ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)


Click to Download this video!


By aventura.ctba

Eu e meu compadre estávamos pra lá de Bagdá quando resolvemos ir pra cama.
A visão que tivemos ao passar pelo meu quarto era algo espetacular. Minha esposa e a delícia da minha comadre estavam deitadas de costas e suas camisolinhas estavam quase na cintura deixando suas bucetinhas cobertas por duas minúsculas calcinhas.
Meu compadre não conseguia tirar os olhos da buceta da minha mulher cuja calcinha semitransparente entrava no meio, dividindo aquela rachinha em duas partes bem salientes.
A minha comadre também não ficava pra trás, pois sua bucetinha engolia uma boa parte da calcinha expondo seus grandes lábios rosado com o grelinho levemente saltado para fora, era muito sexy ver aquelas duas gostosas naquele estado.
Olhei para meu compadre, ele estava apertando seu pau vidrado na buceta da minha esposa e ainda não tinha percebido que a sua mulher também estava em pose até mais ousada que a minha.
Para tirar meu compadre do transe disse a ele:
- Você não está com tesão pela minha mulher?
- Vai lá, sinta o cheiro da sua bucetinha, chupa ela, farei o mesmo com a sua. Juro que só vai ficar entre nós! Esse será o nosso segredo!
Para os leitores entenderem terei que voltar um pouco no tempo.

