegou em minha mão e me fez tocar em sua tenda armada, por cima da cueca. Fiquei meio desconcertado, mas não ofereci resistência, tão pouco! Mas, não tinha coragem de olhar nessa direção, somente para os seus olhos suplicantes. Foi quando, senti algo de muito quente e, de bom tamanho, na palma de minha mão… Ele fazia com que a minha mão percorre-se por toda a extensão de seu porrete, cujo parecia ser dos grandes, ao mesmo tempo que passava a língua em seus lábios gemendo maliciosamente! Daí, forçou os meus dedos a agarrar-lhe aquela cobra quente, o que mal pude fazê-lo, devido a sua espessura.. Aí, ele comentou : — Gostou nenê? Era o que você imaginava??? Faz um carinho nela pro papai crioulo, faz!! Eu, como um autômato, comecei a apertar aquela lingüiça quente entre meus dedos e a percorrer por toda a sua extensão, ainda sobre a cueca, indo da base, a qual era mais grossa, no corpo afinava-se um pouco, e finalmente me deparei com um puta volume, em forma de cogumelo, na sua extremidade, Esta que se encontrava já totalmente melecada, nessa região de sua cueca… Isto me assustou tanto que dirigindo meus olhos pela primeira vez, pude constatar!! Num ímpeto, levantei mais a minha cabeça, ficando de lado, com a intensão de melhor observar o tamanho da cabeçorra… Jamais pude imaginar que uma cabeça pudesse ser tão grande assim!!! Realmente, os negros são dotados, pensei… Nisso, com esse meu gesto, ele tomou coragem e falou: — Dá um beijinho nela, dá!! Eu meio que encabulado, fui me aproximando de sua cueca, ao mesmo tempo que sentia aumentando o cheiro de homem sedento, isto me atiçou os instintos e acanhadamente dei um selinho na ponta, melando todo os meus lábios com o líquido que já tinha ultrapassado o tecido da cueca… Ele pediu: — Brinca mais com ela, vai? É toda sua!!! Eu comecei a cheirar por cima da cueca todo o seu púbis e passar levemente a língua por toda a extensão de seu pau, embora ainda acanhadamente!! Depois de um certo tempo, ajoelhei-me na cama e comecei a lamber o seus peitos, encaracolando a minha língua, em seus vastos pelos, cheguei a cada um de seus mamilos, chupando-os alternadamente, com prazer e vontade. Com isso, ele começou a gemer gostoso! Isto insentivou-me a continuar lhe dando prazer!!! Estava tomado pelo meu libido e num impulso, fiz com que levanta-se seus braços, para que pudesse chupar-lhe as axilas… que delícia! Nunca pensei que me sentiria atraído por essa região, e seu cheiro de macho, estava me dando mais tesão e volúpia, ainda!!! Depois de me deliciar com suas axilas, sem afastar, um segundo se quer minha língua de sua pele, voltei para seu tórax e fui me dirigindo ao sua barriga pouco saliente, nada em exagero, coisa natural da idade.. aí, já não era mais dono de minha razão e, sim, somente libido!!! Ele começou a curtir meus movimentos e disse-me: — Fique a vontade para brincar como quiser, afinal de contas você precisa, primeiro, conhecer bem o macho que vai te fazer e toda a rola dele, nenê!!! Sou todo seu… estas palavras ajudaram a eu perder o pouco do acanhamento que me restava e, como um garoto louco para chupar logo um picolé, passei a chupar-lhe toda região de seu umbigo, enquanto que com minhas mãos, continuava a lhe acariciar os peitos, enroscando meus dedos e minha língua, em seus pelos . Após me satisfazer de sua região umbilical, aos poucos fui descendo sempre lhe lambendo em direção ao cós de sua cueca de algodão branca; passei a língua por toda a região, ultrapassando-a segui, evitando de passar a língua, onde estava a protuberante cabeça e o corpo de sua rola, indo em direção à bainha da cueca e de lá, lambi suas fortes e bem torneadas, coxas. Tudo isto olhando, às vezes, em direção ao seus olhos, os quais, pareciam me dizer estar aprovando e curtindo o meu trabalho! Voltando as regiões das bainhas, fui aos poucos me aproximando do centro, até bater com meu nariz, em seu saco, o qual mais parecia uma montanha!!! Aí, ainda por cima da cueca lhe comecei a chupá-lo, enquanto ouvia seus sons e gemidos de prazer. Depois de me deliciar com ele e com cada uma de suas bolas, comecei a percorrer da base de seu pau até a cabeça, onde, estava ainda mais melecada, com o líquido que constantemente ultrapassava o tecido da mesma e, com muita sensualidade, comecei a sugá-lo todo! Que delicioso sabor tinha esse tão viscoso líquido!!! Levemente salino, compara-se a clara crua de ovo. Nessas alturas sua cueca já estava toda transparente devido a esse líquido que não parava de verter e a minha saliva, a qual tinha espalhado por toda sua superfície a qual percorrera com minha ávida língua!!! A cueca umedecida, deixou bem demarcado, a sua maravilhosa ferramenta viril… A admirei por um tempo, enquanto me divertia com o pulsar da mesma, como que implorando-me a sua liberdade, daquele confinamento. Então, voltei a pôr minha