Dando pro amigo do trabalho


Click to Download this video!


Isabella é uma mulher casada, bonita e gostosona, mas mal comida. Ela tem um amigo nerd e feio no trabalho, mas que tem uma pica gigante - um dia ela descobre isso...


A Isabella anda pelo escritório, passando pelas pessoas e cumprimentado a todos. A bela e jovem loirinha é uma das garotas mais populares no seu andar. Não somente ela é engraçada e simpática, como ainda é uma excelente funcionária e de quebra é um tesãozinho: baixinha, peitudona e branquinha, loira e com um rostinho lindo e um rabão grande e arrebitado. Seu único defeito, segundo os marmanjos que babam por ela, é ser casada e meio certinha.
Isa, como todos a chamam, tem um amigo de trabalho que é o maior nerd, chamado João. Tipo assim, o cara baba por ela, mas ela nunca dá uma abertura para ele fazer nada de errado. Apesar disso, a Isabella brinca com ele, muitas vezes sobre sexo e de forma provocante, mas sempre espertamente mantendo a distância o suficiente para o João saber que ela não está dando mole pra ele.
As suas amigas, algumas das maiores gostosonas do escritório, acham o João um taradinho. O cara fica o tempo todo olhando pros peitos das garotas, sempre com um sorriso de taradão e já convidou simplesmente todas para sair, sempre ouvindo sonoros ‘não’ como resposta.
Isabella já ouviu milhares de vezes as garotas zoando ela por ser amiga do ‘taradão peludo’. Muitas vezes elas chegam a brincar dizendo que ela tá só deixando o pobre garoto cheio de tesão, ele não come ninguém e tá cheio de 'leite' pra dar para ela, que ele morre de tesão por ela e que ela tinha que dar pra ele, se ela é amiga de verdade, e várias outras piadinhas muito safadas.
Mas a Isabella só ri e diz que eles são só ‘bons amigos’. Além disso, ela brinca, se fosse para ela dar para alguém ela escolheria alguém mais bonito! Ele realmente é muito feio e as suas amigas concordam.
"Oi Johnny! tudo bem?" Isabella diz enquanto entra na baia do João. Já está bem no fim do expediente, quase todo mundo foi embora. "Vai fazer alguma coisa depois do trabalho?"
“Oi Isabella, tudo bom.” Ele responde olhando pra amiga, como está sentado seus olhos ficam bem na altura dos peitões da baixinha, que está tão perto dele que o João até sente o perfume sensual dela. “Eu tenho um programa de computador que eu quero instalar depois to expediente...” Ele responde se virando para a tela do computador, com medo de ficar hipnotizado pelas tetas dela.
"Ah! Para com isso!” Ela senta na mesa dele, de frente pro amigo. A loira está de saia e fica com as pernas grossas um pouco abertas. Como ele permanece sentado, o João consegue ver um pouco dentro da saia dela, quase dá pra ver a calcinha! Ela está atrapalhando a visão do computador de propósito. "Meu marido viajou de novo e eu estou puta! Quero ir pra um bar beber alguma coisa!"
“Isabella....” Ele olha para a mulher, os olhos sobre o corpão dela, ele percebe as pernas um pouco abertas e a calcinha quase aparecendo. Mas apesar do tesão ele sabe que a sua amiguinha casada e gostosa nunca traiu o marido, e ela foi cantada por todos os garanhões da firma! “Sinto muito, Isa, mas agora eu não posso.” Ele responde um pouco sem paciência, na verdade querendo que aquela tentação saia da frente dele. “Eu posso olhar para meu computador?”
"Fala sério! A sua melhor amiga tá aqui Johnny!" Ela ri e abre um pouco mais as pernas 'sem querer', agora ele finalmente vê a calcinha de rendinha branca e quase geme de tanto tesão. "Já acabou o expediente e não tem ninguém nessa ala, só a gente! Vai, faz isso pela sua amiguinha!" Ela faz uma carinha de pidona. "Vem beber comigo, finge que é um encontro! Você tá precisando sair com umas garotas! Vai dizer que você não quer sair com uma loiraça peituda?” Ela brinca rindo.
“Sério? Sair contigo? Mas e se teu marido descobrir? Tô ferrado!” Ele responde também brincando e olhando um pouco entre as pernas da safada, tentando esconder sua excitação.
"Ele está viajando! E de qualquer forma vocês são amigos... ele não ia achar que você tá saindo pra me comer!" Ela começa a rir. "Ele te acha bem inofensivo, tipo assim, não acredita que você ia conseguir ganhar uma gostosona que nem eu!” Ela fala casualmente, mas isso o ofende um pouco, embora ele esconda isso. “Sabe. a gente até podia ter um caso que ele nem ia acreditar, tipo assim, mesmo que estivesse dando pra você direto ele não ia conseguir acreditar que o meu amigo nerd tava me comendo!"