Eu e meu compadre prometemos as nossas esposas um passeio de moto pela região sul saindo de Curitiba com destino a Montevidéu. Aquela viagem estava sendo planejada há anos e nunca dava certo, quando não era uma coisa era outra. O roteiro já estava pronto, a ida seria pelo litoral do Pr, Sc e Rs. E retornaríamos pela serra gaúcha onde ficaríamos uns dias em Gramados e canelas.
Calculamos ficarmos na estrada por uns 15 dias, mas nem sempre dá certo, pois de moto sempre surgem um lugar diferente para pararmos. Nossas esposas cobravam essa viagem toda vez que nos encontrávamos, pois elas assim como nós também adoram viajar de motos. Em Janeiro de 2013 conseguimos nos programar e pegamos férias no início do mês, e como já estávamos com o roteiro pronto foi só cair na estrada rumo à viagem tão esperada.
Vou falar um pouco sobre nós. Meu nome é Carlos, 46 anos, 1,80m, 88 kg, branco, apesar de uma barriguinha de cerveja ainda tenho meu charme.
Minha esposa se chama Ângela, morena clara, olhos verdes, 1,65m, 28anos, 58 kg, seios médios, bundinha empinada e durinha. Resumindo, ela é uma mulher linda e gostosa. Mesmo sendo um casal liberal, nossas aventuras só se concretizam com o consentimento um do outro e somos muitos felizes assim.
Meu compadre se chama Antônio, 44 anos, 1,70m, mais ou menos, uns 75 kg, loiro, embora meio sisudo, percebo que ele agrada as mulheres, inclusive a minha esposa que não economiza elogios sobre ele.
Antônio é uma pessoa reservada, vive sempre calado quando está sóbrio, mas bastam uns dois copos de cervejas para ele ficar todo falante, contar piadas, falar besteiras. Ele é fraco para beber, ao contrário de mim que se não misturar as bebidas, passo a noite tomando minhas cervejinhas ou um chopinho bem gelado.
Minha comadre se chama Estela, 27anos, branquinha, 1,60m, olhos castanhos escuros, cinturinha fina, pernas roliças, bundinha empinada, seios em forma de peras durinhos. Resumindo, Estela é um espetáculo de mulher, minha musa inspiradora de muitas punhetas, nos momentos solitários. Depois que minha esposa contou a ela sobre a relação que mantínhamos percebi uns olhares diferentes, umas brincadeiras com palavras mais picantes quando estava longe do meu compadre. Só que ele nunca me enganou, pois perdi as contas das vezes que o peguei disfarçado secando as pernas e os seios da minha esposa.
No primeiro dia de viagem nos hospedamos em uma pousada na cidade de Sombrio, última praia de Sc. Na divisa com Rs. Optamos por ficarmos em um chalé com dois quartos, sala e uma pequena cozinha. Os quartos ficavam um de frente para o outro. Após relaxarmos os esqueletos em uma enorme piscina, tomamos banhos e fomos procurar um barzinho na cidade para comer e tomar umas geladas, pois o calor era quase insuportável.
Tomamos todas e como sempre meu compadre estava todo alegrinho, e falante. Notei que ele às vezes segurava nas coxas da minha esposa quando ia falar alguma coisa com ela, minha esposa não se incomodava acho que estava dando corda pra ver até que ponto seu atrevimento chegasse. Minha comadre me cutucava e sorria dizendo que preferia que seu marido fosse sempre assim e não aquela pessoa emburrada que tinha que aturar todos os dias em casa.
A cena do meu compadre com a mão na coxa da minha mulher mexeu com minha imaginação. Como a nossa mesa era redonda e minha comadre sentava quase na minha frente, pude reparar no pequeno shortinho que minha comadre estava usando deixando a mostra aquelas coxonas e no meio delas, a testa da sua bucetinha deliciosa. Não teve como evitar uma ereção e o volume que fazia na minha bermuda se tornou enorme e minha comadre percebeu bem na hora que estava tentando ajeitar para que não aparecesse tanto. Na realidade ela me flagrou ajeitando o pau olhando pro meio das suas pernas. Pensei que tinha dado um fora, mas a reação dela me surpreendeu, pois me olhou com um sorrisinho cínico e disfarçadamente abriu mais suas pernas e me lançou um olhar desafiador querendo dizer: se quiser vem pegar.
Meu compadre animado conversando com minha mulher nem notava o que estava acontecendo ao seu lado.
Meu compadre estava no banheiro quando minha esposa se levantou e chamou minha comadre para ir com ela. Ao se levantar minha comadre olhando para o volume na minha bermuda falou no meu ouvido:
- Isso tudo é por minha causa?
Sorri e pisquei um olho pra ela afirmando sua pergunta.
Enquanto as duas se encaminhavam para o banheiro, percebi que estavam bem travadinhas. Aquela noite prometia.
Quando chegamos à pousada ainda era cedo, então eu e meu compadre resolvemos continuar bebendo enquanto as mulheres tomaram banhos e se preparavam para dormir. As duas se tramaram no papo e caíram “desmaiadas” na minha cama.
Estava na cara que era armação das duas, pois como a calcinha da minha comadre poderia estar naquela posição, deixando exposta sua exuberante e suculenta fonte de prazer?
- Então compadre? Não está com tesão na minha mulher?
- Vai lá! Fode sua bucetinha, será nosso segredo!
Antes que meu compadre dissesse alguma coisa, me agachei na frente da minha comadre, puxei de lado sua calcinha e enfiei a língua naquela bucetinha cheirosa e suguei com gosto aquela grutinha molhadinha. Pelo estado de excitação, com certeza elas estavam ouvindo nossas conversas. Elas deviam ter combinadas enquanto tomavam banho e estavam fingindo que dormiam profundamente. Tinha certeza que foi tudo armação delas!
Meu compadre ainda relutou um pouco antes de se ajoelhar na frente da minha mulher, tirar sua calcinha e cair de boca na bucetinha dela.