língua em sua cabeçorra e aos poucos subi em direção de seu cós, novamente! Chegando lá, com meus dentes o prendi esticando-o e comecei a abaixá-lo!!! Desta forma sua cueca começou de uma forma sensual a descobrir os seus pelos pubianos… Tudo isto sempre sentindo o cheiro de macho e sexo que exalavam de seu púbis e que me alimentavam, a floresta de pelos começaram a roçar meus nariz, testa e intensificando cada vez mais, o meu libido!!! Fui apreciando, milímetro a milímetro, a selva que começava a aparecer nessa região!!! E, aos poucos, a ponta da cabeçorra começou a aparecer… Eu estava me sentindo uma verdadeira putinha; igual a que vi nos vídeos pornôs… como a cueca enroscou na rola, tive que utilizar minhas mãos para abaixá-la mais, até libertar, finalmente, a fonte de meu interesse!!! Ele só me olhava e gemia, às vezes dizia: — Isso garoto desfruta de sua primeira rola, você jamais irá esquecê-la, vai… iiiisso, assim mesmo, aghhh!! E finalmente a rola foi liberta, batendo com sua cabeça em meu nariz e boca várias vezes!!! Melecando-me todo com seu líquido pré-seminal!!! Era incrível o tamanho de sua cabeça e depois afinava um pouco para voltar a engrossar gradativamente até a sua base, na qual não conseguia fechar a minha mão… seu líquido, aflorava como uma nascente, vertendo continuamente… foi quando ele falou: — Faz uma gulosa pra mim, faz nenê!! Eu nunca pensei que iria ter uma rola de outro homem em minhas mãos, e quem diria, mamar uma!!! Mas, não me fiz de rogado!!! E, olhando para o rosto dele, fui aproximando minha boca da cabeçorra, dei-lhe primeiro um selinho e seu líquido grudou-se em meus lábios e confome me afastei ele formou vários fios, daí com a língua os separei puxando-os e sorvendo-os todo… voltei, então, a aproximar minha boca e agarrando sua rola, com uma de minhas mãos, fiz com que sua cabeça esfregasse em toda a minha boca, para depois passá-la em minhas bochechas, conduzindo-a até meus olhos, me sentia todo melecado, mas isto me dava um tesão inexplicável!! Comecei a bater com sua rola em minhas bochechas e finalmente a posicionei em frente de minha boca, ávida, por aquela línguiça saborosa! Foi-me necessário abri-la bastante para tentar abocanhar toda sua cabeçorra. Mas com jeitinho, afinal ela passou para dentro de minha cavidade bucal!! No início, confesso que sentia-me desconfortável, pois era muita carne, e pouco sobrava espaço para minha língua, mas incrível, como a gente logo pega o jeito de acomodar algo estranho em nossa boca!!! Nisso, ele só deu um gemido e disse: — Isso garoto, vai mete toda ela na sua goela…vai!! Eu estava ainda apenas desfrutando do paladar de seu néctar que jorrava e mal dava para engolir todo e, parte do mesmo, aflorava por através dos cantos de meu lábios e escorria pelo meu queixo, melecando todo o caminho… Então, fui aos poucos abrindo meu maxilar, ao máximo que podia, para tentar agasalhar toda a sua rola e com minha língua numa perfeita combinação de movimentos, fui metendo rola a dentro!!! Mas, mal conseguia fazer até a metade ou menos… sentia espasmos naturais e, minha boca, toda preenchida tentava expeli-la… às vezes ele posicionava suas mãos atrás de minha cabeça com a intenção de enterrar sua rola até o fundo, coisa impossível para minha boca e garganta!!! Foi quando, senti meu maxilar estralar e ela penetrar um pouco mais a fundo, nisso, os espasmos vieram em forma de convulsão, meus olhos lacrimejavam e, mesmo não querendo, tive que retirá-la imediatamente da minha boca, tossiando muito!!! Após acalmar-me, decidi ficar apenas lambendo-a em toda sua extensão. Nisso me deu vontade de abocanhar seus bagos, os quais pendiam-se pesadamente, com certeza armazenavam ali, muita porra… fui ao êxtase quando comecei a chupá-los!!! E com tempo, comecei pondo ora uma, ora outra, de suas bolas em minha boca, os gemidos dele era audível pela sala toda… — Vaiiiii garoto que boca gostosa… será que seu cu, também, é assim guloso aghhhh!! Mas, me foi impossível meter as duas bolas juntas… Voltei a chupar com gosto todo aquele picolé, mas daí ele retirou sua rola, dizendo-me: — Chega, nenê!! Senão, você vai acabar me fazendo gozar na sua boca!!! Bom, chegou a sua hora, nenê!! Puxando-me mais para a beira da cama, me fez ficar de costas, apoiando meus pés no chão e abrindo bem a minhas pernas. Eu, instintivamente, sabia o que estava preste a acontecer!!! Bastava, porém, eu pôr um fim na situação!!! Com certeza, ele não iria me forçar, por eu ser ainda de menor!!! Mas, não sei o por quê, não o fiz!!! E, ele, muito gentilmente, beijou minha nuca e disse-me: — Garoto, você vai sentir uma coisa que nunca sentiu!!! Sei que pode lhe doer no começo, mas depois, você vai gostar e pedir que eu meta mais!!! Como você fez, agora a pouco, quando lhe meti o meu dedo, se recorda??? Eu, autômato lhe respondi, com um gesto