“Tá bom! Você não vai me deixar trabalhar mesmo... e até que vai ser uma boa!” Ele ri se recostando na cadeira e relaxando. O João percebe que não tem jeito de convencer a sua amiga peituda de desistir da idéia de lavá-lo para um bar. “A gente toma uns chopes e eu desfilo com uma gostosona... você bem que podia fingir que tá dando pra mim, quem sabe não aumenta meu cartaz com a mulherada.” Ele pisca. “Se quiser eu posso até te comer... seu marido nunca vai desconfiar mesmo! Você não disse que pode me dar que ele não desconfia?”
"Mas que taradinho!” Isabella ri. “Eu não tô dizendo que eu vou te dar!" Ela desce da mesa, o que faz os peitões balançarem. "Só tô dizendo que ele confia muito em você!" Ela pensa um pouco. “Tem um bar aqui perto com uns drinques legais, eu te levo!"
O João é bem caseiro, não sai muito, e quando sai é com a Isabella e os amigos do trabalho. Ainda assim ele gosta de estar perto da sua melhor amiga, a amiga casada e gostosa, com aquelas tetas gigantes e aquele rabão delicioso. O sonho dele é pegar nos peitões dela!
“Então vamos, eu instalo o programa amanhã, vamos embora!” Ele concorda e logo estão sentados no bar.
É um local novo, com dois andares e eles escolhem ir para o segundo para poderem conversar melhor. Nem precisava, já que sendo começo da semana o lugar está meio vazio. O garçom passa por eles somente de vez em quando e os dois logo pedem sua cerveja gelada. O segundo andar é mais escuro, mais íntimo, com pilastras que escondem um pouco as pessoas.
“Uma cervejinha não vai me fazer mal.” João fala provando de seu copo. “A cerva me ajuda a esquecer que não tenho namorada...” Ele levanta da cadeira, olhando para a gostosona loira. “Afinal, pelo jeito, hoje eu não vou comer ninguém, não é?” Ele brinca.
"É isso ai Johnny!" Isabella abraça o amigo, pressionado os melões contra o peito dele e depois vai de braço dado com ele. "Se bem que o meu marido merece ser corneado sabe? Tá sempre trabalhando até tarde, viajando a negócios.”
“Desculpe pelo teu marido... uma mulher bonita como você merece mais atenção.” Ele ri um pouco.
“Mereço mesmo, tem um monte de caras aqui do escritório doidos pra me levar pro motel... mas eu só saio com o meu amigo!” Isabella sorri e aperta o corpo contra o braço do João, novamente pressionando os peitos contra ele. “E o meu marido nem é tão bom assim quando tá em casa!" Ela ri e usa os dedos para mostrar o tamanho do pau pequeno dele. “Vocês jogam futebol e você já viu no vestiário que ele é mal dotado.”
“O que é isso Isa!” Ele ri surpreso. “Eu não olho para pica de outro homem não! Mas não pude deixar de notar que ele tem um piruzinho bem pequeno... já o meu é bem grande!” Ele ri e toma um gole de cerveja. “E você não devia sair por ai espalhando que seu marido é mal dotado e ruim de cama!”
"Desculpa, é que eu tô com muita raiva mesmo!” Ela se justifica. “A gente ia sair hoje... ai pinta uma emergência, sempre aparece uma merda de uma emergência!"
“Eu entendo.” Ele responde apaziguando a gostosona zangada. “Eu não te condeno por ter raiva dele. Tem que ter raiva mesmo... parece até que ele está desinteressado.” Ele ri. “O seu marido tinha é que agradecer, um cara tão mal dotado não merece uma gata que nem você, ele devia ter um pauzão que nem o meu pra te satisfazer!” Ele brinca e os dois riem.
“Ah João, todo homem diz que tem pau grande!" Ela ri. "E ai, quer uma devassa loira?" A Isabella faz cara de safada oferecendo a cerveja com este mesmo nome. "Parece que o meu marido não quer... vai acabar virando corninho!"
“Claro que quero uma loira, eu adoro as loiras!” O João da uma risada. “Tô louco por essa devassa!” Ele mostra o copo, pedindo mais cerveja.
"Para o meu amigo João eu dou tudo!" Isabella levanta e o serve, dando uma abaixadela, com o decote de frente pro rosto dele. Ela também é bem fraca para bebida e já está altinha. "Afinal, quando eu preciso, você tá por perto... diferente do meu marido que me deixa na mão! Se você fosse casado comigo você não ia estar viajando, né?"
“Claro que não.” João olha para dentro do decote da loira enquanto ela enche seu copo, tendo uma visão bem caprichada dos peitões dela. Ele se senta direito na cadeira para poder ver melhor. “Se eu fosse casado com você eu te comeria todo dia! Você ia ter um maridão bem dotado em casa quando precisasse.”
"É mesmo?" Ela ri meio sem graça, mas o João percebe que ela está gostando. "Diz ai seu João... o que você faria se fosse meu marido?" Ela bebe o resto da cerveja de uma vez.
“AHHH!” Ele toma um pouco da cerveja enquanto pensa numa resposta. “Eu te daria tudo que quisesse, carro, casa com piscina e bom sexo.” Ele responde dando uma risada.