Enquanto chupava a buceta da minha comadre, ela gemia baixinho e jogava sua buceta contra minha cabeça e quando seu corpo estremeceu e os fluidos que saiam abundante de dentro da sua grutinha foram parar na minha boca, já não tinha mais como ela continuar fingindo que dormia, pois assim que gozou ela forçava minha cabeça e esfregava sua bucetinha na minha cara. Quando consegui tirar a cabeça do meio das pernas da minha comadre, olhei para o lado e vi meu compadre socando seu pau na buceta da minha mulher selvagemente. Ele metia fundo e com força. Acho que vendo sua mulher gozando na minha boca serviu como afrodisíaco para ele foder com vontade a buceta da minha mulher.
Ângela gemia e pedia para que ele metesse mais forte, pois estava quase gozando, então vi minha mulher se contorcendo e segurando na cintura do meu compadre puxando ele contra seu corpo ao mesmo tempo em que jogava sua buceta contra ele fazendo que o pau do compadre atingisse profundamente sua buceta quentinha e gulosa. Pensei que meu compadre também tinha gozado, mas devido ao avançado grau etílico, seu pau saiu duro de dentro da bucetinha da minha esposa. Assim que minha esposa gozou, ela se levantou e segurando no pau do meu compadre o arrastou para a sala onde ficariam mais a vontade, pois quando o efeito da bebida acabasse meu compadre podia não gostar de ver sua esposinha gemendo e gozando em outro pau. Minha esposa me confidenciou depois.
Após minha esposa e meu compadre ter ido para a sala, minha comadre se ajoelhou na minha frente e começou a abrir minha bermuda e puxá-la para baixo junto com minha cueca deixando a mostra meu pau que lhe deixou com água na boca. Ela esticou sua mãozinha e o pegou por inteiro, mal conseguindo fechar os dedinhos em volta dele.
Estava duro, quente que chegava a pulsar em sua mão. Admirada com a grossura, mas sem perder o desejo, abriu a boca e o engoliu pouco mais além da cabeça. Eu não aguentei e Disse:
- Que delícia de boquinha, chupa bem gostoso, chupa!
Minha comadre não parava de chupar. Fazia movimentos rápidos e firmes engolindo meu pau. Eu a segurava pelos cabelos e comecei a forçar-lhe a boca, fazendo a cabeçorra vermelha do meu pau, bater no fundo da sua garganta. Minha comadre era experiente e conseguiu manter a respiração, mesmo nessa situação.
Parecia que estava fodendo uma buceta, de tão intensa que eram minhas investidas. Ela ajudava como podia com suas mãos me punhetando e engolindo o meu pau. Não demorou muito, e sem aviso inundei sua boca com um jato grosso e quente que atingiu diretamente o fundo da garganta.
O primeiro jato ela engoliu subitamente. O restante escorreu lentamente pelos cantos da sua boca. Ela com os dedos empurravam para dentro da sua boquinha e engolia saboreando cada gota. Eu sentado na cama me deliciava com a boca suave da minha comadre que continuava a me chupar.
Minha comadre se entregou de corpo e alma ao desejo sem pensar no que seu marido e minha esposa estavam fazendo na sala a poucos metros de onde estávamos.
Ela se levantou e sentou na minha frente entrelaçando suas pernas na minha cintura. Nós nos entregávamos ao prazer total. Comecei a tirar delicadamente sua camisetinha expondo seus lindos seios de tamanho médios tipo pera e duros e com os mamilos rosadinhos apontando para cima. Fiquei admirando aquela cena e comecei a chupá-los. Ela gemia com minhas investidas. Enquanto chupava seus peitinhos ela esfregava sua bucetinha sedenta no meu pau que estava rígido como uma rocha ao mesmo tempo em que suas mãos acariciavam meus cabelos. Naquele quarto o clima era intenso, mas os sons que vinham da sala não deixavam a desejar, indicando que a chama ali também estava ardendo.
Com a ajuda da minha comadre, comecei a retirar sua calcinha expondo sua bucetinha rosada com o grelinho levemente saltado para fora.
Novamente fui aproximando suavemente meu rosto, beijando a parte interna da sua coxa até chegar a bucetinha completamente molhada, pois ela já tinha gozado várias vezes na minha boca. O cheiro suave que exalava daquela rachinha me fazia arrepiar os pelos.
Eu agora com calma beijava os grandes lábios e passava a língua por toda a extensão da sua bucetinha. Minha comadre geminha baixinho enquanto passeava com minha língua sobre seu clitóris deixando o corpo dela em brasas a preparando para a penetração.
Minha comadre não aguentava mais e implorava para que eu fodesse sua bucetinha, então não podia negar isso a ela, pois também estava preste a realizar um desejo que a tempo guardava dentro de mim.
Ajoelhei-me no meio das suas pernas, e para facilitar minha comadre abriu um pouco mais dobrando e levantando seus joelhos me deixando aquela bucetinha suculenta sedenta por um pau de verdade a minha disposição. Pincelei a cabeçorra na entradinha da sua grutinha e fui enfiando devagar. Meu pau é bem grosso comparado a sua bucetinha, dava a sensação que estava bem mais apertadinha que o normal. Por sua vez ela sentia que sua bucetinha estava sendo dilacerada.
Eu metia lentamente e ela gemia alto pedindo mais. Meu pau entrava e saia em um ritmo suave fazendo-a sentir toda a penetração da entrada até quando a cabeçorra da minha pica empurrava seu útero. Minha comadre arfava, gemia e dizia:
- Fode minha bucetinha, me faça gozar neste pauzão!
- Ai que delícia, bem que a Ângela falou que seu pau era gostoso!
- Não para que eu vou gozar, uuiiii!!!!! Que delícia!!!