de cabeça que, sim!!! Então, ele disse-me: — Prepare-se!!! Nisso, pude sentir ele se aproximando e, começou a esfregar aquela geba por toda o meu rego, fazendo movimentos de sobe e desce!!! Quando passava pelo ânus, forçava um pouquinho, mas, este, nada de ceder as investidas… Meu corpo tremia em êxtase, já estava delirando e foi quando ele parou com a esfregação e posicionou, finalmente, sua cabeçorra no meu pobre cu… dizendo para relaxar e, caso me doesse, ele tirava!!! Era só eu pedir… E tudo começou! Mas, por mais que ele tentasse meu esfíncter não sedia e, sua rola, escorregava ora para cima, ora em direção ao meu saco e coxas. Então ele começou a me pôr nas coxas fechando minhas pernas, foi uma nova sensação muito gostosa!!! Sentia ela, me indo e vindo, escorregando e abrindo passagem por entre minhas coxas… Depois ele falou: — Senta na beira da cama, garoto! Eu o fiz. — Agora deita na cama!!! Eu, o fiz!!! Sabia, o que estava prestes a acontecer, pois já havia feito o mesmo, com muitas garotas!!! Mas agora, era eu, quem estava numa posição semelhante a elas e, praticamente, indefeso… Ele voltou a pôr o travesseiro sob a minhas costas, bem na região de minha cintura, o que fez com que minha bunda ficasse mais e alta… Sentia meu coração palpitando e um sentimento misto de querer sumir de lá, ao mesmo tempo que permanecer!!! Sentia-me tenso e confuso, pois sabia que estava prestes a perder minha virgindade do cu… Queria, mas a temia!! Os pensamentos e sentimentos se revolucionavam em minha mente, alternando-se entre a razão e o libido… Só quem passa por esses momentos, pode entender o que se passava por minha mente!!! Pois, tinha nascido hétero! Nunca me havia passado, na mente, chegar a uma situação dessa! Por outro lado, meu libido me devorava, emitindo impulsos nervosos ao meu ânus, o qual começava novamente a piscar e sentir-se quente, desejoso por aquele mastro que, como uma bazuca, apontava–se a minha frente, pronto a me estourar! Seria muito doloroso, a dor da desvirginação??
Nisso ele, olhando firmemente em meus olhos, posicionou novamente a cabeçorra no meu cu e desta vez, segurando com uma de suas mãos, para que a mesma, não escorregasse para cima ou para baixo; com a outra, passou a pressionar a minha barriga, nada em exagero! Eu não sabia com que intenção; se de fazer com que o meu cu levanta-se mais, ou de evitar uma possível fuga de minha parte!!! Desta forma, começou a impregnar sua força! E disse: Chegou sua a hora, nenê!! Desta vez, não ela não vai escorregar!! E sim só seguir em frente pra dentro de você, Prepare-se!!! Como não tendo outro caminho para percorrer, ela começou a romper com meu esfíncter lentamente… Foi uma dor terrível!!! Pedi para ele parar imediatamente.!! Ele o fez, por um breve momento! Embora, continuasse com a ponta da cabeça, enterrada no meu ânus… as lágrimas escorriam involuntariamente e meu esfíncter lutava, desesperadamente pra expelir a ponta de sua cabeça, em vão!! Como ele continuava lentamente forçando seu corpo… fui sentindo, aos poucos, minhas pregas irem-se rompendo-se uma a uma! E, por fim, uma dor aguda e profunda, seguida dum ardor e intenso aquecimento, tomaram conta de meu ânus, e, eu gritei aghhhhhh que dooor! O que me pareceu, então, já ser tarde para qualquer atitude de resistência de minha parte! Sua cabeçorra, com certeza, havia rompido a passagem e acabado de se alojar dentro do meu cu!!! Eu, chorando implorei para ele tirá-la, mas ele só curtia a minha tortura e sofrimento.. Eu falei, então: — Você prometeu que se doesse você tirava… tá doendo demais, não vou agüentar, você tá me rasgando!!!! Ele: — É, eu prometi??? Mas, tonto foi você, de acreditar! Agora que consegui passar a cabeça, não vou voltar atrás e você já tá fadado a se tornar um viadinho! Eu chorando… — Mas você disse que se eu não gostasse, não teria problema, que eu não iria ficar viado… — Mas o fato é que você vai gostar, meu garoto! É só um pouco mais de paciência!! Eu: — Mas está insuportável e você só pôs a cabeça se puser o resto vai me matar, partindo ao meio!! Ele: — Não se preocupe!!! Teu cu é suficientemente elástico e vai receber toda a minha rola! Você vai ver!! Depois vai rebolar de prazer como fez agora a pouco, quando te enterrei meu dedo!! — Mas seu dedo é bem mais fino que sua rola, isso é descomunal, é desproporcional, não dá para comparar os dois!!! Ele: — Fica tranqüilo, nenê eu vou metendo aos pouquinhos, desta forma não lhe faço um estrago, será seu próprio cu que dará passagem pro resto… Já tô vendo ele se alargando!!! É demais essa visão!!! Agora, é só eu dar mais uma forçadinha assim, e o fez!! Senti, no mesmo momento, minha visão escurecer e senti me abrindo, como se alguém tivesse metendo as mãos pelo meu cu a dentro!!! Aggggghhhhhhhhh!! —Tira você tá me arregaçando…aggghhhhhh!! Ele : — Era isso