"HUNNN! Gostei! Especialmente da última coisa..." Ela dá uma risadinha safada. "Eu estou precisando disso! E com um homem mais bem dotado. Uma coisa eu sei, mais bem dotado que o meu maridinho você deve ser... mas nem por isso acredito que seja grandão que nem você tá falando." A Isa já está bebinha.
“Quer ver pau grande?” O João toma um gole grande na cerveja, olhos sempre nos peitões da sua amiga. Ele normalmente é bem respeitador, mas agora também está um pouco bêbado e sem noção das palavras. “Isa, se você quiser eu posso te mostrar, minha pica tem mais de vinte e cinco centímetros!” Ele diz orgulhoso.
"Johnny... tá safado hoje né?” Ela ri um pouco assustada, mas os olhinhos estão brilhando. “Você só ta dizendo isso por que acha que eu não vou aceitar, vocês homens sempre ficam exagerando no tamanho do pau. Duvido que seja tão grandão. Posso bater uma aposta como você não vai me impressionar!"
“Pois eu aposto que você vai ficar de queixo caído!” Ele ri. “Eu só não mostro aqui por que tem muita gente.” O João parece bem confiante. “Se a gente estivesse em um lugar mais discreto, eu te mostrava... eu gosto de mostrar o meu pauzão para mulheres gostosas.”
"É mesmo? Isso inclui sua amiguinha casada?" A Isabella brinca abraçando o amigo totalmente bêbada. "E onde você quer me mostrar essa pica gigante?” Ela ri, fazendo pouco caso do amigo, sem acreditar que ele está falando sério. “Que tal você me dar uma carona Johnny? Assim a gente fica sozinho no estacionamento...” Ela fala com um olhar desafiador.
“Tá louca pra ver um caralhão de verdade, né?” Ele fala bem sério, encarando ela. “Eu to falando sério, meu pau é enorme e quando você olhar pra ele vai querer esse mastro dentro de você!”
“Duvido!” Ela diz aceitando o desafio. “Eu não tô querendo dar!" Ela ri na defensiva "É só que... eu sei que você está mentindo! Que tal: se você estiver mentindo, err... você vai ter que ir sem cueca o resto da semana pro trabalho, e me mostrar a bunda no fim do dia!"
“Ah é? Então tá.” Ele responde também confiante. “E seu ganhar você vai ter que ir pro trabalho sem sutien por uma semana e me mostrar os peitos no fim do dia!”
“Apostado!” A Isabella aperta a mão do amigo. “Eu sei que vou ganhar!”
“Tá bom então... vamos para o estacionamento, para meu carro, lá eu te mostro o que é um pau de verdade, de homem!” Ele diz e levanta, balançando um pouco, tonto. João põe a mão no bolso da calca, tira a carteira e põe o dinheiro na mesa para o garçom. “Vamos nessa então? Tô louco pra ver tua cara de impressionada.”
"Vamos!" Ela também levanta, mas tem que se segurar no João pra não cair, está tontinha! "Eu to doida pra ver sua cara de vergonha quando eu disser que não me impressionou!"
Eles andam pelas ruas agarrados, um ajudando o outro. A Isabella está bem pior que o João. Logo ambos estão no estacionamento, do lado do carro dele, no escuro e sem ninguém por perto.
"Chegamos.” Ela fala desafiadora. “Agora mostra... João picão!" A Isabella caçoa do amigo. “Ou vai desistir agora? Última chance!”
“Eu vou adorar olhar pros seus peitões gostosos todo dia!” Ele vira pra ela desabotoando a calça e metendo as mãos no zíper. “Agora, se prepare para perder a aposta Isa.” O João abaixa o zipper da calca, devagarzinho, sempre com os olhos nas tetas da safada.
“Vou até fazer o seguinte: se seu pau for maior que vinte centímetros eu mostro os meus peitos aqui... agora!” Ela ri desafiando o amigo. “Vai desistir?” Ela ri, mas os olhos estão arregalados, fixos no colo do amigo. A Isabella está bêbada e meio assanhada, ma não acredita que um cara tão feio e nerd seja realmente tão bem dotado. Ela sabe como os homens mentem sobre o tamanho do pênis!
“Beleza Isa... sempre quis ver essas tetonas que você tem! Ai vai!” Ele enfia a mão dentro da calca dele e puxa para fora o pau junto com as bolas. “O que você acha, heim?”
"J-João, ai meu DEUS! Que enorme!" A Isabella fala assustada. "E-eu não sabia... que pau grande!" Os olhos arregalados da loirinha peituda mostram o quanto ela está impressionada.
“Viu Isa, não te falei?” O João ri e se masturba um pouco para o caralhão crescer e deixar ela doidinha. “Isso é uma pica de verdade, não aquela minhoca que o seu maridinho tem.” O nerd taradinho sorri vendo que ela nem reclama, só concorda coma cabeça dando risinhos safados e cheios de tesão. “Se você gosta de pauzão... eu tenho um pra você!”