Os gemidos estavam alto praticamente competindo com os gritos da minha esposa que vinha da sala.
Pedi que minha comadre ficasse de quatro e ela atendeu. Enfiei dois dedos na sua bucetinha e levei a boca para sentir seu gosto de fêmea no cio. Penetrei-a de uma vez arrancando um grito dela, enquanto fazia pressão contra sua cintura, só ficavam minhas bolas de fora, ela sentia meu pau preenchendo e fazendo sua bucetinha atingir seu grau máximo de elasticidade e ocupar espaço até então nunca alcançado pelo pau do seu marido.
Ainda segurando na sua cintura comecei a meter em um ritmo forte fazendo ouvir de longe o barulho que fazia quando nossos corpos se encontravam.
Minha comadre começou a gritar:
- Eu não aguento mais!!! Vou gozar!!!! Uuiii que delícia!!!
- Não para!! Continua!!! Estou gozaaando!!
Seu corpo serpenteava a cada espasmo de gozo que brotava da sua grutinha. Minha comadre prendia a respiração e mordia o travesseiro para tentar abafar seus gemidos que eram muito altos.
Vendo Minha comadre naquele êxtase mal tive tempo de tirar meu pau da sua bucetinha e em jatos fortes e contínuos lavei sua costa e bunda com minha porra. Não gozei dentro porque estávamos fodendo sem camisinhas. Minha comadre caiu sem forças sobre a cama e eu me atirei ao seu lado. Ficamos nos olhando com ares de satisfação e trocamos selinhos.
O sorriso em nossos rostos completava aquela noite prazerosa.
Ainda era possível ouvir os gemidos da minha esposa na sala. Eu e minha comadre fomos ao banheiro para nos limparmos depois ainda sem roupas fomos até a sala de onde os gemidos continuavam.
Paramos na entrada da sala com minha comadre na frente e eu abraçando a por trás colando meu pau na sua bundinha. Ficamos ali abraçadinhos presenciando seu marido metendo seu pau no cu da minha mulher. Meu compadre metia tão rápido que parecia que ia explodir, enquanto minha esposa gemia continuamente.
Enquanto via minha esposa gemendo no pau do meu compadre, meu pau novamente acordou e cutucava a bundinha da comadre. Ela entendendo o que eu queria enfiava seus dedinhos na buceta e levava até seu cuzinho. Eu para ajudar empurrava para dentro do seu anelzinho e fazia movimentos para lacear. Seu cuzinho piscava apertando meus dedos dentro dele. Quando notei que ela estava preparada botei a cabeça na entrada e fui empurrando devagar. Ela rebolava e jogava sua bundinha para trás para facilitar a penetração. Conforme ia entrando ela pedia calma para não machuca-la. Com muita paciência logo estava com meu pau todo atolado naquele cuzinho.
Minha comadre se apoiou na parede empinando sua bundinha e começou lentamente jogar seu corpo pra frente e pra trás comandando a nova defloração do seu anelzinho. Eu ia vendo meu pau saindo quase totalmente e entrando justo alargando aquele buraquinho tão pequenino, olhando parecia até uma missão impossível, mas a excitação de ver seu marido urrando enquanto arrombava o cu da sua comadre e melhor amiga, achou que devia isso a mim. Logo ela foi aumentando o ritmo e já conseguia castigar sem dó aquele cuzinho. Minha comadre só gemia e pedia para meter com cuidado por que estava doendo, então para não judiá-la, diminui o ritmo.
De repente meu compadre começou a urrar que nem um alucinado e anunciou que ia gozar então minha esposa prontamente ajoelhou-se a sua frente, direcionou o pau dele para sua boca e várias golfadas encheram a de porra. Minha esposa engoliu tudinho olhando nos olhos do compadre.
Diferente do meu pau, o do compadre era comprido e fino, só a cabeça que era bem mais grossa dando uma leve deformidade ao seu membro.
Meu compadre caiu fatigado no sofá e minha esposa fez o mesmo abraçando seu corpo e colando a cabeça no seu peito.
Vendo aquela cena não aguentei e despejei uma quantidade enorme de porra no fundo do cuzinho da comadre alagando seu intestino.
Minha comadre sentiu aliviada quando meu pau amoleceu e foi saindo do seu cuzinho deixando todo vermelho e arrombado. Era tanta porra que tinha despejado dentro dela, que aos poucos ia saindo do seu cuzinho e escorria por suas pernas.
As duas mulheres com olhares de cumplicidades e um sorrisinho maroto nos rostos, ficaram olhando seus homens pelados e acabados no mesmo ambiente, coisa que um dia antes na cabeça de qualquer um de nós era só uma fantasia que jamais seria realizada.
Depois que o efeito da bebida passou e todos de banhos tomados, sentamos todos juntos e conversamos sobre o que tinha acontecido. Surpreendi-me com a naturalidade que meu compadre aceitou a nova condição de vida que levaríamos daquele momento pra frente. Ele sabia que eu e minha esposa tínhamos um relacionamento aberto e mesmo assim vivíamos felizes. Minha comadre há tempo vinha preparando o terreno. Meu compadre no início quase se separou, mas quando viu que estava perdendo a mulher que amava resolveu ceder. Era por isso que nunca dava certa nossa viagem.
Combinamos que até o término daquela viagem dormiríamos com as esposas trocadas. Ficamos vinte dias na estrada, toda noite era uma loucura. Só quem vive ou viveu algo parecido sabe como é delicioso ouvir a noite os gemidos da sua esposa gozando no pau de outro enquanto faz o mesmo com a mulher do outro na cama ao lado. A sinfonia de sussurros e gemidos e o cheiro de sexo, enchia aquele ambiente de erotismo e tesão.
A sensação de poder levantar a noite, acender as luzes e ver as mulheres dormindo relaxadas e felizes após uma longa sessão de sexo é algo indescritível.
Se gostar vote, comente. Dependendo da aceitação dos leitores pode haver continuidade.