mesmo que eu queria! Ver todo o seu sofrimento estampado em seu rosto ao sentir minha enorme rola te arrombando!!! E, daqui a pouco, você próprio é que vai tá empurrando seu corpo pra enfiar mais fundo… É sempre assim, tenho as manhãs!!! Você jamais esquecerá dessa tarde!!! É preciso, sentir bem, essa dor do desvirginamento!!! Pois, ela, lhe vai ocorrer somente uma vez!!! E com certeza, você vai querer senti-la outras vezes para recordar deste momento, o que será impossível!! Aproveite, então para registrar, todo esse seu sofrimento, em sua mente, nenê! Pois agora este seu macho e minha rola, vão de vez, acabar com sua virgindade!! Seu cu vai pedi–la noite e dia ! Tooooma!! Leva mais um pouco, nenê!!! Já tá quase na metade!! Eu : — Aiiiiiiiiiiiii você me rasgooouuu!!! Agghhhhhhh!! Eu comecei a gritar e me contorcer, todo!! Num desespero de dor!!! Ele disse: — Grite a vontade, pois ninguém vai escutá-lo!! E, tão pouco, você vai me escapar, pois minhas mãos lhe estão prendendo fortemente, agora!!! A mim, restava somente chorar de dor e de arrependimento… Ele parou um pouco, para eu acostumar!! Se inclinou, então para frente, acariciando minha cabeça e puxando-a em direção a sua e, amavelmente, aproximou seus lábios e começou a me beijar!! Mais uma ação inesperada!!! Houve uma certa resistência, de minha parte, tentando desviar minha boca, mas ele segurou, então, minha cabeça com suas duas mãos e voltou a me beijar e, aos poucos, a repugnância de início, foi cedendo lugar ao desejo… E, eu, abri a minha boca, então, recebendo sua língua quente e experiente. Foi um beijo voluptoso!!! E, por incrível que pareça, nesse ínterim, mesmo sentindo uma dor terrível, uma onde de prazer começou a despontar na região de meu cuzinho, já tão castigado!! Acho que o sistema psicológico do homem, nessa situação, ou seja, sendo deflorado, acaba danificando-se e reverte-se!! Foi quando, depois do beijo, espontaneamente, eu pedi para ele acabar de me arrombar, dizendo : — Vai cara! Então me mete toda essa sua rola no meu cu… quero sentir sendo arrombado!!! — Mostra que você é meu macho, mostra que você é quem manda aqui! E me faz as pregas… e transforma, toda essa minha agônia, em prazer!!! Vai me mete!!! Me desflora!!! Me arregaça!!! Ele: — Não falei que você ia implorar pra eu meter tudo! Então, chegou a sua hora! —Toma! Leva no seu cu nenê, esta rola imensa do papai crioulo, toma no seu cu ! Vou te estourar com todas as préguinhas que lhe restam e ainda resistem!!! E começou a enfiar mais, mais e mais e eu mesmo sofrendo e sentindo aquela rola aprofundar em minhas entranhas e acabar com minha virgindade, comecei a ficar louco e empurrar meu corpo em direção ao púbis dele, num ímpeto de receber toda a rola do meu macho!!! quase gritando, lhe implorei; — Acaba logo com esse meu sofrimento e me troque ele, em prazer, o qual você falou que eu iria sentir!!! Até agora, só tô morrendo de dor!!!
Ele : — A dor necessária da defloração, da perda de sua virgindade do cu, nenê!! —Toma agüenta mais um tanto e me meteu mais… eu já não sentia mais vontade de chorar e, sim, de gemer de prazer!!!! Aagggghhhh!! Isso!! Vai me faz viado, me faz de seu viadinho papai!! Será que eu vou virar viado, mesmo??? —Tenho tanto medo!!!
Ele: — Depois de eu lhe meter o que resta, não tenho nenhuma dúvida! — Vou meter até o talo… vou te fazer o mais viado, de todos!!! Você vai querer minha rola a toda hora, e se não a tiver, vai dar pra qualquer um, ou meter qualquer tipo de objeto no cu, para te satisfazer!!! —Toma o que me falta enfiar nesse cu guloso, toooomaa !!!! Eu: Aaaagggggghhhhhhh! Senti, então, meu cu arregaçar ainda mais, pois seu talo perto da base era muito mais grosso. Uma estalo oco, foi ouvido e sentido e, isso significava que ele havia passado dos limites de meu intestino… senti uma agulhada profunda ao mesmo tempo que meu esfincter ardeu mais ainda, voltando a sentir aquele aquecimento provocado pela espessura do intruso! E senti finalmente seus vastos pelos pubianos enconstarem no meu esfincter e na minha bunda. Fato consumado!!!!
—Você me fez de viado, eu não acredito que agüentei, tudo!!! Colocando a mão no meu cu percebi o saco dele grudado nele!! Comecei a mexer nas bolas pesadas dele e a rebolar frenéticamente dizendo: — Ahhh que gostoso mete, mete fundo!!! Me faz de teu viado, vai mete meu macho!!! E, assim, ele o fez com toda a violência!!! Eu, sentia a cada estocada meu intestino esticar-se internamente e sentindo a minha barriga sendo preenchida por sua rola… Uma sensação inexplicável e deliciosa! Eu louco rebolava e ele cada vez mais aumentava suas estocadas. Meu pau parecia que iria quebrar de tão duro que estava!!! E, num êxtase profundo ambos sentimos que o gozo estava se aproximando !!! Senti seu pau inchar mais, seus movimentos se intensificaram ainda mais e finalmente