"T-tem mais de vinte centímetros?" Ela pergunta, agora não tão confiante quanto antes, até meio abobalhada. "É a maior pica que eu já vi... e-eu não vi muitas, quer dizer, e-eu casei virgem..." A Isabella não consegue tirar os olhos do pauzão do amigo.
“Claro Isa, essa pica tem mais de vinte centímetros para você olhar, usar e abusar.” Ele ri apontando a vara, já bem dura, pra amiga, que fica vermelha e ri baixinho. “Isa... agora, mostra os peitoes como prometeu!” Ele fala com uma voz de tarado que mostra o quanto ele sente tesão pela amiga casada.
"Tá bom, aposta é aposta e eu perdi!" A peitudona ri e começa a desabotoar a blusa. "Você tá louco pra ver as minhas peitolas não é Johnny?”
“Claro Isa, você fica com essas tetas na minha frente todo dia... esses peitões enormes.” Ele fica com o pau ainda mais duro, se masturbando devagar. “Eu fico só imaginando como devem ser esses peitos, o tamanho, os biquinhos... você não sabe o tesão que me dá ficar olhando seu rabo e esses peitões!”
“Mas que amigo mais tarado que eu tenho! Bem que as minhas amigas me diziam que você tava doido pra me comer!” a loira bêbada fala sem pudor, terminando de tirar a blusinha e colocando-a dentro do caro do amigo. “Agora você vai ver meus peitões... vai tocar muita punheta por eles!”
A Isabella vira para o João e o nerd peludão vê os seios fartos quase pulando do sutien branco, cuja parte de cima do bojo é totalmente transparente, de um material rendado, com as aréolas rosadas à mostra.
“Já estou tocando!” Ele novamente mostra a vara, cada vez maior e mais dura pra amiga gostosa. “E eu já toquei muitas em sua homenagem!”
“Ai João... você goza pensando em mim? E você diz que é meu amigo, hein!” Ela ri, meio com vergonha e meio excitada. “Só não conta pro meu marido, tá?" A loira e abre o sutien pela frente, as tetas enormes quase pulam na direção do João. "É isso que você queria ver, não é seu tarado pintudo?"
“Puta que pariu, que peitões!” O João não se controla, suas mãos grandes e peludas levantam em direção aos seios da amiga. Ela olha pra ele assustada mas fica sem reação. No momento seguinte a loira casada sente os dedos do amigo nerd pegando com firmeza em seus peitos, ele os massageia, aperta com as mãos e esfrega os mamilos da loira. “Que gostosona! Você é ainda mais gostosa na realidade que nos meus sonhos Isa!”
"O que é isso João? A aposta não incluía pegar!” A loira geme e fala assustada e submissa. “E-eu sou casada!”
“Casada com um homem de pau pequeno e que nem te come mais!” O João fala no ouvido dela, lambendo o pescoço da amiga enquanto a mãos levantam os seios dela. “Fala pro seu melhor amigo Isa... você tem tesão por pau grande, não tem?”
"E-eu tenho!” Ela admite gemendo. “E-eu sempre quis pegar num pau assim, tipo de ator de filme pornô...” Ela não tira os olhos do pau gigante do amigo. “O-o pintinho ridículo do meu marido nem conta... e eu tive só dois namorados e só fiquei com mais outros três homens, nenhum deles tinha uma picona dessas!”
“Então pega!” ele fala no ouvido dela. “Pega na minha pica Isabella, pega no caralho do seu amigo sua peitudinha gostosa.”
“Ai João. Isso é errado!” Ela ri e segura no caralho do amigo, massageando ele. “M-mas eu estou tão curiosa...e-eu sempre quis sentir um pau desse tamanho nas minhas mãos, na minha boc... quer dizer...”
“Não se preocupa Isa, eu sou seu amigo!” O João ri. “Esse pau é só para você, para você colocar onde quiser e a qualquer hora que quiser.” Ele inclina um pouco e dá uma chupada bem dada nas tetas enormes e depois em cada mamilo.
"Ai seu tarado... meus peitos!” Ela fala fingindo estar com vergonha, já masturbando o amigo. “Você sempre quis mamar nos meus peitões não é?" Ela geme. "Eu reparei como você olhava pras minhas tetas, louco pra meter as mãos nos melões da sua amiguinha peituda... e ainda de quebra tocando punheta pra mim Johnny!"
“Você percebeu que eu olhava né? E ficava só me provocando com essa rabeta e esses melões, heim Isa?” O João da um sorriso. “Você foi a musa de muitas gozadas! Já toquei muita punheta pro você Isa.” Ele chupa mais um pouco nos peitões da loira safada olhando pros lados.
O João não está tão bêbado quanto a Isabella e tenta não ser pego com as calças baixadas. Mas o estacionamento vazio parece bem seguro, apesar dele ver algumas luzes distantes de carros saindo, não há ninguém à vista e os dois têm bastante privacidade para fazer o que quiserem... só não podem se descuidar!
"Que tesão, eu me sinto solteira de novo!” A Isabella geme punhetando o amigo. “Eu fiquei com muitos dos meus namorados em estacionamento, dentro do carro deles... eu casei virgem, mas chupei muito pau dentro do carro dos garotos."