Foto 1 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)

Foto 2 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)

Foto 3 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)

Foto 4 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)

Foto 5 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario gersal607

gersal607 Comentou em 02/08/2016

Excelente seu conto parabéns votado

foto perfil usuario diogodioguito

diogodioguito Comentou em 02/12/2015

Muito boa está história, também li outras bem legal, só queria saber se algumas delas são verídicas e quais? pois os personagens e os cenários mostram que são pessoas totalmente diferentes

foto perfil usuario forrestgump

forrestgump Comentou em 25/08/2015

Maravilha....esse foi bem ao estilo Casal Aventura. Votado. Obrigado pelo carinho com meus contos.

foto perfil usuario massagista1963

massagista1963 Comentou em 31/07/2015

Nossa Ângela, assim você acaba comigo, gozei muito. Lindo conto muito bem relatado, um português exemplar, por isso adoro ler seus relatos parabéns. Ta votado.

foto perfil usuario mgscorno123

mgscorno123 Comentou em 01/07/2015

BELOS CONTOS OS SEUS, VOU LER O MÁXIMO Q EU PUDER, ADOREI CONTINUE ESCREVENDO MINHA LINDA, MAIS EU AINDA NÃO SEI O QUE ME DEU MAIS TESÃO SE FOI AO LER O CONTO, OU FOI VER SUA LINDA BUCETA. ADOREI QUERO CONTINUAR LENDO SEUS CONTOS COM CERTEZA ELES VÃO ME PROPORCIONAR MUITO TESÃO.

foto perfil usuario semajos

semajos Comentou em 18/05/2015

Vc é gostosa demais um conto melhor qe outro

foto perfil usuario clotilde

clotilde Comentou em 31/01/2015

Que conto maravilhoso fiquei imaginando o meu comprade qu morremos de tesão um pelo outro nossa toquei uma siririca bem gostoso

foto perfil usuario querotrepar

querotrepar Comentou em 24/01/2015

Carlos espero que haja muitas e muitas viagens como essa, e que todas possam ser publicadas com certeza votos e comentários não vão faltar a este relacionamento que proporciona prazer a todos.