numa estocada certeira, acompanhada de um uivo de lobo, ele estourou num gozo sem fim… — Tô gozando no teu cu, nenê!! Toma todo o leitinho do papai crioulo. Toma todinho pra ficar fortinho.. vai toma, tô gozando como nunca… ahhhhhhhhh!! E me dava estocadas enquanto ao mesmo tempo sentia seus espasmos transportando toda sua porra pela uretra!! Sua rola parecia ter inchado mais ainda o que me fazia sentir mais prazer!! Então ele parou um pouco com suas estocadas! Apoiando suas mãos sobre a mesa e me fitando firmemente com seus olhos de prazer!! Foi então, que levei as minhas mãos até sua enorme bunda e comecei a puxá-la em direção de meu cu, como que se querendo que até as suas bolas me penetrassem!!! Ele inclinado sobre a mesa, só me olhava ofegante com seus braços esticados, um de cada lado de meu corpo! Sentia o prazer estampado em seu rosto. Eu retribuindo-lhe o olhar, vibrava por sentir perdido a virgindade do cu, pra uma rola tão potente e que havia me dilacerado, mas que, ao mesmo tempo, me havia feito sentir um prazer jamais experimentado!!! Eu gemia como um louco!!! Minha rola parecia que ia saltar de tanto movimento que fazia e, assim, senti meu gozo se aproximar, sem ao menos, ter tocado em meu pau um segundo se quer! Foi quando, então, eu Ahhhhhhh! O primeiro jato atingiu meu queixo, logo em seguida o outro minhas narinas e bochecha, os demais foram direcionados pra todo lado. Nunca havia gozado de uma maneira tão forte!! Depois de meu fenomenal gozo, ele deitou-se sobre o meu corpo e e eu como ainda estava com minhas mãos em sua bunda continuava a puxá-lo em direção de cu!!! Com a mistura do suor de seu corpo e toda a minha porra espalhada sobre meu abdomem, faziam com que seu corpo deslizasse gostosamente, conforme eu lhe puxava de encontro ao meu!!! Estava satisfeito com a atuação do meu primeiro macho e papai crioulo!!! Ele, que aos poucos, foi conhecendo e sentindo o meu corpo e finalmente me transformou em seu objeto, me transformou em seu viado!!! Modificando totalmente, a partir desse momento, o rumo de minha vida!!! Eu tinha me tornado um viado!!! Isso me dava e fazia sentir um prazer!!! Daí caiu, pela primeira vez, a ficha… Pois, lembrara do que ele havia comentado: De que desde o primeiro momento que me viu, sabia que eu tinha ¨uma certa tendência¨ !!! Agora, sim, pude entender o que ele, vinha me dizendo, desde que começou essa, tal ¨massagem especial¨!!! Seria ele um guru!! Não importa!!! Agora só queria continuar com a rola dura dele enterrada no meu cu!!! E. por incrível que pareça ele voltou a fazer os movimentos de vai e vem e me falando putarias: — Vai meu nenê se abre todo pro teu macho… eu quero te arrombar, mais ainda! Vai levar rola até o seu cu arregaçar de vez!!! E metia cada vez mais violentamente. Sua fisionomia, agora, era de um macho dominante que sentia o prazer de ter conseguido o seu intuito, o qual tanto queria!!! Havia conseguido desvirginar a sua presa tão cobiçada! Metia e metia mais e mais… Daí pela, primeira vez, depois dela ter penetrado em meu cu, foi retirada, me proporcionando uma sensação de vázio, mas por poucos instantes, pois ele me fez levantar e me deitar na cama e inclinar-me sobre ela, ficando com minhas pernas fixadas ao chão, e deixando, assim, minha bunda direcionada para ele… Mandou, então, que eu abrisse bem as pernas… Foi quando numa estocada certeira ele meteu sua cabeça!!! Devido ter mudado de posição, tanto a sensação como uma certa dor, foram diferentes, e eu gritei… Aiigghhh! Você me estourou, cara...que doooor!!! Ele, pouco fez caso!!! E, começou a me meter, cada vez mais fundo, preenchendo o vázio que havia deixado segundos atrás… Foi quando, noutro gesto certeiro, socou sua rola até o saco! Eu... uuggghhhh!! Uma vez inteira enterrada no meu intestino, agora ele me dominava por completo e começou a socar cada vez mais forte, mas não tirava sua rola por completo; afastando seu corpo até sua cabeçorra começar a querer passar por através de meu esfincter dilatado, no sentido contrário e, voltava meter tudo novamente!!! Dizendo muitas putarias… foi quando, num gesto mais impetuoso, me atolou a rola no cu e urrando falou: — Vou gozar, agghhh! Toma todo meu leitinho viado…toma agghhh!! Tô gozando! Tô enchendo de leite e seu cu guloso, pra ficar fortinho! Toma! Toooma! E senti ele encher o meu cu de porra novamente… Os negros tem uma força descomunal!!! Estava cheio de leitinho e satisfação!!! Meu cu ardia, mas continuava a piscar… pressionando a rola dele… até que uma hora ela saiu do meu reto fazendo um som oco, e pude sentir novamente o vázio, experimentado minutos atrás!!! Percebi que algo de muito quente, começava a escorrer pra fora… Ele se afastou para verificar o estrago que havia me feito! Foi quando deu uma verificada e com uma expressão de preocupação comentou: — Xi!! Junto com