“É mesmo? A minha amiguinha casada é uma boqueteira?” Ele pergunta brincando, olhando para a mão dela no pau dele.
“Sou mesmo!” Ela ri e finalmente sente seu pau todo duro. "Tá enorme Johnny!"
“Quer chupar? Pode chupar! Você gosta de mamar numa piroca Isa?”
"G-gosto... sempre adorei mamar numa pica, até acostumei com o gosto da porra. Engulo tudo!" Ela fica vermelhinha. "Abre o carro, vamos para o banco de trás!"
“O Minha melhor amiga não pede... manda!” João rapidamente abre a porta do banco de trás do seu carro, as bolas balançando entre as pernas. “Depois das safadas!” Ele ri fazendo uma cortesia para a loirinha.
"Safada não, loira devassa!" Ela ri corrigindo e entra no carro excitada. "Vem que eu te chupo gostoso meu amigo picudo!"
“Que delícia, quantas vezes eu sonhei com isso!” Ele entra no carro depois dela e fecha a porta e os vidros. “Vai minha loira, minha amiga devassa... chupa o caralho do teu amigo... vai Isa, vai! Mostra como uma mulher deve chupar um pau do meu tamanho!”
“Eu também já sonhei em pagar boquete para uma pica deste tamanho!” Ela ri dengosa e coloca a vara na boca. Isabella fecha os lábios com força ao redor da cabecinha e desliza para baixo, engolindo mais e mais o membro gigante do João, até senti-lo na garganta.
Com quase vinte centímetros de pica na boca a peituda casada começa a deslizar para cima até quase deixar sair o pau da boca, então desliza de novo para baixo e começa a mamar no colo do amigo, os cabelos loiros indo pra cima e pra baixo enquanto ela paga um senhor boquete.
“Oh meu Deus!” João geme e segura o cabelo loiro dela atrás da cabeça, olhando para a safada chupando o caralho dele como um profissional, até melhor que muitas atrizes pornô. “Não para Isa... chupa esse caralho gostoso! Mete tudo na boca, me faz gozar na tua boca gostosa! Hum, puta que o pariu! Isso é muito bom!”
"Hummm! Quer gozar na minha boq uinha Johnny?” Ela geme sedutora e lambe a vara até as bolas, depois sobe e engole a cabecinha. “O meu amigo João vai me dar leitinho? Me dá leitinho quente João! Eu adoro leitinho de homem!"
De repente a loira peituda engole até quase o talo e fica lá, somente quando o seu amigo nerd começa a ver estrelinhas de tesão ela volta a mamar pra cima e pra baixo, mais rápido. Aos poucos a Isabella engole mais e mais da pica gigante até que finalmente suga até lá no talo.
“Isso Isa...engole minha vara! Assim mesmo, sua vadia gostosona!” João geme alto quando sente o narizinho delicado da loira nos seus pentelhos e a bola no queixo dela. Ele segura o cabelo dela e a puxa para baixo, não deixando ela levantar ainda. “Quantas vezes eu bati uma punheta por você! Hoje eu vou te comer sua peituda gostosa, eu vou enfiar essa vara na sua buceta Isa, vou te comer!”
"HUMMMM!" A Isabella geme mais alto, mas O João percebe que ela está agüentando bem a vara toda na garganta dela. A putinha sabe chupar um pau! João sorri, imaginando que ela deve ter treinado muito boquete antes de casar! Finalmente ele deixa de segurar no cabelo dela, liberando a sua amiga boqueteira.
“Levanta a boca Isa, eu não quero gozar ainda.”
"U-hu. " Ela concorda e sobe a boca na vara devagar. "A-ai João, q-que loucura!"
“Quer mais Isa?” O João pergunta com cara de tarado.
"Mais um round de pica grande Johnny? SIM!" Ela ri um pouco sem ar. “Esse caralhão que você tem é um sonho!” A loirinha casada abaixa novamente lambendo o pau gigante. Ela mama com um barulho alto - ‘SLURRRP! SLURRPPP!’
“Eu não quero só boquete não Isa.” O João pega a amiga pelo cabelo e a faz se levantar até o rosto dela ficar junto do dele. “Tira a calcinha que hoje você vai aprender o que é um pau de verdade... pau grande, de homem!”
“J-João!” Ela olha pra ele assustada. “A-a gente tá indo longe demais!” A peituda fala meio assustada, mas ainda assim com o pau do amigo na mão, massageando e brincando com ele naturalmente, sem ela sequer perceber o que está fazendo.
“Fala a verdade Isa. Você sempre quis uma pica desse tamanho dentro da sua buceta, não é?” Ele ri quando ela fica totalmente vermelha e faz que sim com a cabeça. “Você sabe que eu sou seu amigo... seu melhor amigo! E o seu maridinho também é meu amigo. Você sabe que eu não vou contar nada pro corninho não é?” Ele fala no ouvido dela enquanto a loira punheta o seu pau.