foto perfil usuario original2013

original2013 Comentou em 03/01/2015

Gostaríamos de poder vivenciar algo assim, parabéns

foto perfil usuario betogato

betogato Comentou em 24/12/2014

Nossa que delicia de conto acabei de gozar gostoso bjss




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


596 - ESPOSAS TROCADAS (Incesto, Prazer a quatro) - Categoria: Incesto - Votos: 530
601 - CAMILA, UMA GRATA SURPRESA - Categoria: Heterosexual - Votos: 102
611 - Flagrei minha esposa com meu irmão (continuação) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 107
612 - Flagrei minha esposa com meu irmão - Categoria: Incesto - Votos: 108
616 - NÃO ACREDITEI NO QUE VI - Categoria: Incesto - Votos: 149
617 - Já que o marido não quer - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 115
618 - Comi minha cunhadinha grávida - Categoria: Incesto - Votos: 84
621 - RAPIDINHA COM A CUNHADA COM O IRMAO NO BANHO - Categoria: Incesto - Votos: 93
10411 - COMO DESCOBRI UMA VERDADEIRA PUTA - Categoria: Traição/Corno - Votos: 41
10412 - AO SR. JOSÉ COM CARINHO (Eternas Recordações) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 45
10413 - ARMADILHAS DO DESTINO - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 23
10414 - O IMPORTANTE É GOZAR E SER FELIZ (Ninguém é de nin - Categoria: Traição/Corno - Votos: 32
10415 - DESCOBRINDO O PRAZER (Como tudo começou) - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 26
10416 - QUEM AMA TRAI? (Um doce engano) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 37
10597 - Flagrei meu cunhadinho se masturbando - Categoria: Masturbação - Votos: 106
13853 - Dando o troco no Maridão(Uma história Incestuosa) - Categoria: Incesto - Votos: 112
15519 - Eu, meu marido e o Sr. José. (Eternas Recordações) - Categoria: Heterosexual - Votos: 126
32529 - Descobrindo o Prazer com o Sr. Augusto ( Final ) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 111
32531 - Descobrindo o prazer com o Sr. Augusto. ( parte 3) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 91
32532 - Descobrindo o prazer com o Sr. Augusto. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 139
32554 - Descobrindo o prazer com o Sr. Augusto. ( Parte 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 89
35394 - Obsessão por papai final - Categoria: Incesto - Votos: 138
35395 - Obsessão por papai parte 2 - Categoria: Incesto - Votos: 103
35396 - Obsessão por papai - Categoria: Incesto - Votos: 157
38267 - NA BARRACA COM O MARIDO BÊBADO E DOIS AMIGOS - Categoria: Traição/Corno - Votos: 267
45880 - Minha comadre linda e gostosa dando o troco no mar - Categoria: Traição/Corno - Votos: 65
47042 - Dividindo a esposa novinha com um Sr de idade - Categoria: Traição/Corno - Votos: 98
47348 - Casadinha dando no pomar vendo o marido jogar fute - Categoria: Traição/Corno - Votos: 153
56311 - Comendo a comadre bêbada enquanto todos dormiam. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 38
56471 - A jovem esposa mal amada e o hóspede adolescente - Categoria: Traição/Corno - Votos: 65
56944 - SE MEU MARIDO SOUBESSE!!! Verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 109
59012 - EU, MINHA ESPOSA E UM CASAL AMIGO NO CÂMPING - Categoria: Traição/Corno - Votos: 62
59926 - ENQUANTO NOSSOS PAIS TRABALHAVAM!!! - Categoria: Incesto - Votos: 86
60539 - Meu marido não sabe que fui mulher do meu pai - Categoria: Incesto - Votos: 69
61030 - Eu meu marido e o Sr, José(Eternas recordaçãoes) 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 41
62439 - Como era apertada a bucetinha da minha cunhada! - Categoria: Heterosexual - Votos: 44
63006 - Perdi minha virgindade com um pau enorme - Categoria: Heterosexual - Votos: 49
63408 - FUI CHANTAGEADA PELO PATRÃO DO MEU MARIDO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 71
65180 - O CANALHA ALÉM DE TIRAR A CAMISINHA GOZOU DENTRO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 129
65807 - QUANDO O DESEJO FOI MAIOR QUE A RAZÃO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 55
67010 - O TIO DO MEU MARIDO ME COMEU E AINDA GOZOU DENTRO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 112
67284 - DESVIRGINANDO A SOBRINHA NO ANIVERSARIO DE 18 ANOS - Categoria: Incesto - Votos: 53
72275 - FINGIU QUE DORMIA SÓ PARA ME DAR O CUZINHO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 48
74652 - SOBRINHA "DORMINHOCA" um conto veridico de incesto - Categoria: Incesto - Votos: 75
76246 - Mesmo Grávida dei para o filho do meu compadre. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 80
81876 - O safado me comeu com meu marido dormindo ao lado - Categoria: Traição/Corno - Votos: 121
82961 - MINHA PRIMEIRA NAMORADA DAVA O CU PARA SEU IRMÃO - Categoria: Incesto - Votos: 31
83110 - APAIXONEI-ME PELO PAU DO MEU SOGRO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 52
85584 - A bucetinha da Carol, minha sobrinha recém-casada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 56
90327 - UMA VIRGEM. 4 IRMÃOS E UM TIO TARADO (verídico) - Categoria: Incesto - Votos: 67
95218 - O safado do meu sogro gozou dentro do meu cuzinho enquanto meu marido cortava a grama - Categoria: Traição/Corno - Votos: 104
103147 - ENQUANTO NOSSOS PAIS VIAJAVAM (Verídico) - Categoria: Incesto - Votos: 46