porra tá saindo, sangue!! Será que que te machuquei por dentro, nenê… Vamos ver como está isso aí, deite-se e afaste bem as pernas! Abra-as ao máximo que puder: — Assim o fiz, muito preocupado! Pois sentia agora meu intestino todo dolorido! Ele se abaixou e começou a dedar o meu cuzinho, confesso que só sentia um ardor. Ele disse que havia enfiado os dedos e estava sondando por dentro. Constatou que o sangramento não era dentro e, sim, na região externa de meu ânus que estava totalmente dilacerado!! Haviam-se rompido, talvez, alguns pequenos vasos sanguíneos!! Ele disse que dava pra por seus 4 dedos folgado e perguntou-me: — Tá sentindo?? Eu confesso que depois de levar a rola dele, se é mesmo que ele estava com os quatro dedos metido no meu cu, para mim, parecia apenas um!!! Fiquei preocupado e pedi um espelho que gostaria de ver… Ele tirou o espelho debaixo da mesa e posicionou num ângulo que eu pudesse ver… Foi um choque!!! Meu cu estava totalmente vermelho e arrombado e, no lugar de meu esfíncter com as préguinhas, tinha apenas uma cratera… Falei: Tô com medo que ele não se fecha mais… Mas, o massagista disse que ele voltaria a retrair-se, em pouco tempo, mas, que nunca mais seria como antes!!! As minhas preguinhas já eram, foram-se pra cucuia com a penetração da rola dele!!! E que, agora, eu tava fadado a agüentar qualquer tora que viesse pela frente!!! Coloquei meu dedo, logo depois,outros e constatei o estrago, entravam todos os meus dedos com a maior facilidade!!! Fato consumado!!! Eu tinha me tornado um viado!!! A reação que eu tive foi pedir para ele me abraçar e carregar no colo… eu queria chorar, mas não conseguia… Fiquei aconchegado em seus braços, então. Eu passei os meus abraços atrás de seu pescoço e fiquei com a cabeça encostada em seu ombro direito… Eu, um marmanjo, embora de compreensão miúda (1.64cm), ali indefeso nos braços de meu desvirginador…Daí, ele dentou-me na mesa, pondo-me de barriga para baixo dizendo-me: — Espere um pouco e saiu da sala, indo em direção do banheiro e voltando com uma caixa que parecia de medicamentos, duas toalhas e uma bacia pequena com água quente. Então pediu para que eu abrisse bem as pernas e começou a me limpar toda a região com muito carinho, passando a toalha umedecida! Depois me secou com a outra toalha. Estando tudo limpo, passou-me uma pomada por todo o meu ânus! E disse: — Pronto, agora está melhor, não precisa se preocupar, pois o sangramento já parou.. Então, lhe pedi para que se deitasse na mesa junto comigo e deixasse eu apoiar minha cabeça no seu peito. Assim ele o fez! E com muito carinho começou a acariciar meus cabelos… Desta forma, passado um tempo, adormecemos! Quando me despertei assustado, a sala estava iluminada pelos fracos raios solares do entardecer o que a deixava muito mais aconchegante. E, me vendo nu e naquela posição com um homem, ao invés de me assustar, tive uma sensação de conforto, não sei dizer o por quê! E aos poucos fui recordando, como se à minha frente, tivesse uma tela passando o filme do que acabara de nos acontecer naquela tarde. Recordado o acontecimento, ainda com a cabeça apoiada em seu peito, aquele cheiro de sexo ainda pairava pelo ar; e pude sentir o perfume que homem libera, quando faz sexo. Na realidade, deveria não apreciá-la, sendo do mesmo sexo!!! Mas, ao contrário, me agradou! Logo a minha frente e mais abaixo, estava ele, o causador de toda a minha dor e prazer, jazia a sua lânguida cabeça voltada para minha direção. Mesmo nesse estado, apresentava-se grande, em relação ao resto do pênis. Estava um pouco acima de seus pelos pubianos na direção do umbigo dele. Então, movimentei minha mão direita lhe tocando-a de leve e com carinho… não houve, se quer uma reação, movia-se quase que imperceptivelmente, conformes os movimentos respiratório, os quais repercutiam pela barriga. Com a ponta de meu dedo percorri toda a extensão de sua rola, mesmo assim, não houve uma reação… Eu comecei a alisar a sua barriga olhando pra sua rola adormecida, e pensei: como eu agüentei isso…um garoto, como poderia meu cu, ter agüentado algo tão grande??? fiquei a pensar… e de repente me deu uma vontade imensa de pô-la em minha boca e chupá-la com toda vontade!!! Pois, estava ali, a rola que tinha feito a minha virgindade e me dado, apesar de muita dor, também muito prazer… Resolvi descer minha cabeça, então, posicionando-a em sua barriga, de modo que minha boca ficasse alguns centrímetros de sua glande… Aquela visão foi me enchendo de vontades e resolvi dar um selinho na ponta… e logo em seguida, com minha língua, fiz com que a sua cabeça entrasse para minha boca, estava flacida, macia. Pude sentir o cheiro forte de sua porra e misturada com o cheiro de meu intestino, nada tão forte, desfrutei então daquele sabor, este, de minha desvirginação!!! Acariciei a sua cabeça com minha