“E-eu sei que você não vai falar nada Johnny... e-eu confio em você!” Ela faz que sim com a cabeça.
“Então tira essa calcinha minha amiguinha peituda.” Ele fala quase gemendo com as mãos dela no seu pau. “Me deixa te mostrar o que é um pau de verdade nessa bucetinha...” O João fala e suas mãos sobem pela perna dela pra dentro da saia e logo pegam nas tirinhas fininhas da calcinha da Isabella. “Humm! Tá de fio dental? Que loira mais putinha!” ele brinca e ela ri enquanto ele abaixa a calcinha branca e rendada, um conjunto com o seu sutien.
“Ai João...e-eu não sei se a gente devia fazer isso!” Ela fala sem muita convicção e até abre as pernas para ele finalmente desnudar sua xaninha molhada.
“Por que não Isa? Você sempre quis sentir um pau grandão na sua buceta não é?” ele fala jogando a calcinha no banco da frente enquanto ela concorda balançando a cabeça confusa. “Já eu sempre quis comer uma loira peituda e bunduda...”
O João mete as mãos na cintura da amiga casada e a faz subir no seu colo. Ela ainda resiste um pouco nos primeiros segundos, mas logo sobe nas pernas peludas do João e se ajeita, de joelhos no banco do carro. Seus seios fartos estão na cara do amigo, que mama gulosamente enquanto desliza as mãos para a bunda carnuda da Isabella.
Logo ele consegue que ela fique em uma posição sobre seu colo na qual a cabeça assustadora da sua piroca pressiona a entradinha estreita da buceta da amiga. De joelhos esticados a Isabella não deixa que o pau entre muito nela, mas ele é tão grande que parte da cabeçona abre caminho pelos lábios vaginais da loirinha.
“J-Johnny! V-você... seu pau...” Ela geme e gagueja, sentindo um arrepio de tesão subindo pelas suas costas quando o membro entra, mesmo que tão pouco.
“É isso mesmo Isa, meu pau está dentro da sua xereca.” Ela agarra a bunda dela com força, os dedos entrando nas nádegas generosas. “Agora desce um pouquinho, só um pouquinho, pra sentir um pauzão dentro de você, só um pouco. Deixa só a cabecinha entrar!”
“Ai Johnny...e-eu nunca traí!” Isabella fala mas não oferece resistência quando o João Faz força e empurra seu quadril para baixo. “AIII! Que enorme... E-NOR-ME!!” Ela fala alto, sem se importar se alguém pode ouvi-la.
“Calma Isa... isso foi só a cabecinha!” O João geme e ri. “Me mostra até onde o seu maridinho alcança. Vai Isa, desce até onde ele consegue meter em você!”
“AIII...e-eu acho que...” Ela coloca as mãos nos ombros peludos do nerd, para se apoiar, e força seu rabão para baixo. “...aqui!” A vara descomunal do João está pouco mais de dez centímetros para dentro da sua deliciosa amiga. “É di-difícil dizer...você é muito mais grosso!”
“Mas isso é muito pouco! Não entrou nem metade do meu pau.” Ele ri enquanto ela se move para cima, um rastro de seu líquido de tesão brilha no pau do amigo. “Quer saber como é um pau indo mais fundo em você? Que tal se você for um pouco depois do que ele alcança? Só pra saber como é sentir uma pica de verdade?”
“T-tá bom!” Ela geme baixinho com os olhos fechados e desce o quadril, escorregando a vara grossa pra dentro de sua xereca molhada. Isabella morde o lábio inferior, se controlando pra não gritar quando engole cerca de quinze centímetros do caralhão do amigo. “Ai João!”
Isabella tenta levantar mas o João bota as mãos na sua cintura e a trava. Ela abre os olhos assustada e desce novamente, sentindo outra vez a buceta cheia com o maior pau que já a penetrou.
“O que é isso Isa... tenta de novo, vamos... é a sua chance de dar essa xereca pra um homem bem dotado...” Ele brinca e com as mãos faz a miga mover pra cima e pra baixo no seu pau, apenas alguns poucos centímetros, devagar, para que ela se acostume aos poucos. “è a sua chance... quando você vai ter um pau de quase trinta centímetros na buceta de novo? Com o seu marido é que não vai ser!”
“E-eu não devia fazer isso... a-a gente...” Ela fala com um tom submisso, tão estranho nessa loirinha peituda que sempre é tão cheia de opinião. A Isabella não tenta reagir ao João, que a guia pra cima e pra baixo, fodendo a sua geba gigante. Cada vez mais molhada a Isabella está agora subindo e descendo quase dez centímetros, um pouco mais rápido que antes, e tomando quase vinte centímetros de pica quando vai lá embaixo. “Tá b-bom... depois a gente para, né?”
“Claro Isa... eu sou seu amigo! Só vou fazer o que você quiser que eu faça!” O João fala acalmando a amiga peitudona.
“E-então tá... e-eu quero ver até onde eu agüento!” Ela ri um pouco encabulada e ele volta a colocar as mãos no rabão da loira casada.