Ficha do conto

Foto Perfil aventura.ctba
aventuractba

Nome do conto:
ESPOSAS TROCADAS II (Prazer a quatro, a viagem)

Codigo do conto:
57947

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
19/12/2014

Quant.de Votos:
30

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


Contos eroticos de primas submissa por primos no sexotravesti pagamdu boketi no caruconto erotico fodi a vendedora de frutacontos heroticos cornos inversão de papéis explícitoso gostosa de shortinho socadocontos eróticos 3da mulher maravilha beijando com a mulher cilarRabudas bunda grandecontoscorno praiaconto erotico voltando de festa com o paiconto eroticomamando na maninha eo marido dela chupando meu pauconto eroticos de corno marido chupando buceta gozadacom foto da traiçao porno de marrentas violentadasContos eroticos com gays e travestis negros dotadosContos de corno amigo dopadoMania de ficar pelada acabei dando pro meu namoradodoce nanda contos eroticosconto eroticocontod eroticos virgem novinha dez anoscontos eroticos/comeu novinha peludinhaContos eróticos amor a primeira vista lesbicoxxx cunhada tempo de ferias com cunhadoxxv so novinhas dado cu e nao aguerta dar por que ele tem pal grade mais ele perga aforcaContoeroticoporcoconto erotico shorthistoria em quadrinho porno irmoa estorando o cu da maniaporno conto erotico sograjatos fortes de porra no fundo da minha bucetaTriste Fim de Jéssica - Capítulo contos gays ultimosme tornei mulher pelada dançando noContos gay de chulécontos eroticos gay putinhacontos eroticos de xifrudosconto erotico espiaram tomando banho nuanegao conto eroticoConto porno desdi pequena pai e mae me comexvidio novimha acordamo primoquadrinhos pronopunheta gordoconto erotico chao a mulher do amigoconto erotico onibuscontos eróticos em quadrinho tio tirando o cabaço da sobrinhaconto erotico eu meu marido e minha irmãquatrinho porno estrupaquadrinho eroticomacho peludo dotado fode bixsconto erotico de cocotasporno quadrinhosconto erotico tia pousada jacuzzi pornoempreitero gay com rola dura fotofilho do pasto comendo a obreiraincestocontogayPrimo comendo esposa do primoconto erotico maninhaPrimo skatista conto gayconto erotico em quadrinhõeduk eroticoCorno manso conto eroticocomi a buceta e cu de cilene contoscontos eróticos gay chupei o cu do meu paivedio mulher do.gemitao di pornocontos eróticos sou corno do meu sogro2017contos eroticos incesto viciado na buceta da minha filhinhaentiadacontoeroticoContos eroticos encontreia uma calcinha da minha filha babadinhairma kavalacontos eróticos de meninas novinhas obrigadas a se prostituir para homens velhosfodendo com bandidos mae contosfodendo a tia dormindo no dwollandcontos vadiasporno contos eroticos comi minha maecontos eroticos de cornosContos mindingos fudendo gordinhosirma kavalalimpa minha buceta seu corno contohomens transando em quadrinhos pai e filhosultimos contos sadoconto erótico evangélicas gostosasquadradinho porno entregadormalandro gay passivo dando o cu contoConto erotico primo vendo a bucetinha da primacontos eroticos demenor e tioconto erotico ele nao e meu irmaoconto erotico mae carente fode tanto filho e engravidaContos eróticos picantes de gays com fotos ilustrativascontos comendo menininha de 10historia porno irmaoconto erotico corno casa swingsodomizada pelo padrasto contoscomeu a prima no mato porn mozdei para 3negos contoscontos eroticos casa de praia