Macho, mas... como uma fêmea bem comida


Click to Download this video!


Esse conto é, de certa forma, uma continuação de "Fui comer, fui papado", em que descrevi o jeito que conheci o Carlos, um cara grandão, meio gordo, meio forte, que diz que gosta de dar a bunda mas que na hora "H" virou o jogo e me comeu.
Nã vou dizer que não gostei. Se você for ler o outro conto, vai perceber que o cara é mestre e sabe dar um trato na "vítima" e foi muito, digamos, proveitoso. Mas não é uma coisa que eu repetiria. Aliás, depois que nos despedimos eu sabia que nunca mais o veria porque eu não sou disso. Tenho namorada e não me sentiria bem, estando num relacionamento, se ficasse trepando com outras pessoas, homens ou mulheres. É verdade sim. Aquele dia só aconteceu porque minha namorada tinha ido viajar e já era o sétimo dia na mão. Aí não tem santo que aguente, é ou não é?
Aliás, essa coisa de trepar com homem só acontece uma vez a cada muitos anos. Nunca me apaixonei por caras, mas não nego que curto safadezas com homens e mulheres.
Tenho alguns amigos com quem saio de vez em quando. Não é isso que você está pensando. Eu saio para bater papo, fazer networking, como se diz. Mesmo isso eu faço pouco, mas nessa quinta-feira resolvi sair com meu amigo Paulo, que eu conheci na faculdade. Ele é de uma família com grana então depois que se formou foi cuidar dos negócios da família e continuou rico. Eu continuei na batalha. Ele era o meu melhor amigo na época da faculdade, mas já faz tanto tempo.
Hoje, eu tenho essa namorada, já faz alguns anos, e somos praticamente casados e a relação com o Paulo evidentemente mudou muito ao longo dos anos. A gente se vê uma ou duas vezes por semestre, e a gente conversa sobre tudo, mas como os encontros são mais esporádicos, a conversa agora é mais uma atualização dos fatos acontecidos do que um papo do que está acontecendo, como era quando a gente se via cotidianamente.
O Paulo passou em casa e fomos a um restaurante japonês em seu carro. Comemos um sushi muito bem feito, tomamos sakê, que você sabe como é, sobe rápido e você nem percebe. A comida estava ótima, o restaurante é bem legal e eu estava animado com o papo. Ficamos bastante tempo no restaurante e já haviam poucas pessoas sendo atendidas. No final, resolvemos pedir uma sobremesa e quando olho para o garçom trazendo a bandeja, levei alguns segundos para lembrar do rosto do Carlos. Percebi que ele também tomou um susto, e desviei o olhar para o Paulo, que estava distraído e não parava de falar sobre suas puladas de muro animadamente. Tentei direcionar meu olhar para o meu amigo mas eu não o via. Meu estômago virava de nervoso com a presença do Carlos, que havia enfiado vários dedos no meu cú e me feito rebolar em sua pica gemendo feito uma fêmea-puta, alguns meses antes. Eu estava virado para o Paulo, e tentava a todo custo manter a calma, como se estivesse prestando atenção com medo de que ele percebesse qualquer alteração em mim e viesse perguntar, afinal, nós somos amigos, mas eu nunca falei dessas coisas coisas com ele.
Ficava virado para o Paulo, como se estivesse o ouvindo falar. Tentava gesticular como se estivesse escutando, mas ouvia o coração chegando na boca e a pulsação nas orelhas, que deviam estar vermelhas. O Paulo finalmente me perguntou se eu tinha exagerado na bebida porque eu tinha me calado. Eu falei que achava que sim, e resolvi ir ao banheiro. Ele deu uma risada e disse que já ia pedir a conta. Eu disse que já voltava, e que essa era a minha vez de pagar.