João sorri quando ele sente que ela não para de cavalgar sua pica. Isabella está com tanto tesão e sentindo tanto prazer que nem percebe que é ela que está fodendo gostosamente a piroca do amigo. As tetas fartas da loirinha balançam de um lado para outro, quase sempre batendo na cara do João, a barba mal feita roçando nos seios branquinhos, os mamilos de vez em quando ficam ao alcance dos lábios dele que logo começa a mamar naqueles peitões de atriz pornô americana.
Isabella começa a gemer baixinho enquanto sobe e desce na vara, amando cada centímetro. Ela quer sentir tudo dentro dela, mas como o João é muito bem dotado a loirinha tem que cavalgar a pirocona por um bom tempo. Ela fica cada vez mais excitada e cada vez mais próxima de um orgasmo poderoso.
O carro balança com a trepada monumental, ela nem se importa mais, o João também mal olha para os lados, sem nem olhar quem está por perto. Isabella coloca as mãos nos ombros do amigo e aperta o corpo contra o dele, sentindo seus pelos na sua pele pálida, seu rosto colado no lado do dele enquanto o João move os quadris para meter com mais força na amiguinha gostosona.
Os gemidos da casadinha peituda são cada vez mais altos e ela se move também mais depressa, tentando casar suas subidas e descidas com as do quadril do João. Não é mais algo tímido, uma tentativa de sentir uma pica grande, devagar com cuidado, é uma trepada de verdade!
Isabella acaba por sentir as bolas do amigo nas polpinhas de sua bunda, sua bucetinha delicada, agora toda arrombada, tocando no colo dele. Ela para, abre bem os olhos e afasta seu rosto da face do João. A loirinha mal consegue falar, está tão cheia da pica do amigo e sentindo tanto prazer que o corpo não a obedece direito.
“Jo-João...t-tá tudo dentro!” Ela fala gemendo, manhosa.
“Tá mesmo Isa... trinta centímetros de vara dentro de você!” Ele ri e dá um tapa no rabão dela, fazendo as bochechas da bunda balançarem. “Agora rebola nessa piroca, sua peituda gostosa, vai, mexe putinha!” Ela fica vermelhinha mas obedece, rebolando no pau do amigo. “É disso que você gosta não é? De pica grande? Então aproveita, que essa é a maior que você vai ter sua putinha gostosa!”
“Ai João, seu safado! Quer transformar sua melhor amiga em sua piranha, é?” ela geme começando a cavalgar a pica de novo, mas desta vez a peituda vai lá de baixo, encostando no colo do amigo, até lá em cima, até mais da metade da piroca gigante, quase chegando na cabecinha do membro descomunal. “Quer que a sua Isabelinha seja a sua putinha, é? Quer me transformar em puta?”
“Já transformei minha putinha!” Ele ri e guia a amiga a cavalgar com mais velocidade no seu pau. “Agora eu estraguei essa bucetinha que você tem... nunca mais vai sentir a piroquinha do maridinho dentro de você...” ela começa a gosar e João sente que ele também está perto do orgasmo. “Agora você só vai ter prazer com pau grande... e sabe onde encontrar, minha cachorra peituda. Isabella, minha putinha!”
“Seu tarado!” Ela geme alto gosando. “Bem que as minhas amigas falaram que você era um peludão tarado!” Isabella arranha as costas do João enquanto seu goso desce pela rola dele. “Taradão picudo...gostoso...”
“Toma aqui o seu leitinho putinha peituda!” João fala no ouvido dela e começa a jorrar sua porra na buceta da amiga casada. Isabella arregala os olhos assustada e sente a xereca inundada de porra quente.
“Seu TA-RA-DOOOOOOO!” Ela grita, sem dar a menor importância a quem possa escutar.
A Isabella nunca parou de gosar e agora que o João está enchendo ela de porra, a loirinha morde o pescoço do seu amigo, arranha o seu braço... se debate e treme toda no maior orgasmo que já sentiu, até desabar em cima dele, abraçando-o sem forças. O esperma do João escorre pela sua xaninha, descendo pelas pernas trêmulas, ela nem tenta limpar nem impedir, sentindo com prazer o calorzinho do goso do amigo melando seu corpo.
“O-o que aconteceu Johnny? O que a gente fez?” Depois de um longo tempo ela finalmente pergunta, com uma voz fraca, abalada, ainda toda jogada em cima do João.
“A gente trepou.” Ele ri ofegante. “Eu comi a mulher mais gostosa da minha vida, gosei feito um louco e senti você gosando muito também.”
“E-eu nunca tinha sentido isso.” Ela sai de cima do amigo e usa a calcinha pra limpar as pernas e a buceta. “Eu não goso desse jeito.... nunca gosei assim!”
“Mas também nunca teve um pau que nem o meu na sua xereca, não é?” O João fala maldoso e ela esboça um sorriso envergonhado enquanto acena que ‘sim’. “Viu? Era o que você precisava, de uma pica de verdade. Agora sabe onde encontrar uma, e tem mais sempre que você quiser Isa.”