língua, depois comecei a puxar o resto de sua rola, que por estar flácida, coube inteira na minha boca, a preenchendo de uma forma confortável!! Conforme ia tragando-a descia ao mesmo tempo minha cabeça, pouco a pouco até tocar a sua base. Nessa altura meus lábios tocaram seus vastos pelos pubianos e levantei a cabeça, para melhor poder chupar toda a sua rola! Subindo a minha cabeça meus lábios se destanciavam da base, percorrendo a extensão de seu pau até a altura da glande e, abaixando minha cabeça, eles voltavam a se encontrar na base com a selva pubiana. No início com movimentos carinhosos de pressão com a língua e meus lábios. Conforme fui alternando estes movimentos, sua rola começou a dar sinal de vida, expandindo-se lentamente dentro de minha boca. Quanto mais endurecia, mais meus lábios distanciavam-se da base e finalmente dura, mal conseguia abocanhá-la até a metade. Agora tinha dificuldade para movimentar minha língua em volta de sua cabeça que começava a tomar sua dimensão máxima… o seu líquido, meu néctar, começou a sair por sua uretra bem dilatada. Podia pôr a ponta de minha línuga em sua abertura… Nisso, sinto ele se mexer e logo em seguida o peso de suas mãos em minha cabeça e com elas, começou a comandar os meus movimentos de sobe e desce… Tentava meter o máximo dessa carne pra dentro de minha boca, embora o quisesse, me era impossível, ainda…. Sua fala se fez ouvida, por toda a sala: — Isso nenê! Já tá com fominha é!! Mama gostosa pro papai te dar leitinho, mama! E seus gemidos de prazer alternavam-se com suas falas… Eu sentia todo o gosto da porra que nela ficou, depois de suas várias gozadas; o que me instigava mais ainda o libido. Comecei, então, a chupetá-la com volúpia nos dando muito prazer! Por parte dele, começou a levantar seus quadris, como que querendo interrar ela inteira em minha garganta! Dizendo: — Vai nenê, engole toda ela como seu cuzinho engoliu… vai engole! Queria lhe dar esse prazer com minha boca de cima, mas pelo menos nesse momento, me era impossível, era muita carne grossa e comprida para minha garganta. Sentia sua glande fechar a minha garganta, mesmo estando só com alguns centímetros metida em minha boca… Ele louco pedia para mamar gostoso. Dizia: — Faz uma gulosa gostosa, faz nenê! O papai quer dar leitinhho pra você crescer fortinho… Vai!, mete ela toda, em sua boquinha!!! Queria a todo custo poder metê-la até o talo dentro de minha boca!! Mas caso isso fosse possível, creio que necessitaria de muitos exercícios!! No momento, ainda, me era impossível fazê-lo! E ele continuava todo excitado: —Vai chupeta gostoso, vaiiii!!! Meu gozo tá me vindo novamente… Vai, isso vaiiiiii Ahhhhggg! E, pela primeira vez, recibia uma gozada em minha boca… foram jatos e mais jatos a inundar minha boca, eu os recebi com prazer e curtia seu sabor e sua consistência! O cara parecia que tinha um reservatório de porra… uma boa parte retia em minha boca e, outra, pelos canto de meus lábios, escorria-me para fora percorrendo por seu longo pau e ia se depositando sobre seus pelos do saco! Depois de apreciar todo a sua viscosidade e delicioso sabor agridoce, finalmetne pela primeira vez em minha vida, fui engolindo-a com muito prazer!!! Pronto estava feito! Tinha tomado leitinho pelo cu e pela boca!! Ao terminar seu gozo, tirei-lhe a rola que finalmente estava adormecida e ainda lhe chupei todo a porra que ficou em seus pelos, sem deixar perder nada, desse leitinho tão gostoso! Estava, ali, a recompensa pelo meu desfloramento…
Novamente exausto, ele volotu a me abraçar e depois me deu um beijo longo e profundo, creio que teve oportunidade de sentir o sabor de sua própria porra em sua língua… Passado alguns minutos, então, ele me convidou para tomar um delicioso banho e nos dirigimos ao local… Lá, ele me lavou o corpo todo, dizendo ter, eu, um corpo bem delineado, e uma bundinha deliciosa e um cu guloso… e rimos!!! Passava-me o dedo em meu rego, mas não me penetrava, respeitando a minha dor… mesmo assim, eu sentia arrepios de tesão… Ao terminar o banho, voltamos para a sala de sua casa, onde tomamos novamente um gostoso lanche. Terminado, me levou até o ponto de ônibus, pois já eram quase 21h. Nos despedimos com um forte abraço e ele falou baixinho em meu ouvido: — De agora em diante, você é meu viadinho preferido!!! Vou querer receber muito prazer e lhe ensinar coisas que vão fazer gozar de tanto prazer… Nos vemos no clube na próxima semana… Então, subi no ônibus e até chegar em casa vim relembrando todos os detalhes desse maravilhoso dia, o qual, sabia jamais o esqueceria!!! Minha rola veio tinindo até em casa, precisei bater duas punhetas para acalmá-la!!
Somente depois disso pude ter o sono merecido de um recem-desvirginado…
Posterirormente, se for requisitado, contarei o resto de minha história… sei que ficou longo, desculpe-me!