Entrei no banheiro e 10 segundos depois entra o Carlos. Me encarou, e era como se estivessemos numa continuação da trepada de meses atrás. Já foi me empurrando para um boxe. Segurou meu rosto e disse na minha orelha que era bom eu não fazer o barulho de cadelinha que eu faço na cama porque já tinha pouca gente no restaurante e daria para ouvir do salão. Eu nem tive tempo de pensar no que dizer. Ele me segurou com força, me empurrando para baixo, tirando o pau para fora, e eu sentei no vaso ficando de frente para aquela geba meio mole, mas que eu já conhecia intimamente. Ele já foi esfregando o pau no meu rosto, e eu fiquei preocupado com o cheiro forte de saco de macho na minha pele, ao mesmo tempo que, não posso negar, meu pau dava sinais de que eu estava gostando daquilo. Eu estava bêbado, não é possível. Ele segurou minha boca com força com uma das mãos e me forço a abrir e engoli aquele pauzão lá no fundo, já sentindo sua outra mão segurando meus cabelos para comandar os movimentos de foda.
Eu ainda estava meio tonto, meio bêbado, e preocupado em como iria explicar o cabelo todo desalinhado ao Paulo, enquanto o Carlos enfiava e tirava o pau, que já estava ficando duro, entrando e saindo, batendo no fundo da minha garganta.
Ficamos alguns minutos assim e, de repente ele parou. Senti um alívio, afinal eu já estava demorando um pouco, e já ia começar a chamar a atenção do Paulo, no salão. Me levantei, dei um sorriso, achando a situação um pouco engraçada, os dois no box, eu com um pau na boca. Imagina! Como eu disse, eu não sou disso.
Quando eu ia falar para o Carlos ele me virou para o vaso me desequilibrando e me segurei para não cair. Ele rapidamente enfiou a mão por dentro da minha calça, da minha cueca e ficou porcurando meu cu. Meu coração disparou. Toda aflição retornou, e agora o cara já estava abaixando minha calça, minha cueca, eu estava escancarado para ele, e se o Paulo entrasse no banheiro agora, ia me encontrar com a bunda na cara de um cara meio gordo. O Carlos me empurrava para frente, e enfiou a boca no meu rabo, deixando ele todo molhado. E eu não podia soltar um pio, não dava nem para falar, porque dava para ouvir o barulho das pessoas conversando tranquilamente no salão, e eu sentia aquela língua molhada no meu rabo, me deixando louco, e o Paulo segurava meu pau mole junto com meu saco por trás, como se fosse uma coleira, me puxando para a posição que o acomodava melhor com uma mão, enquanto que a outra abria bem a minha bunda.
Nisso entra o Paulo no banheiro. Eu e o Carlos congelamos dentro do box. O Paulo entra e pergunta, se estava tudo bem. Com muito esforço, eu começo a dizer que está sim, e o Carlos volta a mexer a língua quente, áspera e molhada no meu cu, apertando o meu saco. Metia a pontinha, tentava enfiar. Eu explico que tive que dar um abraço no vaso sanitário porque bebi demais da conta, e o Paulo riu enquanto dava um mijão no mictório ao lado. Enquanto eu ouvia ele rindo da situação que ele imaginava que eu passava, o Carlos tirou a boca e enfiou o dedo gelado no meu rabo, e eu ouvindo o mijão do Paulo, a 1 m de distância.
"Mas você está bem mesmo?"
"Ss sim, tá tudo bem, já vou sair, tá bem?"
E o Carlos enfiava e tirava um dedo.
"Porra, esse banheiro fede, caralho! Puta cheiro de cú!"
Eu só conseguia sentir o Carlos esfregando dois dedos no fundo do meu cu, sem fazer um barulhinho sequer, apertando meu saco com força para que eu não saísse da posição, de pernas abertas com o vaso entre elas, o chão molhado, curvado para frente desequilibrado, aquela válvula Hydra na minha cara, enquanto o gordo do Carlos esfregava dois dedos bem fundo no meu rabo, deixando minhas pernas mais moles.