“E-eu não sei... isso muda tudo. Eu traí meu marido, você traiu o seu amigo.” A Isabella fala assustada. “Será que isso foi certo?”
Eles se arrumam o melhor que podem e vão para o banco da frente, João tira o carro do estacionamento e dirige para a casa da amiga. Durante a viagem eles ficam em silêncio, a Isabella está muito envergonhada. Ela desce e se despede sem tocar no João, caminhando meio trôpega para a portaria de seu prédio.
João vê aquele rabo delicioso rebolando com cada passo da loirinha e ele sorri. Sua sorte está mudando. Ele é feio e não é bom de cantada, mas pelo jeito tem a maior e melhor pica que a Isabella já viu. E ele morre de tesão pela amiga casada. Mesmo sendo amigo do marido dela, o João sabe que não vai resistir. Se ela quiser dar de novo, ele vai comer!


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario

Comentou em 27/10/2012

Maravilhosa Isa! Parabéns, ótimo conto! Bjão do Zeus.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico isa_fantasy

Nome do conto:
Dando pro amigo do trabalho

Codigo do conto:
21466

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
25/10/2012

Quant.de Votos:
5

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


gordinhopassivo69hq porno gay com dotadosconto erotico ela cagou no meu pauconto mulher de corno viciada naõ pode ver um macho e cu fica piscando por rolaconto erótico c/ fotos meu cunhadinho me fudeu inteirinha gostosinhocontos reais minha esposa santinha seduziu meu amigo dotadocontos eroticos com tios e sobrinhas safadas e putaconto erotico.comendo abuceta virgemconto sexual dei a bunda para o meu filho e sobrinho numa suruba inesquecivelporno contos eroticos mae e filho carnavalpeguei minha sobrinhaconto erotico com foto isso que e gosta de ser cornocontos erotico viadinho do meu irmao marcelo.comcontos erotico de velhosgarçom negro gay pauzaocontos eróticos na areia com minha maesexo crente safadaeu lia conto erotico de cornosexoconto insesto devirgembeijo de língua peladosContos eroticos. Meu Rabo grande pisquei para o filhocontos eroticos ilustrada comi minha irma dormindofudendo rapidinha a xereca lisinha ca bacinhovideos contos despedida solteira punheta chupadaContos eróticos hetais filho encoxa sua Mae no ônibuscontos com fotos de pauzudoscontos eroticos gay de dando uma mamada no moleque moreninho claroO patrao do meu irmao me fudeu no motel conto eroticoConto erotico vendo a primadark room pauzao grosso conto.gay5 داستان سکس لیمونادconto erótico esposa dominadacontos.eróticosreais de dazendeirosperdi as preguinhas do cu quando era pequenaconto erotico fazendo massagem gostosa na maninhaconto de coroa gozadeiraporinga paocontos eroticos de advogadasxvideos gay como comer um viado por conhecidencia com prazecontos de vizinhos taradoscontoseroticos cagueinopaudo meufilhoconto erotico patroa taradasContos eroticos com fotos de podolatria com a atendenteTrepando com um transman - contos eróticosconto erotico buceta apertadaContosinsestofamiliaconto erotico hoje voce vai ser meuultimos contos sadocontos de sexo com a fran mulher do meu amigo fotoscontos fudendo minha tia tatuada gostosahentai hq engravidandoextraordinário quadrinho e contos incesto pornoquadrinhopornotraicaofiz sexo com a minha filha virgemConto erotico de menina semastubandoConto boquete escondido em quadrinhoconto erotico.com furry gayContos eroticos adestrando o viadoContos eroticos comi a nalvaContos de mulheres vc arrombo meu cu com esse pau grossoconto esposa safada dei pa todosconto erotico: moz nuaConto erotico de menininhasvovozinha safadihacontos de incesto com fotoconto eroticosafadocasada contos reclamando do marifo fodedormãe a noite vai no quarto do filho e pegar ele de pau duro xnxxvirei puto na igreja conto gaytransformacao corno gay contoquadrinhos eroticos levando mandiocaconto erotico sexo gaysabrina minha cunhada me viu de pau duro/contomulher passa margarina no cu da amigacontos travestis super dotadasConto erotico de brasileira e um africano conto erotico beijo gregocontoeroticonovaxvdeos o meubarastolinah quadrinhos eroticos cfmporno hq negaoQuadrinhoseroticosirmasconto eurotico gay comi o bombadocontos heroticos de casada chantageadas a foderconto pornô de marido e chamando o sogro para poder ir junto com elecontocasadasafadinhapai adimirando o bucetao carnudo ixado da filha dormindoContos eróticos picantes de gays com fotos ilustrativasmaexesocontos eróticos grátis de traição licacontos eroticos incesto forcadoContos erotico ninfetasinha com bucetao cabeluda dando pro padrasto bem dotadocontos eroticos a travesti transformou e outra travestiConto erotico- ja que meu marido nao me satisfaz dei para o meu sogroconto erotico estrupada pelo voJuanzito cantos eroticos