Foto 1 do Conto erotico: Um macho de verdade fez o meu cabaço

Foto 2 do Conto erotico: Um macho de verdade fez o meu cabaço

Foto 3 do Conto erotico: Um macho de verdade fez o meu cabaço


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario kzdopass48es

kzdopass48es Comentou em 22/10/2016

Bela bunda cabeluda! Parece gulosa! Betto

foto perfil usuario coroa70

coroa70 Comentou em 13/10/2016

Puta que conto mais doido .se caso fosse real vc seria um verdadeiro macho por ter aguentado tanto sofrimento .votado

foto perfil usuario hugowendel

hugowendel Comentou em 01/08/2015

Nossa! parecia até que era comigo, de tão envolvente. Tesão!

foto perfil usuario ursopeludosorocaba

ursopeludosorocaba Comentou em 25/06/2015

Adorei seu conto......bem detalhado....muito excitante.....votado

foto perfil usuario darksite53

darksite53 Comentou em 08/06/2015

Cara que conto delicioso. Estou cheio de tesão me sentindo no teu lugar sendo envolvido pelo massagista até a entrega total e irreversível. Adorei.

foto perfil usuario goodboy

goodboy Comentou em 07/06/2015

caramba!! muito bom!

foto perfil usuario luispant

luispant Comentou em 04/06/2015

Continue....Gostei muito...Gosto de ler coisas bem escritas...vc tá de parabéns. Tesão demais....que sorte a sua ter encontrado um negro potente...ou tarado em negros.

foto perfil usuario luispant

luispant Comentou em 04/06/2015

Continue....Gostei muito...Gosto de ler coisas bem escritas...vc tá de parabéns. Tesão demais....que sorte a sua ter encontrado um negro potente...ou tarado em negros.

foto perfil usuario neivaleo

neivaleo Comentou em 03/06/2015

Delícia de conto e de cuzinho!

foto perfil usuario p.robert

p.robert Comentou em 03/06/2015

Que delicia de conto pelos detalhes da pra se perceber que viveu tudo isso, delicioso, tbm tive experiencia com meu tio quando adolescente, tesao, se puder leiameus contos, votado




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


58025 - Tu estás com a roquinha quente, tás?? - Categoria: Gays - Votos: 12
69740 - A minha 1a experiência foi ao ar livre 1 parte - Categoria: Gays - Votos: 9
70992 - A minha 1a experiência foi ao ar livre 2 parte - Categoria: Gays - Votos: 2
72471 - A minha 1ª experiência foi ao ar livre 3ª parte - Categoria: Gays - Votos: 3
74432 - Um macho de verdade fez o meu cabaço 2 parte - Categoria: Gays - Votos: 7

Ficha do conto

Foto Perfil yuta
yuta

Nome do conto:
Um macho de verdade fez o meu cabaço

Codigo do conto:
65876

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
03/06/2015

Quant.de Votos:
19

Quant.de Fotos:
3


Online porn video at mobile phone


mamandoo cara dentro do carrocontos de gays a iniciaçao di garoto.dando para um profeasor conto eróticoconto erotico depois que minha mulher viu aquele pau monstruoso tive que ageitar aquele pau pra elachrisrían and pornoConto erotico me perdoa amorConto erótico dando a boceta para o namorado virtualporno em quatrinho de sobrinho come tinha e primahumilhei o corno do meu marido[email protected]contos sou putinha do cunhadoperdi as preguinhas do cu quando era pequenacontos eroticos meu irmaozinho dormindoconto erotico com neguinha da rocacontos erticos mimica eroti a na casa da sograQuadrinho erptici vovoizabele bem novinha gordinha nem pentelho temultimos contos sadohq eroticas peofessoras com mulequecontos filha dorme com a mãe siriricaTio comeu subrinha enocemteMeu tio e eu no motel conto eroticoconto erotico tia com bunfaoconto erotico o cabaco da noiva do meu amigoConto erotico botei minha pica nao aguentouContos.eroticos.com.fotos de.sobrinhos comendo tias safadas na casa dos.cornoscontos eroticos madrasta evangelicaconto de casada tesudacontos eroticos sobrinhafoder no jardim contosContos minha mae me pegou chupando a minha filiha e pediu p ela chupar tambemcastidade masculina contos eróticosabusada e humilhada parte 2fudendo a esposa do amigo na estrada contos eróticoscunhada bateno uma pro cunhado de chotinhosocando forte nas sogrinha contoscontos erotico nora e enteadaQuadrinho de foda e meteçãohentai melhor amigo do filhosexo erotico dp siriricaminha mae sábia sexo expricito contoscaiu+na+netpai fica com tesão da filha na praiaconto tia e prima casadapai foi viajar conto eroticosedutoras e marrentas parte 4 contos eroticoscontos de cú de tiapriminha gostosa conto eroticocu arrombado da minha esposa depois da noitadacontos eroticos dando pro vizinho tezudominha prima mipegor batendo umadesenhos fazendo sexocontos vi meu marido espiano nossa filha no banhocontos de casadas pedindo ao marido pra realizar suas fantasiasCont erot fragante de mamaewww.conto erotico minha eteada me seduziume foderam no quartel contose engasgou com agosadaminha avó na punheta contosbucetas gostozas gozando gostozo na cabesona rombudacastidade esposa conto eroticosonha cm amado na pescinaContos eroticos sexo com vovôgata da noite usuaria contos eroticosLevei a esposa do meu sobrinho pro motel eu fudi seu bucetao e seu cu conto eroticoquadrinho porno pai e filhocontos eroticos com fotos velhos roludos com meninasconto gay cdzinha do policiaspastor a fuder obreiras de mozconto erotico grsvida 7mesesconto erotico.amdando.de cavaloporno contos eroticos adoro mamar no papaivídeo pornô de cachorroConto erótico possessivo em quadrinhoscontos eróticos gay pedreiros[email protected]contos eroticos a negrinha atolou o cu na pica do cunhado chegou a impolar a bucetinhamother and son cartoon pussybieljr menageDragao ball z hentay quadrinhos gaycontos eroticos eu i meu pai ele depilou minha xereca com fotoscontos de corninho safadoconto engravidando minha filha parte2contos eroticos marido taradoanalXoxotas grande de quatro de evangélicasbuceta retacontos de pirocudoconto erotico narrado transei com meu pai diz filhacu invocante 6 hentai quadrinhosconto erotico orgiacontos eroticos mae e filhoconto eurotico que gostosacontos eróticos na famíliatio e sobrinhaConto erótico de saia curta deu no ônibusconto erotico bisex 2017 curitibacuzinhos todos estragados de rolas todos judiadoscontos eroticos ninfetascontos eroticos fotosgemendo e fritado como loco pau novinho gay fotos