O Paulo mijou por mais de 2 minutos e eu ficava imaginando que no final ele estava sacudindo o pau, e imaginei o mijo do pau dele pingando no chão. Eu nunca tinha pensado numa coisa dessas em relação ao Paulo, mas aquela situação me levava a ficar pensando no pau do Paulo. Será que é escuro, grande? Será cabeçudo? Lembrei do pau do Carlos. Meu rosto ainda tinha o cheiro do pau do Carlos. Eu torcia para que naquele silêncio o Paulo estivesse só sacudindo o mijo do pau porque a outra possibilidade é que ele estaria tentando entender o que se passava comigo, olhando pela fresta do box naquele banheiro mal iluminado. E agora eu sentia os dois dedos saindo devagar e a boca do Carlos, deixando escorrer muita saliva em meu cu já alargado.
"Olha cara, se você já está bem mesmo, já vou pedir o carro. Dessa vez você escapou da conta! Mas tá tudo bem mesmo?"
"Ssim. Já tou saindo. Isso, já vou meeeesmo". E senti o pau do Carlos me cutucando o cu. Aproveitou e enfiou a cabeçorra nesse momento. A dor, puta que o par-tiu. Meu cu todo melado deixou o pau escorregar mas esticou tudo. Eu não podia soltar um pio enquanto o Paulo lavava as mãos, acompanhando o barulho da torneira. Carlos agora meteu devagar, de uma vez, até o fundo, me segurando pelos quadris, e perdi a respiração. Fiquei quietinho, empalado na parede suja. O pau inchado, eu sentia o Carlos dentro de mim lá no fundo, os pentelhos molhados do saco do Carlos na minha bunda macia e branca. Tudo parado enquanto o Paulo secava as mão com as toalhas de papel.
"Puta, cara. Se tá mal mesmo, hein? Então, já tou te esperando, tá?"
"Tá, já - tou - indo!", enquanto o Carlos começava a bombar com força, mas sem tirar o pau do meu cu, como ele fez na minha cama, porque se não ia fazer aquele som de "pop!", o barulho de ar, como um peido, toda vez que aquele cilindro entrava e saía do meu rabo. Ouvi a porta bater e o Carlos começou a bombar com muita força, meu sapato escorregava no chão molhado de não sei o quê, ali no vaso, e o pau entrava até a minha barriga. Ele socava, socava o pau no meu rabo, e eu só pensava na loucura, como é que fui parar nessa situação? E me segurava nas laterais do boxe. Eu sentia aquela vara me espetando por dentro, já era só prazer, quer dizer, o cu não oferecia resistência alguma, era só uma buceta, macia, em que o macho metia. Agora, um pouco menos preocupado, e já arrombado, sentia as veias daquele pau gostoso se esfregando em mim por dentro. Como mete bem esse cara. E ele me segurava agora pelo pecoço, fungando em minha orelha, enfiando a língua dentro da orelha e eu ouvia o pau entrando e saindo de dentro de mim, gostoso, o pau gostoso naquele lugar, e eu estava ficando com vontade de mijar, de pé, e o pau entrava e saía em velocidade, e a vontade de mijar aumentava, e aquelas porradas na minha bunda em que o macho metia, parecia uma máquina, cada vez mais rápido e a vontade de mijar aumentava, e ele metia rápido mais, mete mais, e a mão no meu pescoço, mete mais, e a língua molhada se metendo na minha orelha, e eu não escutava lá fora, só a língua e o pau batendo lá dentro, e eu também queria, me faz, me faz e, caralho, vou mijar na parede e ahhhh, gozei, gozei mais, com aquela máquina socando meu rabo, eu gozava e meu cu piscava apertava o pau do macho, que entrava e saindo, e apertava descontroladamente o pau do macho e ele se contorceu me apertando mais o pescoço e comecei a sentir as golfadas grossas do gozo pelo seu pau, dentro pau, direitinho, atravessado no meu cu, e jorrando dentro de mim, no fundo, quente, minhas carnes meladas. Me fez uma fêmea muito bem comida.
Foto 1 do Conto erotico: Macho, mas... como uma fêmea bem comida

Foto 2 do Conto erotico: Macho, mas... como uma fêmea bem comida

Foto 3 do Conto erotico: Macho, mas... como uma fêmea bem comida


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.





Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


14914 - BANHEIRO DA FACUL - Categoria: Gays - Votos: 5
14915 - PRIMEIRA VEZ, BOMMMM - Categoria: Gays - Votos: 9
14916 - INICIADO PELO PRIMO - Categoria: Gays - Votos: 13
14917 - AJUDINHA DO COBRADOR - Categoria: Gays - Votos: 9
14981 - VOLTA PARA CASA COM CHUVA - Categoria: Gays - Votos: 5
15067 - COM TIO - Categoria: Gays - Votos: 7
15145 - QUE DEDADA - Categoria: Gays - Votos: 3
15151 - ENCOXADA NO BUS - Categoria: Gays - Votos: 6
15153 - PATRAOZINHO - Categoria: Gays - Votos: 6
15164 - VIZINHO MOTOQUEIRO - Categoria: Gays - Votos: 6
15165 - VIZINHO CASADO - Categoria: Gays - Votos: 3
15178 - PRIMEIRA VEZ DE UM CASADO - Categoria: Gays - Votos: 10
15187 - PREFEITO SAFADO - Categoria: Gays - Votos: 9
15280 - CASADO E PASSIVO - Categoria: Gays - Votos: 13
15281 - UM AMIGO INICIOU - Categoria: Gays - Votos: 3
15282 - SEGREDO ENTRE MACHOS - Categoria: Gays - Votos: 10
15283 - MILITAR CASADO - Categoria: Gays - Votos: 11
15286 - APAIXONEI-ME POR UM MARINHEIRO - Categoria: Gays - Votos: 4
15287 - TREPADA COM CASADO SAFADO - Categoria: Gays - Votos: 5
15356 - METENDO NO CUNHADO - Categoria: Gays - Votos: 9
15422 - IRMAO ME FLAGROU, E ME ENRABOU - Categoria: Incesto - Votos: 24
15423 - TRACEI O VIGILANTE - Categoria: Gays - Votos: 5
15435 - BRINCADEIRA Q VIROU FODA - Categoria: Gays - Votos: 6
15484 - TRACEI O HETERO - Categoria: Gays - Votos: 4
15511 - MEU PAI PEDIU P DEPILAR E APROVEITEI - Categoria: Incesto - Votos: 20
15560 - Fodido pelo colega de minha esposa - Categoria: Fetiches - Votos: 12
15634 - EU E MEU SOGRO - Categoria: Incesto - Votos: 7
15640 - O PESO DE UMA AMIZADE - Categoria: Gays - Votos: 5
15643 - TIO E PAI - Categoria: Incesto - Votos: 11
15685 - TECNICO SARADO - Categoria: Gays - Votos: 4
15808 - PRIMEIRA DE SEGURANÇA - Categoria: Gays - Votos: 2
15817 - COMI UM MACHAO HETERO - Categoria: Gays - Votos: 3
15832 - A PRIMEIRA -TROCA TROCA - Categoria: Gays - Votos: 4
16069 - PRIMEIRA VEZ COMO FEMEA - Categoria: Fetiches - Votos: 7
16239 - PRIMEIRA VEZ COM MEU TIO - Categoria: Incesto - Votos: 11
16240 - MEU SOBRINHO DOT....... - Categoria: Incesto - Votos: 5
16244 - MINHA PRIMEIRA - Categoria: Gays - Votos: 2
16552 - CALCINHA, MUITO BOM - Categoria: Gays - Votos: 4
16558 - TIO FORTE - Categoria: Incesto - Votos: 8
23256 - ENRABEI MEU ENTEADO - Categoria: Gays - Votos: 14
24339 - ARROMBADO - Categoria: Gays - Votos: 8
24340 - ACHO QUE SOU BI - Categoria: Gays - Votos: 5
24388 - COM O PROFESSOR - Categoria: Fantasias - Votos: 6
24710 - A PRIMEIRA VEZ DE UM CASADO - Categoria: Gays - Votos: 7
24748 - MEU IRMÃO FUDEU MINHA BUNDINHA - Categoria: Incesto - Votos: 8
24932 - FUI AJUDAR UM AMIGO, E ACABEI ENRABADO POR ELE - Categoria: Gays - Votos: 10
24933 - TUDO COMEÇOU NO CHUVEIRO - Categoria: Fantasias - Votos: 5
29223 - PRIMEIRO FIO TERRA COM MINHA ESPOSA - Categoria: Fetiches - Votos: 5
29226 - PRIMEIRA VEZ COM CARA DA TV A CAB0 - Categoria: Fetiches - Votos: 2
29229 - MEU VIZINHO NAO GOSTA DE USAR CUECAS - Categoria: Exibicionismo - Votos: 5
38132 - FODIDO NA ESTRADA - Categoria: Gays - Votos: 14
41020 - PRIMOS SERVE? PARA FUDER - Categoria: Gays - Votos: 7
43186 - Fudendo com amigo de porre - Categoria: Gays - Votos: 21
56161 - Em casa durmindo e fui emrrabado - Categoria: Gays - Votos: 19
72524 - Diversão no trabalho - bi - Categoria: Fantasias - Votos: 5

Ficha do conto

Foto Perfil daniayra
contosparamachos

Nome do conto:
Macho, mas... como uma fêmea bem comida

Codigo do conto:
56158

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
12/11/2014

Quant.de Votos:
7

Quant.de Fotos:
3


Online porn video at mobile phone


Çonto chupei o grelo da minha tia casadaa nissei casada e o negãocontos inversaoviciada em negros contoszoofilia com pimtierpapi comendo miha espozinha.contohistoria dos k fizeram zoofila pela primeira vezminha mãe filmou meu pai me comendoContos de ninfetas sem calcinhafudendo minha mae e irma contosna minha cama conto eroticoconto erotico sybermulheres gostosas na fodaquadrinhos eroticos bunduda divorciadaperdi as preguinhas do cu quando era pequenavoce e meu tio nao posso dar a bucetanao aguentei contos eroticoscavalo rasgando cu ate soltar porraconto erotico enganando o papaigay dotado usa camisinha extra grandeconto casada adestrando cornosogrode ninfeta contoscontogayporno porno ,contos erpticos cunhada gulozaquadrinho filho taradocontos eróticos inversão chantagemcontos excitantes relatados por mulheresquadrinhospornno cu da sobrinha conto eroticocontos eroticos cafetao pauzudoconto erotico: meu pai e seus amigos me comeram gostosoirmã deixar seu irmão goza vendo seu chotinho contos eroticos mãe faz filho viadoAi titio hq hentaicontos eroticos de estupro anal coletivoentiadacontoeroticoler contos eróticos de sogras que choram na rola de negros bem dotadosconto erotico comi o cu de minha medicacontos de machos que experimentou um boqueteMEu amigo gay me falou que tem vontade de chupa no meu penisconto erotico de casadacontos eróticos corno mansoContos porno gay chiquititasconto erotico chantagemcontos transei com vovôkomik xxxquadrinhos eróticos com fotos reais cornoscontogayporno historia ti sogra transando com genroQuadradinho erotico conto 2006 contos romanticos gay heteroContos e fotes negros caralhos gigantesporno sogrinha bebada chupou contosvideo porno mulher encoxada no onibas e enfia o picoContos eroticos de velhas sendo fudidascontos dei a buceta virgeconto erotico briga gaycearense mostrando a bucetacontos eroticos indiotexto e fotos de historia de porno titiu meio safado e inocente e subrinha safadaporno estupro, pedreiros rasgam calcinha e meteu a lingua no fundo da bucetaConto erotico de primaso mostrei a bunda pro meu cunhado e ele gozouultimos contos sadowww.contos eroticos mae fude com filho novenho pauzodo dando cuconto erotico lesbianocontos eroticos eu feia e gordaConto erotico de primaconto erotico carla swing traiçaocontos eroticos arombei o cu da minha tia pornofilho que fode na mãe o pai estando aiContos eroticos garotinha belissima crentes.Contos eroticos homossexuais: andando de cavalo com o bundudofotos em quadinhos porno vigindadeConto no cu da vizinha